Close Menu

Busque por Palavra Chave

A PEC 241 é para destruir os trabalhadores

Por: LÊ NOTÍCIAS
25/10/2016 09:53

Não há desequilíbrio fiscal estrutural, crônico e agudo, nas contas do setor público. Algo que exigiria uma medida drástica: uma mudança na Constituição que deve vigorar por muitos anos. Mas o governo e seus seguidores mentem e dizem que existe. A propaganda mentirosa auxilia aqueles que precisam de um engano para repetir e convencer os ingênuos que pensam que o governo deve funcionar de forma semelhante à economia doméstica.

Primeiro, mentem dizendo que o Governo Federal tem déficits anuais e dívidas acumuladas exorbitantes. Em seguida, sugerem que o governo é igual a uma família. Quando endividada, cortaria despesas. Então, precisaríamos de uma regra para impedir o aumento dos gastos públicos. Igualzinho a uma família com algum sacrifício hoje para colher os frutos da tranquilidade amanhã.

O governo faz dois tipos gastos, ou seja, os primários e o pagamento de juros da dívida pública. Os primários são os gastos com Saúde, Educação, Assistência Social, Cultura, Defesa Nacional etc. Os diversos governos fizeram superávit no orçamento primário e sempre gastaram menos do que arrecadaram. Em todos os anos, sem exceção. E o que o golpista Michel Temer quer é interromper o desenvolvimento brasileiro e colocar o País em rota de regressão. A PEC necessariamente diminuirá o gasto público per capita porque eles estarão congelados com crescimento populacional.

É a PEC do adeus ao desenvolvimento. Saúde e Educação são exemplos bem claros, mas todas as áreas serão alcançadas como moradia popular, Saneamento Básico, Transporte, Cultura, Assistência Social etc. Enquanto essa Proposta de Emenda Constitucional estiver em vigor, não haverá desenvolvimento.

A população mais pobre, que depende do sistema público, tende a ser mais prejudicada com o congelamento dos gastos do Governo do que as classes mais abastadas. No documento do governo, que ele acabou de aprovar na Câmara, vai sucatear o Sistema Único de Saúde, utilizado pela população de baixa renda que não dispõe de plano de saúde. O reajuste do salário mínimo só poderá ser feito com base na inflação e não pela fórmula antiga que somava a inflação ao percentual de crescimento do PIB. Isso atingirá diretamente o bolso de quem tem o seu ganho atrelado ao mínimo, ou seja, o trabalhador.

Temer está dando outro golpe no povo brasileiro e, em tese, isso vai ser o estopim para colocar a sociedade contra ele e destruir suas ações antissociais.


Covidômetro - Florianópolis
IPTU São José - 2021
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro