Close Menu

Busque por Palavra Chave

O cenário que saiu das urnas; Nasce novas lideranças; Geovania e Paulinha; Udo Döhler é Adriano da Catarinense; Dário Berger e Antídio Lunelli

Por: Marcos Schettini
17/11/2020 10:37 - Atualizado em 17/11/2020 10:38
Tamanho da fonte: A A
Piracanjuba - Desktop
Arquivo/Lê Notícias

Dominus Vobiscum

Antídio Lunelli, o mais bolsonarista dos bolsonaristas, até pela força empresarial que demonstrou na chapa entre ele e o vice eleito, já começa a riscar o mapa político na majoritária de 2022 sem Udo Döhler no páreo. Como apoiou Adriano da Catarinense, fritando Fernando Krelling, o prefeito de Joinville perdeu espaço. O prefeito de Jaraguá do Sul vai chamar Dário Berger para uma conversa e construir o debate sucessório já em janeiro. Ele vai passar o governo, aos poucos, diga-se, ao parceiro de chapa, José Jair Franzner, agora vice eleito. Vai realizar em março do ano que vem um encontro ulyssista com todos os prefeitos e vices para desenhar o jogo. Quer se apresentar no sucesso administrativo que imprimiu na terra da WEG e justificar suas intenções políticas. O senador do MDB tem um trunfo junto às bases pela simpatia, recursos a granel que ofereceu nestes seis anos de mandato e por nunca ter perdido uma eleição. Vai dar boa esta disputa interna.


MOTIVAÇÃO

A vitória eleitoral de Orvino Coelho de Ávila em São José acendeu a interpretação de que, em 2020, a eleição se dá pela via da paciência e não daquela votação acéfala de clicar no número do candidato, sem ver, diga-se, pela rebeldia que 2018 coroou. O prefeito eleito tem o 2° maior número de mandatos a vereador do país.


ELE

A eleição de Pitanta em Palhoça confirma o raciocínio. O vereador com 11 legislaturas mostra que ele sobreviveu ao mandato que começou em 1976. Nirdo Artur Luz poderia ter sido eliminado em 2020, mas sua experiência falou melhor.


ELE

Nazareno Martins já sabe que o filho, atual prefeito de Palhoça, será o candidato a deputado estadual em 2022 pela conquista da eleição do sucessor Eduardo Freccia. O parlamentar, atuante na Casa, sacrifica sua carreira em favor do DNA pela promessa que Camilo Martins representa na Grande Florianópolis.


FORÇA

Ao derrotar os concorrentes em Palhoça, Eduardo Freccia olha para o lado. Vê Camilo Martins desenhando sua chegada a Alesc pela capacidade de construção que edificou neste governo. Não somente vai disputar para chegar, mas olhar adiante de 2022.


ELE

Clésio Salvaro, agora reeleito, olha a majoritária de 2022 e vai começar a rodar o Estado em visitas esporádicas. Quer desenhar este alcance discutindo com Jorginho Mello, Celso Maldaner e Napoleão Bernardes. Equação, ainda, descrente.


SUL

Julio Garcia deverá acenar qual será seu destino em 2022 e, independente da posição que seguir, será protagonista da construção daquele cenário. Líder habilidoso e de palavra forte, vai desenhar em conjunto com Clésio Salvaro.


PREPARO

A presidente do PSDB de SC saiu forte do pleito e vai voltar a correr o Estado no mesmo perfil feminino adotado em 2020. Geovania de Sá consagrou sua liderança e chama a atenção pela disposição política que abraçou. Ela hoje é um quadro considerável para o Senado.


MULHER

Ficou claro o desempenho de Geovania no PSDB e Ana Paula da Silva no PDT. Se a tucana voa em direção à majoritária de 2020 com sua silhueta definida, Paulinha em igual tamanho. Foi guerreira na defesa de Carlos Moisés que, se voltar, aposta na brizolista nas estaduais.


VENCEDORAS

Paulinha desenhou com Paulinho em Bombinhas o mesmo massacre eleitoral que Geovania com Clésio em Criciúma. Mulheres guerreiras e com discrição feminina, duas amazonas. Uma e outra em seus melhores tempos. Se saírem juntas, derrubam tudo.


VENCEDOR

Carlinhos Chiodini quer abraçar Cleiton Fossá pelo desempenho político demonstrado em Chapecó. O rapaz se consagrou para um projeto de futuro, inclusive Alesc. Em tese, O deputado planta um cenário ulyssista em um MDB que, na capital do Oeste, sempre foi falido.


REAL

O desempenho de Cláudio Vignatti em Chapecó foi abaixo do esperado por uma questão declarada. O PT não votou no ex-deputado e jogou boa parte deles em Cleiton Fossá. A União entre ele e Pedro Uczai não deu certo. Se o petista é truculento, o outro exala simpatia.


LIMPO

Marcio Sander saiu da eleição como entrou. Não atacou ninguém e fez a campanha mais limpa da história de Chapecó. Venceu pela honra que os demais não alcançam. Um rapaz do bem, jovem e preparado. O eleitor, como se vê, é míope.


ELA

Rose Maldaner venceu as eleições em Maravilha e olha 2022. A esposa do deputado federal e presidente do MDB de SC imprimiu espaço. Celso busca a majoritária e ela a Câmara dos Deputados com poder de chegada. Sai casada com Cleiton Fossá a estadual.


DESASTRE

O MDB sumiu da ilha de Zininho, o poeta mais sensível das belezas da Capital. Os ulyssistas amargaram uma derrota que conseguiu ser pior que o desempenho de Jair Fernandes do Partido da Causa Operária com 98 votos. E Dário Berger não falou nada.


MOVIMENTOS

Seja em Blumenau ou Joinville, os partidos começam a desenhar aproximação política com Mário Hildebrandt e João Paulo Kleinübing. Na Terra dos Príncipes os cuidados são para mexidas silenciosas. O eleitor de lá vai abominar aglomerado de siglas.


SÉRIO

Udo Döhler já tatuou na testa “Adriano da Catarinense”. O MDB em peso apostando no empresário que só chegou ao 2° turno pela amizade de seu pai com o atual prefeito. O candidato do Novo sempre foi o plano principal. Por isso Fernando Krelling foi sacrificado.


JOGO

O rapaz do Novo derrotou Fernando Krelling com a força de Udo Döhler porque Adriano transita nas mesmas células que o prefeito de Joinville. Fernando Krelling é um rapaz do bairro que desagradou a elite porque é fora deste eixo. A guerra acontece nos bastidores.


CERTÍSSIMO

Está correta a posição de Udo Döhler em apoiar Adriano Silva. Se não se falam abertamente, já se ajustam silenciosamente. Se Udo não apoia Darci de Matos, então está com o candidato do Novo que, agora, tem medo de assumir a relação.


AMIZADE

Se Adriano da Catarinense vencer a eleição, foi com apoio total de Udo e do MDB. Fernando Krelling está sendo orientado a sair de Joinville e não dar nenhuma declaração para o candidato do Novo, pensando em 2022. Se falar algo, tiram ele da Alesc.





Sicoob 2018 - Home
Vederti Chapecó
Publicações Legais
Rech

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro