Close Menu

Busque por Palavra Chave

AQUI TEM GOVERNO

XXI Feira do Mel de Santa Catarina será nas ruas de Florianópolis

Por: LÊ NOTÍCIAS
04/05/2022 10:26 - Atualizado em 17/05/2022 21:11
Cristina Gallo A Feira do Mel em 2022 volta a ser presencial depois de dois anos virtual, por conta da pandemia, no centro de Florianópolis, no Largo da Alfândega, de 11 a 14 de maio A Feira do Mel em 2022 volta a ser presencial depois de dois anos virtual, por conta da pandemia, no centro de Florianópolis, no Largo da Alfândega, de 11 a 14 de maio

Depois de dois anos no mundo virtual, por conta da pandemia, a Feira do Mel de Santa Catarina retorna para as ruas do centro de Florianópolis e realiza sua 21ª edição no Largo da Alfândega, de 11 a 14 de maio, cheia de novidades.

A feira vai ter 50 metros de comprimento, onde 19 produtores vão expor seus méis e derivados. A organização é da Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de Santa Catarina, Epagri, Sebrae-SC e prefeitura de Florianópolis. A abertura oficial vai acontecer no dia 11, às 10hs, no corredor da Feira.

Quem não estiver em Florianópolis continua tendo o site para fazer suas compras on-line, plataforma criada por conta da pandemia. No site você escolhe o produto e entra em contato direto com o produtor para realizar a compra. O objetivo é ligar as duas pontas da cadeia, sem intermediário. Encomendas podem ser encaminhadas a todo Brasil.

A Faasc vai realizar esse ano uma campanha do agasalho e de arrecadação de alimentos. Pela feira costumam passar em torno de 10 mil pessoas diariamente e a federação quer incentivar a solidariedade no visitantes. As doações poderão ser deixadas no estande da Faasc durante os dias da feira. As roupas e alimentos arrecadados serão encaminhadas para o Lar Recanto do Carinho e para o Asilo Irmão Joaquim, ambos em Florianópolis.

A Epagri, uma das organizadoras da Feira, fará a apresentação de seus trabalhos na área de apicultura e meliponicultura, exposição de Plantas alimentícias Não Convencionais (PANCs) e Pintura com tintas ecológicas - Cores da Terra. Quem quiser conhecer um pouco mais sobre o universo das abelhas e seus produtos a Epagri vai realizar um passeio técnico na feira para crianças. Além disso haverá também a distribuição de mudas de árvores nativas da mata atlântica.

No passeio técnico um especialista vai explicar como as abelhas produzem o mel, quais os tipos de méis, os produtos das abelhas, a importância da abelha para o meio ambiente e para a sociedade, entre outros. Os passeios técnicos vão acontecer na quarta (11), quinta (12) e sexta (13), no período entre 11h e 16h, e sábado, às 10hs, com duração de 20 a 30 minutos. Para participar, inclusive grupos de escola que costumam visitar a feira, basta estar no local, nos horários disponíveis.

Uma das novidades deste ano é a exposição de uma maquete da Ponte Hercílio Luz, feita todinha de biscoito de mel. A obra é de Valkíria Buss, que trabalha com a produção de biscoitos. Além disso, ela vai oferecer uma oficina gratuita de confeito de biscoito de mel. A oficina vai acontecer na quarta (11), quinta (12) e sexta (13) de manhã, das 10h às 12h e à tarde, das 14h às 16h, com duração de 20min cada. Serão quatro pessoas por oficina e a participação será por ordem de chegada.

A feira também está disponibilizando três livros de receitas que podem ser baixados no link. São receitas tradicionais e outras desenvolvidas por produtores de toda Santa Catarina, com o mel como elemento principal. No link você vai encontrar os livros Mel na Culinária, da Epagri, Receitas com Mel, da Faasc e o Mel da Gastronomia, da professora Helenora da Rosa.

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) também vai desenvolver ações na Feira, através do Núcleo de Pesquisas Avançadas em Produtos da Colmeia. Haverá uma exposição de banners com as propriedades dos méis de abelhas sem ferrão e do mel de melato de bracatinga e material informativo sobre fraudes e adulterações em méis. Inclusive será realizado um ensaio físico-químico para detectar fraude em mel por adição de açúcar (teste do Lugol). A universidade vai fazer também uma exposição de méis florais (cristalizado e fluido), de abelhas sem ferrão e de melato da bracatinga, explorando suas diferenças sensoriais. Os visitantes terão a oportunidade de responder a um Quis com perguntas sobre os diferentes tipos de méis com distribuição de brinde.

O Núcleo de Estudos em Abelhas, Produtos Apícolas e Polinização (UFSC) vai apresentar informações sobre cochonilhas, bracatinga e produção do melato; abelhas sem ferrão, com demonstração de cinco espécies mantidas pela maioria dos meliponicultores de SC, com destaque para Tetragonisca angustula e Melipona quadrifasciata e pesquisas com Apis x agrotóxicos e ASF x paisagem. Haverá ainda caixas didáticas com espécies de abelhas (geral) e castas de Apis melífera.

MELADO DE BRACATINGA

2022 é ano de produção de Melato de Bracatinga, O melato é produzido somente em anos pares no Planalto catarinense, entre os meses de março a maio. Ele não vem do néctar das flores, e sim de fluídos expelidos pela árvore bracatinga, misturados a enzimas produzidas por cochonilhas, que são insetos sugadores que atacam o tronco do vegetal.

Segundo Cella, esse é um mel único, de coloração escura, bastante apreciado e valorizado no exterior. A maior parte da produção mundial, entre 70 e 80%, se concentra na serra catarinense e por conta disse esse mel está em processo para receber o Índice Geográfico. De acordo com o Sebrae o selo de indicação geográfica é uma garantia para o consumidor, pois comprova que o produto é genuíno e possui qualidades particulares, ligadas à sua origem”.

PRODUTIVIDADE CATARINENSE

A produção da última safra de mel catarinense ficou em 6,5 mil toneladas. A estimativa é apontada pelo levantamento feito pela Epagri e Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de Santa Catarina (Faasc) junto aos produtores do estado. Devido aos investimentos feitos na área desde 2013 pelo governo, federações, fundações e universidades, Santa Catarina tem a maior produtividade do Brasil, são 68 kg/km2, enquanto os outros estados produzem em média 5 kg/km2.

HISTÓRICO

A atividade apícola em Santa Catarina, de forma racional, iniciou-se na década de 60 com os pioneiros Helmuth Wiese e Eloy Puttkammer, quando ainda predominava a abelha europeia. Em 1964 chegou a abelha africana causando um grande impacto no desenvolvimento da atividade. Depois de muitos estudos e adequações, criou-se uma tecnologia compatível com a agressividade dessas abelhas.

Para isso foi necessário o fortalecer o associativismo com a criação de associações regionais, que resultou em 1979 na Federação das Associações de Apicultores e Meliponicultores de Santa Catarina – Faasc. Neste ano a Faasc participou do Congresso Mundial de Apicultura (Apimondia) na Grécia, conquistando o título de melhor mel do mundo. Título repetido pela empresa Prodapys, de Araranguá, nos congressos da Austrália em 2007, Ucrânia 2013, Coréia do Sul em 2015 e Turquia em 2017 e Canadá em 2019.

Em 2013 iniciou-se o fortalecimento da apicultura. Numa articulação liderada pelo associativismo apícola, iniciou-se uma força-tarefa para o desenvolvimento da apicultura catarinense, com a Faasc, Epagri, Senar, Sebrae, UFSC, Fundação Banco do Brasil, secretaria de estado da Agricultura e Pesca, com apoio da iniciativa privada envolvida na cadeia produtiva, se concretizando em 2014.

A Faasc com o patrocínio da Fundação Banco do Brasil/BNDES e Sebrae e apoio da Epagri, Senar e UFSC, realizou o diagnóstico apícola do estado. São nove mil apicultores, com 323 mil colmeias, que produzem em anos de safras normais 6.500 toneladas de mel em uma área de 95.346 km², atingindo a produtividade de 68 kg/km² a maior do país, que produz em média 5 kg/km².

Isto é resultado do mutirão iniciado em 2013. Temos uma apicultura desenvolvida, tornando-se a principal fonte de renda em centenas de propriedades catarinenses. Podemos dizer que não tem um dia que não tenha uma atividade rumo ao desenvolvimento da apicultura do nosso estado.

PREÇO DO MEL

Como acontece todos os anos o valor do mel será tabelado, sendo que o quilo do mel multifloral será comercializado a R$ 35,00. O mel orgânico e melato de bracatinga serão vendidos ao preço de R$ 45,00 o quilo. Os demais produtos são de livre comercialização entre consumidor e produtor.

  • pote de 1 kg mel multifloral: 35,00
  • pote de 0,5 kg, mel multifloral: 20,00
  • pote de 1 kg, mel orgânico: 45,00
  • pote de 0,5 kg, mel orgânico: 25,00
  • melato de bracatinga 1 kg: 45,00
  • melato de bracatinga 0,5 kg: 25,00
  • mel de canudo de pito, uva do japão e eucalipto 1 kg: 40,00
  • mel de canudo de pito, uva do japão e eucalipto 0,5 kg: 23,00
  • Caixa fechada deverá ser vendida no mesmo valor.
  • demais produtos como, baldes 5 kg e 10 kg, bisnagas, mel multifloral 250 g, própolis, pólen etc: Preço livre.

PRODUTOS COMERCIALIZADOS

  • Mel multifloral
  • Mel de Melato da Bracatinga
  • Própolis
  • Mel composto
  • Cera de abelha
  • Balas de mel
  • Biscoitos com mel
  • Pão de mel
  • Bolo de mel
  • Chás com mel e própolis
  • Cachaça com mel
  • Cerveja com mel
  • Pólen
  • Favos de mel
  • Artesanato com abelhas ou produtos das abelhas
  • Gel de Própolis
  • Creme de Própolis
  • Shampoo Própolis
  • Condicionador Própolis
  • Creme Facial - Geleia Real
  • Creme Cera de Abelha
  • Sabonete Glicerinado Mel, Própolis e Pólen.

PRODUTORES POR CIDADE

  • Luzerna – Extramel
  • Porto União – Carro das Flores Produtos Apícolas
  • Lages – Mel São Braz
  • Presidente Getúlio – Casa do Mel Vale das Cachoeiras
  • Araranguá – Prodapys
  • São Joaquim – Apiários Real
  • Balneário Gaivota – Associação Balneário Gaivota – AABG
  • Balneário Gaivota – Apiário Rainha da Flor
  • Alfredo Wagner – Crisomel
  • São Bonifácio – Mel São Bonifácio
  • São Bonifácio – Mel Pro-Apis
  • São Bonifácio – Bolachas Blumenfeld
  • Rancho Queimado – Bromel
  • Xaxim – Sulmel
  • Campo Alegre – Apicampo
  • Imbituba – Apiário Rosa de Sarom
  • São Bento do Sul – Região Imperial Dona Francisca
  • São José – Mel Buss
  • Capão Alto – Apromel


Outras Notícias
Alesc - Junho - Mobile
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro