Lê Notícias - Variedades - Lipedema afeta mais de 12% das brasileiras
Close Menu

Busque por Palavra Chave

Sebrae

Lipedema afeta mais de 12% das brasileiras

Por: LÊ NOTÍCIAS
06/04/2024 15:43 - Atualizado em 06/04/2024 15:45
Microsoft Designer AI Lipedema, doença inflamatória, causa acumulação anormal de gordura em mulheres e requer tratamento multidisciplinar Lipedema, doença inflamatória, causa acumulação anormal de gordura em mulheres e requer tratamento multidisciplinar

Durante a 24ª edição do Big Brother Brasil, a influencer Yasmin Brunet, participante do grupo camarote no programa, surpreendeu a todos os colegas de confinamento ao afirmar que sofre de um mal ainda pouco conhecido que atinge mulheres, chamado de lipedema. A doença, caracterizada pelo acúmulo de tecido gorduroso desproporcional em áreas como coxas, culotes, quadris, pernas e braços, requer tratamento específico e, em casos mais avançados, até cirurgia.

Depois da revelação da famosa, a doença passou a ser muito comentada e pesquisada pelos brasileiros, que buscam entender do que se trata. Conforme o médico, Dr. Paulo Ferreira, o lipedema é uma doença inflamatória vascular crônica que causa depósito anormal de gordura, principalmente nas pernas e, raramente, nos braços, provocando dor e desconforto na região afetada. Embora as causas do lipedema ainda sejam desconhecidas, os especialistas acreditam que a doença seja genética e hereditária. “Ela atinge principalmente mulheres em idade reprodutiva, com sintomas que incluem dor, inchaço, hematomas frequentes e sensibilidade nas áreas afetadas”, destaca o Dr. Paulo.

O lipedema foi reconhecido como doença em 2022 pela Organização Mundial da Saúde, e nesse mesmo ano, a doença crônica que atinge cerca de 12,3% das mulheres no Brasil, foi a causa de 245 procedimentos cirúrgicos. Conforme o médico, a doença pode levar a complicações físicas e emocionais significativas. "Uma das principais queixas é, sem dúvida, o desconforto estético, que impede que a paciente use roupas que mostrem suas pernas, causando, por vezes, transtornos de ansiedade ou quadros depressivos em virtude da baixa na autoestima", afirma.

O lipedema, que geralmente se manifesta no início da puberdade e piora com flutuações hormonais, como gravidez e menopausa, pode ser identificado visualmente pela desproporção entre a parte superior e inferior do corpo da paciente. O diagnóstico geralmente é realizado através de uma consulta médica, com exame físico e as queixas relatadas pela paciente. “Normalmente elas relatam dores, aumento progressivo do tecido gorduroso, hematomas fáceis, inchaço, sensibilidade e dificuldade em emagrecer na região afetada”, destaca Dr. Paulo.

O tratamento do lipedema é multidisciplinar e inclui modificações no estilo de vida, como dieta e exercícios físicos regulares, acompanhamento emocional, além de terapia compressiva e drenagem linfática. Em alguns casos, pode ser necessário ajuste hormonal. Nos estágios mais avançados, a cirurgia pode ser uma opção para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

Conforme o Dr. Paulo, uma abordagem inovadora para melhorar a qualidade e a saúde da pele em pacientes com lipedema é a Gold Incision. Este procedimento consiste na aplicação de bioestimuladores de colágeno que melhoram a circulação local e a textura da pele, melhorando sua aparência e firmeza. Além disso, a Gold Incision rompe os septos fibrosos que causam irregularidades na pele, como celulites e retrações que são mais evidentes pela inflamação gerada pela doença, proporcionando resultados estéticos satisfatórios.

"O procedimento de Gold Incision traz benefícios significativos para pacientes com lipedema, melhorando a qualidade da pele e aumentando a autoestima", ressalta o médico. "Ao romper os septos fibrosos e estimular a produção de colágeno, conseguimos reduzir as retrações e melhorar a textura da pele, o que pode ter um impacto positivo na vida das pacientes."

Mas o médico ressalta que a Gold Incision é uma opção de tratamento complementar. “O lipedema não tem cura e é preciso uma abordagem multidisciplinar e o tratamento adequado, principalmente no que se refere a desinflamação da paciente. Aí sim, quando a doença está tratada e o processo inflamatório controlado, com o apoio de tratamentos inovadores como a Gold Incision, é possível proporcionar uma melhor qualidade de vida e aumento da autoestima dessas pacientes, através da melhora do aspecto e saúde da pele, deixando-a lisa e firme”.


Outras Notícias
Prefeitura de Chapecó
Semasa Itajaí
Unochapecó
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro