Lê Notícias - - O fim do Democratas; Empresários querem Lira;...
Close Menu

Busque por Palavra Chave

O fim do Democratas; Empresários querem Lira; Os reflexos em SC; Joares Ponticelli gruda em Amin; MDB dividido; Nadal na presidência

Por: Marcos Schettini
01/02/2021 10:34
Rodolfo Espínola/Agência AL

Eleição na Alesc sem barulho

O único ruído que deve ganhar volume hoje na eleição da presidência da Assembleia Legislativa será Marcius Machado, o deputado lageano que, de posse de um documento assinado ainda em 2019, dá a ele apoio de Jorginho Mello e do líder da bancada a respaldar o parlamentar da região serrana como vice-presidente. Como o voto para a composição da Mesa é do plenário e não do partido, Nilso Berlanda vai manter o nome e disputar a indicação. O empresário tem relação boa com os demais pares e deverá ganhar força sobre seu colega de sigla. O deputado Maurício Eskudlark é abertamente defensor do nome de Berlanda e, por isso, o PL sai rachado na eleição de hoje. No encontro do partido em Florianópolis na última sexta, os liberais mostraram força e unidade. Nilso está tranquilo porque não tem afrontado. Machado, como o nome diz, decepa a Casa. Se depender dos quadros, ele está fora.


RIFA

ACM Neto colocou Rodrigo Maia na frigideira e retira todo o poder que o já ex-presidente da Câmara havia da própria sustentação. Com Arthur Lira assumindo o controle da Mesa, dificulta, muito mesmo, o projeto do governador paulista de desenhar sua ida à eleição presidencial.


MAPEAMENTO

Setores empresariais colocaram seus quadros para conhecer quem são os deputados federais que estão contra as pautas que lhes interessam. Neste caso, quem declarou voto a favor da instabilidade do presidente Jair Bolsonaro.


ENTÃO

Empresários querem destravar a máquina federal para privatizações e a reforma tributária que está diretamente ligada à economia. Fernando Marcondes de Mattos, CEO do Costão do Santinho, investindo 1 bilhão de reais no Oeste, é um entre milhares que torcem por Arthur Lira hoje à noite.


REFLEXOS

A confirmação de Arthur Lira tem imediata relação política na economia. O deputado do Progressistas será a maçaneta para o retorno de Jair Bolsonaro ao partido e, neste caso, a candidatura de Esperidião Amin a governador de SC sem entregar o bastão para Jorginho Mello.


DESENHO

Dentro do partido em SC, a motivação ganha altura. Com metade do mandato na mão, Esperidião poderia retornar à disputa por abrir em favor do PSD em 2018. Jorginho tem afinidade com Bolsonaro e contaria com o Progressistas para chegar ao governo.


JOGO

Jorginho é candidatíssimo a governador e quer o Progressistas e PSDB no jogo. Se encontrar dificuldades pela presença de Gelson Merisio na sigla, os tucanos avaliam que este é um cenário de fácil superação. Quem vai dizer isso é a convenção no ninho.


ELA

Geovania de Sá correu duas semanas vários municípios do Oeste, Meio Oeste e Norte. A deputada está em Brasília hoje e deverá votar a favor de Lira, inclusive declarando a intenção para olhar a majoritária em favor de Clésio Salvaro 2022.


SERENIDADE

O PSD está com Napoleão Bernardes e precisa suplantar o distanciamento das decisões políticas até 2022. Com a saída de Julio Garcia do controle da Mesa e o desgaste vivido pela Alcatraz, a sigla tropeça para ganhar o protagonismo perdido em 2018.


ESPAÇO

Joares Ponticelli é candidato a governador e deverá se encostar em Esperidião Amin para consolidar este desejo. Na disputa de 2014, ao lado de Paulo Bauer, não foi ao 2° turno por mínimos. Agora, o prefeito de Tubarão ganha altura. Se for para a disputa interna, prefere sair do Progressistas.


RACHADURA

O MDB vai viver dois grandes enfrentamentos internos em 2021. Deles, a convenção e as prévias para discutir a majoritária em 2022. Se houver o que ocorreu em 2019 quando Dário Berger e Celso Maldaner disputaram o controle ulyssista, vai haver defecções já em construção.


ELES

Antídio Lunelli, ligadíssimo a Jair Bolsonaro, olha a convenção com Carlos Chiodini na presidência do partido. Se isso não ocorrer, sai do MDB e leva um coletivo para um projeto novo. Não haverá mais clima de convivência se o grupo de Jaraguá do Sul não estiver na sucessão partidária em 2022.


CRESCIMENTO

O projeto Jorginho Mello 2022 tem atraído vários prefeitos e vices para o PL. Muitos deles estão amadurecendo a ida para o partido logo depois do entendimento da Mesa na Câmara. O senador vai varrer SC para uma convenção que deverá mostrar força em junho.



Prefeitura de Chapecó
Semasa Itajaí
Unochapecó
Prefeitura Floripa Junho
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro