Close Menu

Busque por Palavra Chave

Deus e vida não são nada; O desprezo pela tecnologia; O Trio da Saúde em SC; PSD cerca Colombo; JKB de volta; Jorginho Mello no todo

Por: Marcos Schettini
02/03/2021 09:28
Alan Santos/PR

Jorginho Mello na crista do Poder

O senador tem portas abertas no Palácio do Planalto. Entra e sai de qualquer ministério, tem posição importante na Mesa do Senado, preside um partido que cresce em SC, ganhou respeito nacional ao criar o Pronampe, que jogou ar no peito das empresas asfixiados pela pandemia. Com o Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, injetou bilhões na economia e tirou-as da falência. Isso quer dizer que o líder do PL multiplicou sua força política e sintoniza-se no cenário nacional. Em qualquer evento que Jair Bolsonaro realiza, dentro e fora do Estado, o filho de Ibicaré é convidado a estar presente. É o quadro ideal que o PIB começa a olhar com sensibilidade para a sucessão do ano que vem. Ele sabe jogar e tem vencido vários embates políticos. Se não for para o TCU, será candidato a governador em voz casada com o gabinete presidencial. Se o presidente da República ficar em alta, sobe junto. Nunca um candidato à Casa d’Agronômica esteve em tão confortável posição.


PESO

Qualquer correntista mexe hoje em sua conta bancária pelo celular em qualquer lugar. Nada é mais importante que o dinheiro. Entre Deus e notas de 200, a humanidade fica com o 2°. A pandemia está abaixo da economia e acima da vida.


ENTÃO

Gean Loureiro pedir desculpas, é mais por um gesto de educação. Se uma pessoa sob pressão permanente altíssima, há dois anos sob a mira de órgãos públicos judiciais e eleitorais, além de uma pandemia perversa e assassina, não pode tirar um descanso, o ser humano chegou em seu inferno.


TECNOLOGIA

Tanto o interino quanto o titular em férias, estavam em plena e total sintonia de ações com o grupo de trabalho. A sociedade é mais perversa que se imagina e condena tolices que ela mesma exerce. O Brasil é perseguidor e insano. Que inferno.


RACIOCÍNIO

Marcello Petrelli gravou um vídeo sobre a importância da Petrobras para os brasileiros. Não condena os acionistas que lucram fortunas, mas defende a estatal para o cidadão. Não disse, mas o preço dos combustíveis, chegando à loucura, pode ser o estopim de 2022.


DISPOSIÇÃO

Eduardo Freccia ofereceu a estrutura do município para pacientes em situação de risco de morte por Covid-19. A sensibilidade do prefeito de Palhoça mostra o controle da administração em relação à pandemia e se soma na batalha que, observada, está sendo perdida.


DESPERDÍCIO

O governador de SC não observou a riqueza de conhecimento expressa em Carmen Zanotto, Neodi Saretta e Jailson Lima. A deputada federal é inegavelmente dominante no assunto da pandemia ao lado do deputado estadual de Concórdia e do ex-deputado hoje na Fecam.


DOMINANTES

Zanotto tem talento científico e político, para assumir, já, agora, o Ministério da Saúde. A parlamentar tem curva de sensibilidade inigualável em soluções e atitudes no campo sanitário e econômico. Se estivesse no centro de decisões, todo este quadro infernal, seria diferente e em favor da coerência.


IGUAL

Neodi Saretta debate como ninguém a questão da pandemia na Comissão de Saúde da Alesc. O parlamentar é um quadro discreto, de atitudes rápidas e personalidade humana nunca visto. Se o governador seguir à risca as discussões feitas na Assembleia, retoma o controle.


ELE

Jailson Lima, ex-deputado estadual e ex-prefeito de Rio do Sul, tem sido peça chave ao lado de Clenilton Pereira na Fecam que levou a entidade ao Butantan na busca da vacina quando não havia movimentação neste sentido. Foi esta iniciativa que mobilizou os prefeitos do país a gritar pelas imunizações.


OCUPAÇÃO

Raimundo Colombo está permanentemente ocupando as redes sociais para fortalecer seu projeto político no ano que vem. Critica e propõe assuntos ligados à pandemia e economia para colocar sua liderança no debate sucessório com sua presença na majoritária.


RISCO

O ex-governador vive um colapso político depois daquele resultado desastroso nas eleições de 2018. Ele olha Brasília como senador, mas pode ter muita dificuldade para encontrar eco político, bem mais que a presença na majoritária, para consolidar este jogo de incertezas.


RETORNO

Vacinado ontem em São Paulo, Jorge Bornhausen volta às discussões em torno do cenário eleitoral do ano que vem. Se o ex-governador seguiu à risca seu isolamento, imunizado é voz corrente ao lado de FHC e Geraldo Alckmin. Reinicia-se no jogo eleitoral do país.



Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro