Close Menu

Busque por Palavra Chave

Prefeitura de Palhoça

HISTÓRIA

Câmara de Vereadores homenageia seis empresas pioneiras em Xaxim

Por: LÊ NOTÍCIAS
30/08/2019 17:28 - Atualizado em 30/08/2019 18:46
Câmara de Vereadores de Xaxim Homenagem aconteceu após indicação do vereador Ledinho Curtarelli (MDB) Homenagem aconteceu após indicação do vereador Ledinho Curtarelli (MDB)

A Câmara de Vereadores de Xaxim realizou nesta quinta-feira (29), uma sessão solene de homenagem e reconhecimento aos empresários pioneiros do município. Ao todo, seis empreendimentos receberam o certificado de reconhecimento pelo relevante trabalho realizado em prol do desenvolvimento econômico em Xaxim.

Os homenageados foram: Frigoríficos de André Lunardi, Irmãos Folle, Açougue Trentin & Pertusatti, Supermercado Manoel, Loja e Supemercado Gheno e Transportes e Distribuidora Vicenzi.

Arnaldo Nardi, do Supermercado Manoel, falou em nome dos demais homenageados onde agradeceu a honraria recebida, e assim como os demais comerciantes pioneiros, sente orgulho de ter colaborado com o desenvolvimento de Xaxim.

Edilson Folle, da empresa Irmãos Folle, lembrou, ao usar a palavra, que em 1928 quando a marca foi registrada por seu avô, talvez não imaginava que a Folle fosse se tornar a empresa que é hoje. A mesma coisa aconteceu em 1973, quando seu pai e tios assumiram a empresa, também não imaginavam que ela estaria neste patamar gigantesco e em, 2009, quando ele e a irmã Marta assumiram, até com medo de não dar certo pela falta de experiência, também não imaginavam que a Irmãos Folle fosse se tornar a maior produtora de erva mate in natura do Brasil e chegar aos 90 anos de história. “Agradeço a minha sobrinha Isabel e ao meu filho Nildo Folle Neto, por darem sequência à empresa, por quem sabe, mais cem anos”, disse.

O proponente da indicação, vereador Ledinho Curtarelli (MDB), destacou que os homenageados, assim como outras pessoas que chegaram tempos depois, passaram por momentos difíceis, onde praticamente tudo era feito de forma manual, a pé, com estrutura mínima e, mesmo assim, conseguiram passar pelas adversidades da época e se manter até os dias de hoje. “Eles merecem ser lembrados e homenageados pela coragem e determinação de iniciar os trabalhos em prol do município”, disse Ledinho.

Já o presidente da Câmara de Vereadores, Inácio Bracht (PSD), parabenizou todos os homenageados pela coragem e audácia de empreender em tempos tão difíceis. “Diante de tudo isso, é necessário que a Administração Municipal realize um planejamento a longo prazo, dando incentivo fiscal e apoio às empresas e microempresas para que este setor se desenvolva no município”, disse o presidente do Legislativo.

Ainda, Bracht pediu atenção especial para as áreas industriais do município, para que elas tenham infraestrutura necessária para se desenvolver e escoar a produção. Além disso, pediu incentivo, como doações de terrenos às empresas, para que estas possam ampliar a produção gerando emprego e renda no município.

HISTÓRICO DAS EMPRESAS HOMENAGEADAS

Frigorífico de André Lunardi

Os irmãos André, Adolfo e Domingos, construíram um hospital em 1942, curiosamente em um terreno pertencente a Pedro Lunardi, na Vila Diadema. Também construíram uma olaria para produzir os tijolos maciços para construção do Frigorífico Diadema, que começou a operar no final de 1939, sendo que em 1940 já possuíam duas marcas: Regência e Lunardi. Eles tinham uma produção inicial de 600 mil kg de banha e 250 mil kg de fiambres, que era carne suína cozida e fatiada. Na época, os produtos iam de caminhão até Joaçaba e depois seguiam de trem até São Paulo. Em 1940, a empresa possuía mais de 50 funcionários e os três sócios: André, que cuidava do escritório e comercialização; Adolfo, que organizava a produção e Domingos, que tinha a atribuição de manter as máquinas e motores. A empresa dos três irmãos foi vendida em 1964 para o Frigorifico Chapecó. Já em 1973 foi criada a Chapecó Avícola e a partir de 1976 começou o abate de aves, que continua até hoje com a Aurora Alimentos.

Representante da família Lunardi recebeu homenagem das mãos dos vereadores Duda e Licério


Ervateira Irmãos Folle

A ervateira Irmãos Folle foi fundada em 1970, com o falecimento do patriarca da família Florindo Folle, porém a história da empresa iniciou muitas décadas antes. Em 1928, Florindo Folle iniciava suas atividades no ramo de erva-mate em Xaxim, através de um processo artesanal, extraia e industrializava, com a participação de cerca de 10 funcionários e os demais membros da família. Percebendo um mercado promissor, aprimorou seus métodos industriais e passou a revender parte da produção de folhas secas, e não moídas, de erva-mate para o Rio Grande do Sul.

Em 1970, com a constante aceitação da erva-mate Folle no mercado, os filhos de Florindo Folle resolveram seguir os passos empreendedores do pai e construíram a empresa Irmãos Folle Ltda., que passou a produzir a erva-mate Folle e Baturitê. Atualmente, após quatro gerações da família e com 220 colaboradores, a empresa preserva a tradição do chimarrão com quase 100 anos de história.

Representante da família Folle recebeu homenagem das mãos dos vereadores Antônio e Volnei


Açougue de Trentin e Pertussatti

Nascido em 19 de setembro de 1931, em Rondinha (RS), Aldo Pertussatti decidiu morar em Xaxim somente em 1960, buscando uma melhor qualidade de vida, por intermédio das famílias Zaffari e Favaretto. Em 1961, Aldo conheceu os irmãos Domingos, André e Adolfo Lunardi, com os quais formou uma grande amizade e que depois o convidaram para trabalhar com eles na compra e venda de animais para abate no Frigorifico Diadema. Aldo aceitou o convite e trabalhou com os irmãos Lunardi por aproximadamente três anos.

Numa viagem com Domingos, começaram a conversar sobre uma possível sociedade em que ele comprasse os animais e Domingos comercializasse as carnes, e então decidiram montar o primeiro açougue e matadouro de Xaxim, que foi criado entre 1965 e 1966, colando a empresa com o nome de Comércio Açougue Xaxim, de Trentin e Pertussati. A partir dessa época, Aldo começou a fazer negócios de compra e venda de animais com agricultores do interior de Xaxim e de outros municípios. Devido às dificuldades de transporte, fazia seu deslocamento a cavalo, muitas vezes, inclusive, tendo se encontrado com Frei Plácido Rohlf, que o ajudava a conduzir os animais.

Com o crescimento da empresa, eles adquiriram uma propriedade no final da avenida Plínio Arlindo De Nês (antiga Rua do Comércio) para a instalação do abatedouro e invernada de criação de animais. No Centro, em frente a antiga Cooperativa Alfa, também na avenida principal, foi adquirida uma área onde foi construído o Açougue Xaxim, que funcionou até por volta do ano de 2011, em uma sociedade familiar com quase 50 anos de História.

No matadouro era fabricado diferentes tipos de frios, como salames, linguiça, queijo de porco, figadéi, copas e torresmos, além das carnes nas suas mais diferentes partes, da produção de mondongo e do curtimento primário de couro, para posterior venda. Em 1977, Aldo e sua esposa Mercedes, após 11 anos sem filhos, tiveram uma surpresa com uma nova gravidez. Em agosto de 1978 nasceu o quinto e último filho do casal, que também teve oportunidade de colaborar com os trabalhos no açougue.

Marcelo e Raquel recebendo o certificado em nome do Açougue Trentin e Pertusatti


Supermercado Manoel

Olírio Manoel Cartelli nasceu em 09 de junho de 1919, em Bela Vista – Veranópolis (RS). Em 1942 casou-se com Clementina Brandalise, com quem teve três filhas ainda no Rio Grande no Sul, sendo elas: Nelci, Valderes e Gélsa. Em 1949, quando vieram morar em Xaxim, associou-se com o cunhado Afonso Pensin e constituíram a empresa Casa Comercial Afonso Pensin, parceria que perdurou até 1967. Em 1951, nasceu mais uma filha, Marli, a única catarinense. Em 1972, juntamente com os genros Emídio e Arnaldo fundaram a empresa Carletti e Cia Ltda., que se dedicou ao comércio alimentícios e de frios, com o nome Supermercado Manoel. O primeiro estabelecimento inaugurou-se no prédio do Pensin, onde hoje funciona a loja Max 10 e em 1975 mudaram para o local onde funciona até hoje, na rua 10 de Novembro.

Com o falecimento de Olírio em 17 de março de 1983, a empresa continuou a ser gerida por Clementina Carletti, que faleceu em 2004. Então os sócios Emídio Invitti e Arnaldo Sérgio Nardi, por tradição, mantiveram a razão social Carletti e Cia Ltda. e assim perdura até hoje.

Arnaldo Nardi, do Supermercado Manoel, recebendo o certificado das mãos dos vereadores Gildomar e Joseane


Transportes e Distribuidora de Bebidas Vicenzi

Nascido em Serafina Correia, então distrito de Guaporé (RS), Luigi Avelino Vicenzi escolheu Xaxim em 1941, na época região que hoje é de Cordilheira Alta. Casou-se com Victória Natalina Canton em 19 de fevereiro de 1938 e tiveram 10 filhos, sendo quatro homens: Ulisses, Valdemar, Antonio e Leopoldo; e as mulheres: Ioli Maria, Lurdes, Delize Metilde, Elenira, Iracema e Eléa Terezinha. Em 15 de abril de 1957, Luigi Vicenzi e a família foram morar na Linha Flor, hoje bairro de Xaxim. Ulisses Antonio Vicenzi casou-se em 23 de agosto de 1958 com Gilda Folle e tiveram os filhos Gilson, Gilmar, Gilberto, Gicelda e Ulisses.

Eles trabalhavam com compra e venda de produtos coloniais, vendidos em Joaçaba e Curitiba, e com transporte de carga frigorífica da empresa André Lunardi e Cia. Em maio de 1964, adquiriram a revenda Brahma dos irmãos Valentim e Avelino Piana. Luigi faleceu em 10 de março de 1998 e sua esposa Victória faleceu em 10 de janeiro de 1994.

Família Vicenzi recebendo o certificado dos vereadores Ciro e Inácio

Loja e Supermercado Gheno

Silvio Gheno nasceu em 10 de junho de 1925 em Encantado (RS), filho de agricultores e em uma família de oito irmãos. Erna Marcon Gheno nasceu em 1° de julho de 1930, em São Valentim (RS), também filha de agricultores e em uma família de oito irmãos. Eles casaram-se em 23 de junho de 1951 em São Valentin (RS), onde residiram por um ano e meio. Então mudaram-se para Lajeado Grande, por um pequeno período, depois residiram por quase dois anos em Quilombo. Nesta época, Silvio fez duas viagens de Xaxim para Quilombo e nove viagens para Lajeado Grande, todas a pé, pois na época havia poucos meios de transporte e não existiam estradas.

Depois disso, voltaram a residir em Lajeado Grande, onde trabalhavam na compra e venda de suínos, cereais e armazém, com venda de alimentos e tecidos, onde permaneceram por 14 anos trabalhando com outros irmãos da família Gheno.

Mudaram-se para Xaxim no final de 1966, quando adquiriram as instalações do armazém e a loja de Afonso Pensin. A partir daí, ao lado da esposa e filhos, foram ampliando o ramo de atividades, passando pela compra e venda de suínos, cereais, loja e supermercado, agricultura, pecuária e transportadora de cargas frigoríficas. Atualmente, Silvio dedica-se em cuidar de sua granja, enquanto Erna ainda está trabalhando na sua loja.

Silvio Gheno, aos 94 anos, recebeu o certificado das mãos do vereador Inácio e Ledinho


Outras Notícias
Brasão

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plíno Arlindo Nês, 1105, Sala, 202, Centro