Close Menu

Busque por Palavra Chave

SP Convention

Por: Daniel Ribeiro
26/10/2016 11:48 - Atualizado em 09/07/2020 20:50

Receita Federal paralisa atividades

Os analistas-tributários da Receita Federal param as atividades desta segunda-feira (24) até quarta-feira (26), em protesto contra o Projeto de Lei (PL) nº 5.864/2016, que dispõe sobre a carreira tributária e aduaneira da Receita Federal e institui o Programa de Remuneração Variável.

Nas unidades aduaneiras, como portos, aeroportos e postos de fronteira, os analistas realizarão operação nos serviços das alfândegas e inspetorias, como despachos de exportação, conferência física, trânsito aduaneiro, embarque de suprimentos, operações especiais de vigilância e repressão, verificação física de mercadorias e bagagens.

Grandes empresas endividadas

As grandes empresas brasileiras estão mais endividadas do que nunca. Em 2015, de 605 companhias não-financeiras, 49% apresentaram fluxo de caixa menor inferior às despesas, de acordo com estudo do Centro de Estudos do Instituto Ibmec (Cemec). Em 2010, era quase menos da metade disso: 22,6%. E a situação já mostra um quadro de deterioração em 2016. Do total de instituições pesquisadas, 256 são de capital aberto. Dessas, 50,2% não tinham recursos sequer para custear os gastos financeiros. Em 12 meses acumulados até junho deste ano, esse número saltou para 54,9%.

Acesso à contabilidade

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços aprovou projeto de lei que permite aos sócios de empresas examinar, a qualquer tempo, livros e documentos e o estado do caixa e da carteira da sociedade.

A proposta (PL 5281/16) altera o Código Civil (Lei 10.406/02), que hoje permite que a empresa estipule época determinada para esse exame.

A proposta é de autoria do deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT) e recebeu parecer favorável do deputado Mauro Pereira (PMDB-RS).

Dívida pública só cresce

A dívida pública federal brasileira, que inclui os endividamentos interno e externo do governo, registrou alta de 3,1% em setembro e chegou a R$ 3,04 trilhões, informou na terça-feira (25) o Tesouro Nacional. É a primeira vez que a dívida supera o patamar de R$ 3 trilhões. Em agosto, o endividamento público somava R$ 2,95 trilhões.

De acordo com o governo, o aumento está relacionado com a emissão líquida, ou seja, colocação de títulos públicos no mercado acima do valor gasto com pagamento de títulos vencidos, além das despesas com juros.


Essenciais de Verão
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro