Close Menu

Busque por Palavra Chave

Eleitor desmotivado; TSE preocupado; O protesto é não votar; Candidatos apreensivos; Laboratório de Ventríloquos

Por: Marcos Schettini
14/11/2020 16:04
Tamanho da fonte: A A
Piracanjuba - Desktop
Divulgação

Laboratório de enganação

Vários são os candidatos forjados em um lugar desconhecido e incerto que, do nada, aparecem como se fossem salvadores do mundo político, acima de Jesus e quase passando Deus. Estas personalidades feitas com pó de arroz, embonecados de juízes do Olimpo, sem pecado, divinos e intocáveis, são farsas. O cidadão já identificou todos eles como marionetes ou ventríloquo, aquela arte de projetar a voz, sem que se abra a boca ou movendo os lábios, práticas usadas para dar animação a um vivo-morto, evasivo e pobre de vida pública. Seria uma espécie de feitiçaria política para dar vida a uma múmia que diz ser o melhor, o bom, o inalcançável. Esta idiotice não cola mais junto ao cidadão. Ele, o eleitor, quer um líder cheirando a poeira, sujo de barro, com caráter e olhar de futuro. Não um Avatar travestido de gente boa. São José tem o Luizinho da Regional, Joinville o Adriano da Catarinense e Criciúma a Júlia Zanatta. E parou por aí.


ELE

O alto nível do candidato Moacir da Silva, servidor público demonstrado, dá um pulo significativo ao PDT na busca pela Prefeitura de São José. Formado e com conhecimento, o brizolista arrebanha votos da intelectualidade local. É um quadro com futuro político garantido.


ÂNIMOS

Mário Hildebrandt, candidato do Podemos em Blumenau, com excelentes índices de pesquisas que pode, inclusive, vencer a eleição em 1° turno, orientou o pessoal para manter a chama acesa, mas não baixar a guarda até às 17h de amanhã. Seriedade do prefeito pesa na decisão do eleitor.


ESVAZIAMENTO

As antigas badalações que marcavam as eleições em Blumenau, foram dissolvidas. O eleitor não aceita mais barulheira e falta de respeito. O processo político na terra da cerveja e do chopp ganhou altura e empobreceu os ataques. Mário Hildebrandt cresceu nesta identificação.


FATO

Udo Döhler jogou toda a força política em favor de Fernando Krelling. Assumiu de vez a candidatura do deputado estadual na busca da prefeitura tirando dúvidas de que iria se inclinar para qualquer outro nome no processo. O MDB reagiu forte na última semana.


TAMBÉM

Darci de Matos subiu mais nas pesquisas e começa a tirar os votos das demais chapas. Se consolida para ir ao 2° turno enfrentar Fernando Krelling em um processo eleitoral que diz muito do cenário de 2022. A divisão de ambos, como fim da tríplice, desenha os rumos.


ENTÃO

A ideia de levar o nome de Adriano da Catarinense para a eleição, não alcançou o trabalhador e o pessoal dos bairros. Já identificaram nele um candidato desconhecido da realidade e longe dos desejos do cidadão fora do eixo milionário. Cresceu, mas não assusta o resultado.


FABRICADO

Se a índole de Adriano Silva é o mínimo que se espera de um agente público, não é o suficiente. Como não sabe os nomes dos bairros e cheiro de povão, foi feito no laboratório da empresa que dirige. Este modelo de candidato não cola mais no eleitor.


SERVIÇOS

A candidatura de Tânia do Cidadania tem melhor evidência e luz eleitoral. Por ser mulher e com perfil já conhecido, vereadora e ex-secretária, trafega melhor no eleitor. Ela tem mais verdades a mostrar que Adriano Silva porque serviu ao cidadão em altura popular.


ACABOU

Candidatos sem identificação com o cidadão, não chega mais a lugar nenhum. Se não tiver um serviço de poeira, barro e marcas no rosto, o eleitor ignora. Ele ativa uma parte da sociedade, mas não no todo. Quem tem voz e valentia pública, tem sempre mais respeito. Eleição não é lugar de dondoca de nenhum gênero.


PERIGO

Todos os partidos e coligações, em todos os municípios do país, estão assustados com o crescimento das abstenções do eleitor nesta eleição. Estão sabendo, pelas leituras internas, que o cidadão vai boicotar o pleito e justificar depois.


MÁQUINA

Quem vai se beneficiar desta eleição manca, são todos os que detém o poder e, claro, aqueles apoiados pelos que saem. O eleitor está encharcado desta política barata e inodora. Se já era ruim, agora piorou.


MAPA

O cenário desta segunda-feira vai dizer muito de 2022. Como não tem obrigação nenhuma de exercer a escolha, vai ficar em casa assistindo às programações tolas que nutre sua idiotice. O cidadão está, nesta eleição, sendo estimulado a ignorar geral.


CORTINA

Como o eleitor vai ignorar sua ida às urnas, até porque não tem penalidade amanhã, o resultado que sair, não legitima quem chegou. O mostruário possível de 30%, é altíssimo para dizer que foi escolhido na força do cidadão. Portanto, 2022 não dá leitura do quem é quem.


PIOR

Os partidos estão observando o final do bandeiraço cansando os braços pelas ruas do país. O eleitor não dá a mínima. Cansaram e, como em 2018 mostraram isso, desiludiram total agora. Não acreditam mais.





Sicoob 2018 - Home
Vederti Chapecó
Publicações Legais
Rech

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro