Close Menu

Busque por Palavra Chave

Política não há acordo; SC em queda; Dois impeachment para fortes; O inferno da vida pública; A derrota do Oeste

Por: Marcos Schettini
27/03/2021 10:28 - Atualizado em 27/03/2021 10:29
Fotos: Maurício Vieira/Secom

Arrastado para o inferno

A cena é aquela onde pessoas estão em volta de uma fogueira, falando de futuro e marcas do passado. Bebendo algo, comendo brioches e marshmallow em paz e no sereno da noite quando, do nada, vê abrir-se o chão e todos serem tragados para um lugar onde há choro e ranger de dentes. Lá, neste lugar, compreenderam o assassinato que cometeram desde 2013 quando, por apenas 0,20 centavos de aumento na tarifa de ônibus, passaram pela catraca de 2018. Conseguiram trocar o céu pelo inferno e beijar a mão do diabo em uma subserviência nunca observada. Vê desaparecer tudo e o cheiro do enxofre chegam-lhes às narinas. Agora é assim. Pagam seus pecados de negar a política. Geraldo Alckmin foi trocado no 1° turno e Gelson Merisio no 2°. Carlos Moisés paga pelas escolhas que fez. Enviado ao Sublime, é trocado pelo brutal. O diabo, de fato, veste Prada.


POLÍTICA

É para quem tem palavra e compromisso. O afastamento de Carlos Moisés, duas vezes, se deu pela palavra dada dos deputados membros. Como não se faz mais Jorges Bornhausens, qualquer resultado fora disso, não surpreende. Jogo político traz tudo.


ENTÃO

A agora patética governadora, vai continuar sendo a mesma oca de antes do voto do Laércio Schuster. O voto do deputado é apenas o cheiro que exala da mente dela. Não assusta em nada porque, no final, vão para o mesmo ralo.


GUETO

Agora é hora de resistir como os judeus. O nazismo joga-os no bairro destruído, mas no final os aliados derrubam e os libertam. A patetice é como o Ever Given impedindo o tráfego no canal de Suez, demora um pouco, mas depois é retirado.


IGUAIS

O resultado da votação com o voto do deputado Laércio, já havia sido identificado. Teria dado a palavra dentro das circunstâncias, mas como o seu outro colega no primeiro pedido de impeachment, roeu. Como se sabe, porco-espinho só se reproduz com outro.


ELES

A patética só chegou ao resultado agora conquistado, porque precisou ter ao seu lado o que há de mais baixo na vida política. Sem os traidores, não chega nunca. É como esquartejar Tiradentes. Para alcançar este objetivo, foi necessário Silvério dos Reis infiltrado.


PARABÉNS

Agora serão premiados com o tamanho de suas atitudes. Sargento Lima e Laércio Schuster terão no governo o espaço merecido. O maior prêmio é conviver com sua patética chefe. Passarinho que voa com morcego, acaba dormindo de ponta cabeça.


BACANA

Toda esta lambança saiu dos dedos de 2018. Foi o ano da desgraça geral que insiste em exalar seu cheiro. É como um gambá que ninguém quer perto, mas todos sabem que está por ali. Inalam este odor, mentindo satisfação, mas torcendo o nariz pelo próprio excremento.


ERROS

A forma como a política se desenha é fantástica. Os homens públicos, com exceções, não pegam ninguém de surpresa. Está impresso nas performances de Sargento Lima e Laércio Schuster. São o subproduto do que há de mais nefasto.


DIFERENÇAS

Carlos Moisés é infinitamente superior a Daniela Reinehr, mas ambos se completam. Ele por não ter visto isso, ela por ser tão patética e usada para fins. A agora governadora é só uma banana em madura aceleração.


HOMENAGEM

Daniela Reinehr deve oferecer um tributo ao seu pai por tudo aquilo que ele ensinou. Um apaixonado pelo nazismo e que vê na suástica seu prazer político, sabe que a fruta só cai longe do pé quando a árvore está plantada na beira do abismo.


CONSEQUÊNCIAS

Com a queda de Moisés, cai também Altair Silva da Secretaria da Agricultura e Gigante Buligon do Desenvolvimento. A derrota do Oeste é total. Embora Daniela Reinehr seja da região, ela é incompetente e inconsequente suficiente para manchar a luta histórica dos interesses desse povo.


DESCONSTRUÇÃO

Altair Silva e Gigante Buligon ficam moralmente impedidos de continuarem nas pastas da Agricultura e Desenvolvimento, até porque são nomes da amizade pessoal de Carlos Moisés. Assim, o desastre maior é do Progressistas. Perde importante espaço no setor do agronegócio e derruba o presidente do partido na Alesc. Silvio Dreveck volta ao ponto inicial.


CERTO

Eron Giordani na Casa Civil iniciaria um jogo de construção importante para Poder do Oeste. Mas o jogo, por trás das arquibancadas, elimina o óbvio. O interesse em derrubar sua presença política, ocorre desde 2018.


PREJUDICIAL

Com este tropeço total, as consequências serão desastrosas e vai ter também em 2022. Enganam-se aqueles que se imaginam não observados. Os fantasmas que assinaram este tombo, com um pouco de farinha trigo, se revelam. Jogo é duro.


QUADRO

O MDB, obeso no governo deposto, está em uma tremenda calça jeans, apertada pelas circunstâncias. O cenário agora é saber qual o destino da bancada que, tropeçada junto, vai se guiar. Estão nos braços da serpente cuspideira.


2022

Dário Berger, Gelson Merisio, Antídio Lunelli, Jorginho Mello e Gean Loureiro, são os guias da salvação. Seja eles em que posição estiverem, para enterrar de vez este 2018 em necrose. O atual quadro é uma sexta-feira 13 de Freddy Krueger e Jason Voorhees. Socorro.



Covidômetro - Florianópolis - Maio
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro