Close Menu

Busque por Palavra Chave

Transparência Criciúma

QUERIDINHO DO INVERNO

Fogão a lenha: agradável tradição requer cuidados especiais

Por: Felipe Giachini
03/07/2017 11:49 - Atualizado em 03/07/2017 11:49
Companheiro das manhãs, chimarrão é saboreado até que o almoço fica pronto (Foto: Felipe Giachini) Companheiro das manhãs, chimarrão é saboreado até que o almoço fica pronto (Foto: Felipe Giachini)

O inverno iniciou oficialmente na última semana. As baixas temperaturas da estação que, mesmo tendo aumentado na região nestes dias, trazem uma tradição de longa data: o fogão a lenha. O aconchego de sentar-se ao lado do calor e esquentar-se acompanhado do chimarrão pelas manhãs frias é aguardado por muitas famílias. Algumas aproveitam para preparar as refeições, tendo em vista a praticidade e economia de gás, como é o caso de dona Josefina Mariani, de 76 anos.

A aposentada acorda cedo e, por volta das 8h, já prepara os cavaquinhos, que são posicionados um a um no interior do utensílio doméstico. Um montinho é organizado com as lascas de madeira até que o fósforo seja riscado e o fogo inicie em pequena proporção. Aos poucos, pedaços maiores de lenha são introduzidos no fogão e, na esperança que o fogo se alastre no compartimento, a chaleira já é preparada com a água da torneira. No armário, o pacote de erva-mate, já pela metade, é apanhado para encher a cuia de purungo. Logo, o chimarrão fica pronto e, mais do que degustar da bebida tradicional ao lado do companheiro já aquecido, a sensação de tranquilidade perdura até a hora de preparar o almoço. As panelas são colocadas sobre a chapa, só aguardando a comida ficar pronta. O filho Neri, a nora Lenita e os netos Emerson e Douglas esperam ansiosos pela “comida de vó” preparada com tanto amor.

Como a casa não é tão grande, não demora muito para que ela fique totalmente aquecida. Após o almoço o fogão é desligado. No chão, um pano para tirar os resíduos que caíram da madeira. No caso de dona Josefina, o fogão fica na cozinha e próximo a uma janela, o que permite a ventilação do ar. Abertura essa que é recomendada pelos bombeiros, afinal evita que o ambiente fique sem renovação do oxigênio, o que pode gerar problemas de saúde aos moradores, bem como ocorrer desmaios.

Outra questão que deve ser levada à risca pela população é a prevenção de possíveis incêndios, situação comum nessa época do ano em decorrência da frequente utilização de fogões a lenha, lareiras e aquecedores. Conforme explica o comandante do Corpo de Bombeiros Militar de Xaxim, tenente Rangel Kehl, “esses queimadores devem ser instalados em locais seguros, buscando manter distância de cortinas, tubulações de gás, móveis e qualquer objeto inflamável”. Ele recomenda ainda que não se deve deixar objetos que possam incendiar perto desses locais e que o cuidado com crianças deve ser redobrado. “Muitas vezes as crianças querem colocar lenhas ou papeis nos fogões, por exemplo, mas podem, além de se queimarem, deixarem cair fagulhas ou pedaços de brasa pelo chão e, como é comum as pessoas colocarem tapetes próximos, isso pode iniciar um incêndio.”

Em frente a lareiras, o ideal, de acordo com ele, é que se coloque uma tela de proteção metálica e não de madeiras, pois ela pode aquecer ou entrar em contato com alguma fagulha e pegar fogo. Nessa época, principalmente em dias frios, muitas pessoas deixam roupas e calçados para secar próximos a esses móveis. Segundo Kehl, é comum que ocorram princípios de incêndio por conta de roupas e calçados e que estes devem ser deixados um pouco afastados desses fogões, lareiras e aquecedores. “O ideal é que, se for colocar um varal, coloque no ambiente, não tão próximo ao queimador”.

Em princípios de incêndio, o tenente recomenda que o fogo deve ser controlado imediatamente, seja com mangueiras, recipientes com água ou extintores, e, caso os moradores não tenham segurança para isso, deve-se afastar-se e chamar os bombeiros. Já em casos de queimadura, de modo geral, a orientação é de que a pessoa, imediatamente após o acidente, deixe o local ferido embaixo de uma torneira com água fria e corrente, assim irá manter o local hidratado e resfria-lo, o que causará alívio na dor. Também não se deve colocar nenhum outro produto sobre a pele, “nem vinagre, creme dental ou outro produto, o que pode agravar ainda mais a lesão”.


Outras Notícias
Transparência Criciúma 2
Anúncio Radial 2
Palhoça Parques
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro