Close Menu

Busque por Palavra Chave

Daniela Reinehr perdida; A vice indesejada; Cobalchini inteligente; Cadê as vacinas, governador?; Constituição para quê?

Por: Marcos Schettini
24/02/2021 12:01
Divulgação

Janaína poderosa

Os ataques que aquele acéfalo deputado federal disparou contra o Poder Judiciário, jogando ódio e sangue na toga do STF, não somente deve perder o mandato, mas ser levado à Alcatraz e ficar por lá, claro que longe da cela de Clint Eastwood para que não fuja. Mas em SC, a magistrada assumiu sua perseguição pessoal contra o deputado Julio Garcia. Deve ter um leque de motivos para bater de frente com seus superiores e mostrar sua imponência perante a Constituição. Na sociedade racional, que domina o direito e rumina-se nisso, chegou-se ao senso comum de que a juíza age por conta própria. Como imagina-se longe do cidadão que não tem acesso ao piso em que anda, percebe-se na fenda sem acesso. O deputado federal Daniel Silveira, o chorume do Congresso, é um exemplo patético de que atacar a Justiça é como atirar em direção ao Olimpo. Lá, deuses se melecam de poder e jorram sobre seus súditos a autoridade inatingível. Ainda não existe vacina contra abuso de Poder. Se tivesse, a Constituição seria a cura.


ACEFALIA

A vice-governadora andou mexendo forte para derrubar o governador Carlos Moisés oferecendo o que não tem para conseguir apoio. Foi atrás de deputados estaduais e até Brasília. Patética, não cansa de errar. Quer o caos e o poder.


TOLA

Daniela Reinehr é o resto de um desastre. O impeachment morreu e ela junto. Aquele voto de seu não menos patético naquele dia funesto, revelou esta turma azeda de 2018. A desistência do pedido de impeachment, é um sinal de que tudo morreu.


FUNESTA

Daniela Reinehr só tem uma atribuição ali e lá porque Carlos Moisés é educado. O governador já deveria ter enterrado este corpo político há tempos. É só tirar dela tudo o que pode, ignorar, isolar e jogar no cemitério dos tolos.


ELE

Valdir Cobalchini, relator do pedido de impeachment, tem fartura de argumentos para votar contra o que redigiu. Até porque, depois da PF afirmar a não participação de Carlos Moisés, derruba tudo. Além do MP e STJ. Portanto, rejeitem e seguem-se em frente.


ALTURA

Valdir Cobalchini é um parlamentar inteligente, audaz e voltado ao cidadão. Tem um mandato brilhante e um projeto de sucesso em busca de Brasília. Não vai ficar perdendo tempo com um relatório pífio e morto que, no final, beneficia uma tola vice-governadora em uma SC cheia de problemas.


ENTÃO

Se um sentenciado está prestes a ser eletrocutado e aparecem provas de sua inocência, não há porque dar continuidade à pena capital. O deputado estadual Valdir Cobalchini deve ir pela razão. O Estado tem mais o que fazer.


TRABALHAR

Carlos Moisés precisa assumir o protagonismo de SC e solucionar o problema da vacina que apanha dos cemitérios e hospitais. Faça acontecer e mostre o rosto ao cidadão. Está perdendo um tempo precioso e não pode voltar a ser cansativo.


OBSERVAÇÃO

A sua incompetente parceira de chapa, levitando sobre as próprias tolices, se aproveita do caos da pandemia olhando a cadeira do Centro Administrativo. Moisés deve arregaçar as calças e entrar no mangue do coronavírus chutando e resolvendo. Cadê as vacinas?


CHORONA

A vice de Moisés é uma coisa estranha, sem forma e inodora. Um problema³. Além de patética e sem chão político, um desastre total. Deixem-na lacrimejar à vontade e remem sobre esta enchente. SC é um lugar para razão e não loucos.


REAL

Ao assediar deputados para tomar o lugar do titular, Daniela faz suas patetices um show. Evasiva e pobre, desarticulada e só, sabia que a única pessoa capaz de fazer Carlos Moisés voltar ao poder, era ela. Se ainda não se convenceu, vá a um espelho.


RECADO

O governador deve, agora, neste momento, tirar tudo o que pode da vice. Não há porque dar a ela as garantias de suas patetices com o custo público. Se é para o cidadão ver uma pseudo liderança assumir SC, então façam como Getúlio Vargas.


MOBILIZAÇÃO

João Rodrigues reuniu boa parte da bancada federal para a reunião com o ministro da Saúde. Digitais de Jorginho Mello nestas mexidas, o prefeito volta com a esperança de soluções dos próprios erros que cometeu. Carlos Moisés, como governador, fez bem menos que isso.


GOVERNADOR

Precisa liderar, mostrar pulso, gritar, virar a mesa, mostrar altura. Está perdendo a guerra para o coronavírus e será responsabilizado por isso. Tem razão Gelson Merisio quando manda o recado. Ou se é governador ou brinca-se disso. Vá e vença.


RETORNO

Devido ao abandono observado, entidades ligadas aos caminhoneiros querem que o ex-deputado Manoel Mota dispute a eleição para deputado estadual no ano que vem. Sentem-se sós e querem a voz do seu líder novamente na Alesc. Quem imaginava.


FORTE

O retorno de Silvio Dreveck para o parlamento, animou a militância ligada ao deputado. Já começam as movimentações para montar uma estrutura política forte em São Bento para o retorno político, com cadeira real, em 2022. O presidente do Progressistas animado e juntando força.



Covidômetro - Florianópolis - Maio
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro