Close Menu

Busque por Palavra Chave

SP Convention

Presidente do IMA vistoria retirada de óleo no mangue do Itacorubi

IMA O óleo encontrado pela equipe na água seguirá para uma análise mais detalhada de caracterização O óleo encontrado pela equipe na água seguirá para uma análise mais detalhada de caracterização

O presidente do Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), Daniel Vinicius Netto, esteve na manhã desta quarta-feira (10), na bacia do Itacorubi para acompanhar os serviços da empresa contratada pelo IMA para retirar o óleo encontrado junto aos jacarés mortos no último sábado (06).

Todo o trabalho no local está sendo acompanhado pelo IMA por meio da Diretoria de Regularização Ambiental na fiscalização dos pontos, Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental na avaliação do passivo ambiental e análises químicas, e a Diretoria de Biodiversidade e Florestas para avaliação dos animais.

A ação também conta com o apoio da Defesa Civil, Polícia Militar Ambiental, Polícia Militar, Polícia Civil, Instituto Geral de Perícias, Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Florianópolis, Comcap e Floram, para que a recuperação ambiental no local possa ser viabilizada.

“Recebemos as informações da ocorrência no domingo, e desde então nossas equipes começaram a trabalhar no local. A fiscalização do IMA utilizou equipamentos como drones para apurar o foco do vazamento, contratamos a empresa especializada de forma emergencial para recolher o produto, e hoje estamos acompanhando essa fase final da ação para a remoção dos resíduos restantes que serão transportados para um aterro especializado”, explicou o presidente.

O óleo encontrado na água seguirá para uma análise mais detalhada de caracterização e, em seguida, será comparado com outras amostras que serão coletadas ao longo dos canais, o que irá auxiliar no processo de identificação da origem do vazamento.

A vistoria contou com a presença do diretor Administrativo do IMA, André Luiz Dias Mello, o Gerente de Fiscalização em exercício, Anderson Ricardo Staub, além das equipes da Gerência de Licenciamento Ambiental de Atividades Estratégicas (Gelae), Gerente de Fiscalização Ambiental (Gefis) e Gerência de Emergências e Passivos Ambientais (Gepas), que estão colaborando em tempo integral com a ocorrência.

INVESTIGAÇÃO DE JACARÉS MORTOS
Uma das carcaças dos jacarés mortos foi levada para o Cetas, acondicionada em um freezer e agora será analisada por peritos do IGP. Serão analisados os aspectos externos e internos da carcaça, efetuado registro fotográfico e coleta de material para análise em laboratório especializado.

Segundo a literatura, um laudo de necrópsia pode levar até 30 dias para ser emitido e pode não ser conclusivo. Em caso de identificação dos responsáveis os mesmos poderão responder administrativa, civil e criminalmente por crime ambiental podendo haver enquadramento por maus tratos aos animais.


Outras Notícias
Sindifisco
Alesc - Outubro - Mobile
Essenciais de Verão
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro