Close Menu

Busque por Palavra Chave

Investimentos Criciúma

Pais novos, geração nova! O que fazer?

Por: Júnior Chisté
28/08/2017 09:44

Como Psicólogo além do próprio consultório que me possibilita semanalmente o contato com inúmeros pais e crianças, converso semanalmente com professores tanto de redes estaduais, municipais e até de estabelecimentos particulares de ensino.

O meu questionamento é sempre o mesmo:

- Professor (a), se fossemos fazer uma pesquisa neste colégio qual seria a percentagem de crianças ansiosas, de crianças que não aceitam um "não" como resposta, de crianças que não conseguem se manter atentas?

O que sempre ouço é um número assustador de cerca de 70%. Quer dizer que de cada dez crianças sete, em média, segundo os olhares desses professores já estão ansiosos, já vivem em conflitos dentro de si, já não sabem lidar com suas emoções, mesmo que inconscientemente.

Há diversos fatores para se relevar aqui.

Não podemos culpar somente os pais, é um efeito dominó.

A sociedade, o trabalho, a vida moderna, a concorrência, de forma esmagadora quer produtividade e então os pais tem que apresentar números, tem que trazer sustento para a família.

Com isso pai e mãe trabalham das 08h00 às 18h00 no mínimo.

Os CEIMs recebem recém-nascidos com alguns meses de idade. Não há tempo para que se acompanhe o desenvolvimento adequadamente de seus filhos.

Quando se estão em casa os pais querem um pouco de descanso, sossego e os filhos querem o que? Com a energia que possuem brincar e gritar, o que os pais fazem?

Baixam jogos em seus celulares e entregam este aparelho aos seus filhos, é a única maneira de "segurá-los".

O que o tablet, o celular, o computador, cognitivamente vai provocando na mente de uma criança de cinco, seis, oito anos de idade? Com centenas de informações a cada poucos minutos?

A mente vai se acostumando à uma cachoeira intensa de informações, acostuma-se desde cedo já a ficar longe da EMPATIA, do diálogo, de saborear a vida lá fora.

Como pedir para se manterem em bancos escolares parados por quatro ou cinco horas todos os dias?

O ensino tem que ser repensado!

A educação e a vida tem que ser repensada!

Que geração teremos daqui há 10 anos, por exemplo?

Uma amostra já estamos tendo, crianças e jovens ansiosos tomando ansiolíticos.

Jovens se suicidando e se automutilando.

Mas sinto em lhes informar queridos pais, isso é só o começo e vocês ainda não viram nada.


Alesc - Julho
Investimentos Criciúma
Fiesc Setembro
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro