Close Menu

Busque por Palavra Chave

ECONOMIA

Agronegócio tem perspectivas positivas para 2018 

Por: LÊ NOTÍCIAS
02/01/2018 15:23
Presidente da OCESC afirma que 2018 será de muitos desafios para a economia brasileira (Crédito: MB Comunicação) Presidente da OCESC afirma que 2018 será de muitos desafios para a economia brasileira (Crédito: MB Comunicação)

O ano de 2017 foi de crescimento acima da média para o cooperativismo catarinense no agronegócio. A perspectiva é de que 2018 acompanhe este resultado, o qual vem melhorando a cada ano e seja positivo para o setor. Clima favorável, plano safra coerente, bons preços e o aumento das exportações são as apostas para o sucesso no ano vindouro.

Para o presidente da Organização das Cooperativas do Estado de SC (OCESC), Luiz Vicente Suzin, o ano será de desafios, entretanto o produtor/empresário rural enfrentará com determinação, fé no trabalho e visão de futuro. “Estamos otimistas. No plano interno, teremos uma boa safra e não deve faltar matéria-prima para a agroindústria. Não haverá aquela escassez acentuada de milho no mercado interno como ocorreu em 2016. Os preços dos grãos devem reagir e o ano será bom para os produtores rurais e por extensão, para toda a economia brasileira. No plano externo, acreditamos na ampliação das exportações do agronegócio brasileiro”, projeta.

MUDANÇAS

O ano eleitoral que vem pela frente é considerado uma oportunidade para se discutir o atual estágio da agricultura e do agronegócio brasileiro, além de realçar as prioridades para o setor, de modo que façam parte do programa de governo dos candidatos. “Com certeza, a agricultura estará na pauta da campanha eleitoral porque a sociedade brasileira reconhece, hoje, a importância do setor primário como a locomotiva da economia nacional, especialmente nesses tempos de crise”, aponta Suzin.

Outra mudança para 2018 é o projeto de lei que tramitou em 2017 e permite que as cooperativas de crédito administrem recursos dos municípios. “Essa inovação facilitará a vida das Administrações dos municípios brasileiros que não contam com bancos oficiais. As cooperativas de crédito atuam em todos os municípios, prestando serviços aos correntistas, às empresas e agora, ao Poder Público municipal. Milhares de brasileiros serão beneficiados”, considera o presidente da OCESC.

A melhoria para o crédito rural também é uma perspectiva para esse ano e será uma das reivindicações das entidades de defesa e representação do setor primário da economia brasileira. Com a redução da Selic para 7%, é preciso rever a situação dos juros e demais encargos cobrados nas operações de crédito agrícola que se tornaram relativamente elevados. A estabilização da inflação, associada à lenta retomada do crescimento econômico e à estabilização do câmbio, permitiu que a autoridade monetária reduzisse o nível da taxa básica da economia (Selic) e isso deve contribuir para a redução das taxas de juros aplicadas sobre o crédito rural no próximo Plano Agrícola e Pecuário.

CENÁRIO COOPERATIVISTA

As 265 cooperativas catarinenses reúnem mais de 2 milhões de associados, mantêm 58 mil empregos diretos e faturam mais de R$ 31,5 bilhões por ano. O associativismo integra metade da população catarinense e também registra alto crescimento. “As pessoas estão compreendendo que o cooperativismo é um caminho para trabalho com dignidade e renda proporcional ao seu esforço. Isso se deve a ação das cooperativas em todos os municípios catarinenses e ao esforço de comunicação social que temos feito nos últimos anos através da Ocesc, do Sescoop e das próprias cooperativas”, destaca.

2017 PARA A OCESC

Em 2017, a Ocesc completou 46 anos de história. Fundada em 28 de agosto de 1971, ao longo desse período tornou-se uma das mais atuantes entidades do setor, coordenando ações que são referência em todo o país. Por outro lado, o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo em Santa Catarina (Sescoop/SC) completou 18 anos e promoveu intensa qualificação profissional, envolvendo dirigentes, conselheiros, colaboradores e cooperados, incluindo seminários para assessores jurídicos, assessores de comunicação, secretárias e gestores. O Sescoop/SC fomentou e financiou, durante o ano, a formação e capacitação profissional, promoção social, monitoramento e desenvolvimento de cooperativas, ações centralizadas, ações delegadas, auxílio educação, programa Cooperjovem, programa Jovens Lideranças Cooperativistas (JovemCoop), Mulheres Cooperativistas, jovem aprendiz, auxílio-educação, Programa de Desenvolvimento da Gestão de Cooperativas (PDGC), formação para conselheiros administrativos e fiscais para cooperativas de crédito (FORMACRED), monitoramento e auditoria em pequenas cooperativas.


Outras Notícias
Covidômetro - Florianópolis
IPTU São José - 2021
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro