Close Menu

Busque por Palavra Chave

Transparência Criciúma

Derrota para o Cruzeiro põe em xeque comando de Vinicius Eutrópio

Por: LÊ NOTÍCIAS
10/09/2017 21:20 - Atualizado em 10/09/2017 21:21

O brilho individual de um jovem faz a diferença a favor de quem já era coletivamente bem melhor do que o adversário. Raniel foi o nome da noite na Arena Condá. Com um gol e uma assistência, o centroavante mostrou que o Cruzeiro está bem servido para o jogo de volta da decisão da Copa do Brasil - Sobis está suspenso - e despachou a Chapecoense na neste domingo, pela 23ª rodada do Brasileirão. Rafinha completou o 2 a 1 para os mineiros - Tulio de Melo descontou - diante de um adversário que perdeu a força dentro de casa e a cada rodada deixa seu torcedor mais preocupado na luta contra o rebaixamento.

A vitória leva o Cruzeiro aos 34 pontos, mantendo-se no G-6 e só a um ponto do Flamengo. Agora, a Raposa volta para casa e recebe o Bahia, domingo, às 19h (de Brasília), no Mineirão. A Chape, por sua vez, perde um lugar no Z-4 e agora é 18ª, com 25. Domingo, o rival é o vice-líder Grêmio, às 11h, na Arena, em Porto Alegre. Antes, tem o Flamengo pela frente, quarta-feira, às 19h, em Chapecó, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

PRIMEIRO TEMPO

Atitude de um lado, qualidade do outro. Prevaleceu quem sabe mais o que fazer com a bola nos pés. Alterada e com caras novas no meio, a Chape até tentou tomar as rédeas da partida, porém, não criou chances de gol. A partir da metade da etapa inicial, Rafinha, Henrique, Arrascaeta e Robinho chegavam com grande facilidade ao ataque. A bola aérea da Chape funcionou com Tulio de Melo, que obrigou Fábio a fazer milagre. O Cruzeiro, por sua vez, via o gol amadurecer, até que Raniel serviu Rafinha pelo meio para limpar e marcar aos 46: 1 a 0 justo.

SEGUNDO TEMPO

Sem tempo a perder, a Chape se mandou para o ataque como podia no início do segundo tempo. Era bola aérea, chute de longe, e Fábio trabalhando. Logo aos 18, Jandrei fez grande defesa em cabeçada de Leo, mas Raniel emendou de primeira no rebote para ampliar. Mano Menezes trocou os jogadores cansados, mandou Thiago Neves, Alison e Sassá para campo, mas o Cruzeiro não encaixava os contra-ataques. A Chape ao seu jeito tentava respirar e diminuiu com Tulio de Melo, de cabeça, aos 38. Sete minutos de pressão? Nada. O Cruzeiro segurou a bola no ataque e garantiu o triunfo longe de Belo Horizonte.

A derrota para o Cruzeiro foi a sexta da Chapecoense na Arena Condá neste Brasileirão. Ainda faltam sete partidas e está já é a pior campanha do Verdão diante de seu torcedor na Série A. Em 2014, quando voltou à elite, foram apenas quatro revezes, com cinco em 2015 e quatro em 2016.


Outras Notícias
Transparência Criciúma 2
Anúncio Radial 2
Palhoça Parques
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro