Close Menu

Busque por Palavra Chave

Piracanjuba - Mobile

Editorial | Carlos Moisés e sua vice são peçonhentos

Por: Editorial
29/07/2020 17:27
Mauricio Vieira/Secom

Como todo animal que expele veneno para impor respeito, assim é o governador e sua parceira de chapa. Ambos tem tido um papel de completo abandono aos catarinenses e, pior que serem indiferentes, são as atitudes vergonhosas que desenham ao longo da vida dentro do Estado. Não se pode falar vida pública porque, na verdade, nenhum deles tiveram qualquer passado nesta direção. São inexperientes em tudo. Nas ações e palavra.

O que se sabe, e isso é uma verdade, é que ambos não têm compromisso com os destinos de Santa Catarina. São obesos de incompetência fragilidades. Isso fica claro pela reação que seus advogados, utilizando das facilidades dos mecanismos de informações, ganharem argumentos para atacar pessoas cujas vidas estão presentes na história catarinense com fortes movimentações sociais. Por que eles são tão agressivos?

Porque nunca tiveram vida política, social ou partidária. Agem conforme a linha de cima para baixo, sem respeitar os debates, as ideais, os compromissos. Foi assim nestes 20 meses de administração iniciada em janeiro de 2019. Nunca conversaram com os empresários, entidades organizadas da sociedade, empresariais ou institucionais, com parlamentares, desembargadores, conselheiros do TCE, professores, alunos, idosos, profissionais liberais. Ficaram escondidos dentro dos seus espaços de descanso quando, na verdade, era para trabalhar.

Carlos Moisés e sua vice-governadora devem cair imediatamente. Se ele é ruim, ela é o dobro disso. Não tem qualquer preocupação com as causas dos catarinenses, de sua gente trabalhadora, dos compromissos de Estado. Se agora correm o sério risco de perderem o mandato, é porque amadureceu para isso. Não há qualquer fonte de negociação que possa fazer cada um deles removerem de gestos de frieza, estupidez, desrespeito e incapacidade demonstrada.

Se agora fazem o contra-ataque àqueles que estão na linha de combate contra suas inoperâncias, é porque estão observando o cenário real de tombo. Quem seria, neste caso, o vilão entre o papel da Assembleia e do Governo? A Alesc que quer tirar a inoperância, ineficácia e desrespeito ao catarinense ou o governador atolado em corrupção?

Chega destes brutos darem às costas, não agirem como líderes estaduais. Chega de tanta vergonha, falta de respeito, imoralidade, perseguição e arrocho político e intelectual. Basta de desmando, mentiras, rolos com o dinheiro público, gastos desnecessários, ofensas ao cidadão. Ninguém aguenta mais a falta de pulso no combate ao coronavírus, visão cega, estratégia zero. Se ninguém age contra toda esta ida ao abismo, então quem é que vai impedir o desastre total.

Quando este editorial pediu “Fora Moisés, fora Daniela Reinehr” foi porque já tem certeza de que eles são responsáveis por jogar SC no buraco da incompetência, do esquemão dos respiradores, dos hospitais de campanha, do entra e sai de secretários, inclusive presos, por colocar a mão no dinheiro do contribuinte.

Chega desta novela do mal. Agora é hora de limpar. Foi assim com Fernando Collor, com Dilma Rousseff, deve ser também com Moisés e Daniela. Ou eles vivem à custa do catarinense ou liberta-se o Estado para que possa voltar a crescer. Hoje, como se vê, está uma desgraça total. Fora Moisés e Daniela Reinehr sem qualquer constrangimento ou piedade política. Ou é eles ou serão os catarinenses.

Publicações Legais Mobile
Vederti Mobile
Sicoob Mobile
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro