Close Menu

Busque por Palavra Chave

O fim do Democratas; Empresários querem Lira; Os reflexos em SC; Joares Ponticelli gruda em Amin; MDB dividido; Nadal na presidência

Por: Marcos Schettini
01/02/2021 10:34
Rodolfo Espínola/Agência AL

Eleição na Alesc sem barulho

O único ruído que deve ganhar volume hoje na eleição da presidência da Assembleia Legislativa será Marcius Machado, o deputado lageano que, de posse de um documento assinado ainda em 2019, dá a ele apoio de Jorginho Mello e do líder da bancada a respaldar o parlamentar da região serrana como vice-presidente. Como o voto para a composição da Mesa é do plenário e não do partido, Nilso Berlanda vai manter o nome e disputar a indicação. O empresário tem relação boa com os demais pares e deverá ganhar força sobre seu colega de sigla. O deputado Maurício Eskudlark é abertamente defensor do nome de Berlanda e, por isso, o PL sai rachado na eleição de hoje. No encontro do partido em Florianópolis na última sexta, os liberais mostraram força e unidade. Nilso está tranquilo porque não tem afrontado. Machado, como o nome diz, decepa a Casa. Se depender dos quadros, ele está fora.


RIFA

ACM Neto colocou Rodrigo Maia na frigideira e retira todo o poder que o já ex-presidente da Câmara havia da própria sustentação. Com Arthur Lira assumindo o controle da Mesa, dificulta, muito mesmo, o projeto do governador paulista de desenhar sua ida à eleição presidencial.


MAPEAMENTO

Setores empresariais colocaram seus quadros para conhecer quem são os deputados federais que estão contra as pautas que lhes interessam. Neste caso, quem declarou voto a favor da instabilidade do presidente Jair Bolsonaro.


ENTÃO

Empresários querem destravar a máquina federal para privatizações e a reforma tributária que está diretamente ligada à economia. Fernando Marcondes de Mattos, CEO do Costão do Santinho, investindo 1 bilhão de reais no Oeste, é um entre milhares que torcem por Arthur Lira hoje à noite.


REFLEXOS

A confirmação de Arthur Lira tem imediata relação política na economia. O deputado do Progressistas será a maçaneta para o retorno de Jair Bolsonaro ao partido e, neste caso, a candidatura de Esperidião Amin a governador de SC sem entregar o bastão para Jorginho Mello.


DESENHO

Dentro do partido em SC, a motivação ganha altura. Com metade do mandato na mão, Esperidião poderia retornar à disputa por abrir em favor do PSD em 2018. Jorginho tem afinidade com Bolsonaro e contaria com o Progressistas para chegar ao governo.


JOGO

Jorginho é candidatíssimo a governador e quer o Progressistas e PSDB no jogo. Se encontrar dificuldades pela presença de Gelson Merisio na sigla, os tucanos avaliam que este é um cenário de fácil superação. Quem vai dizer isso é a convenção no ninho.


ELA

Geovania de Sá correu duas semanas vários municípios do Oeste, Meio Oeste e Norte. A deputada está em Brasília hoje e deverá votar a favor de Lira, inclusive declarando a intenção para olhar a majoritária em favor de Clésio Salvaro 2022.


SERENIDADE

O PSD está com Napoleão Bernardes e precisa suplantar o distanciamento das decisões políticas até 2022. Com a saída de Julio Garcia do controle da Mesa e o desgaste vivido pela Alcatraz, a sigla tropeça para ganhar o protagonismo perdido em 2018.


ESPAÇO

Joares Ponticelli é candidato a governador e deverá se encostar em Esperidião Amin para consolidar este desejo. Na disputa de 2014, ao lado de Paulo Bauer, não foi ao 2° turno por mínimos. Agora, o prefeito de Tubarão ganha altura. Se for para a disputa interna, prefere sair do Progressistas.


RACHADURA

O MDB vai viver dois grandes enfrentamentos internos em 2021. Deles, a convenção e as prévias para discutir a majoritária em 2022. Se houver o que ocorreu em 2019 quando Dário Berger e Celso Maldaner disputaram o controle ulyssista, vai haver defecções já em construção.


ELES

Antídio Lunelli, ligadíssimo a Jair Bolsonaro, olha a convenção com Carlos Chiodini na presidência do partido. Se isso não ocorrer, sai do MDB e leva um coletivo para um projeto novo. Não haverá mais clima de convivência se o grupo de Jaraguá do Sul não estiver na sucessão partidária em 2022.


CRESCIMENTO

O projeto Jorginho Mello 2022 tem atraído vários prefeitos e vices para o PL. Muitos deles estão amadurecendo a ida para o partido logo depois do entendimento da Mesa na Câmara. O senador vai varrer SC para uma convenção que deverá mostrar força em junho.



Anúncio Radial 2
Campanha Infraestrutura - Mobile
Campanha Agricultura - Mobile
Campanha Segurança Pública - Mobile
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro