Close Menu

Busque por Palavra Chave

Investimentos Criciúma

SOLIDARIEDADE

Doações da comunidade mudam a vida de muitas famílias de Xaxim

De pouquinho em pouquinho, xaxinenses descobrem que todos podem colaborar
Por: Janquieli Ceruti
29/09/2016 16:53 - Atualizado em 30/09/2016 15:51
Lorenci mostra com orgulho uma das roupinhas de bebê confeccionadas no projeto “Vestindo Pequenos Brilhantes” (Fotos: Janquieli Ceruti/LÊ) Lorenci mostra com orgulho uma das roupinhas de bebê confeccionadas no projeto “Vestindo Pequenos Brilhantes” (Fotos: Janquieli Ceruti/LÊ)

Frutas, roupas e utensílios são muito bem-vindos na Paróquia São Luiz Gonzaga, de Xaxim. As doações são entregues às sextas-feiras à tarde e aos sábados de manhã a famílias carentes, que buscam auxílio na Igreja Matriz. Batizado como Sala de Atendimento, o espaço de acolhimento e distribuição de materiais funciona nas dependências da Paróquia há cerca de três meses, mas a ação já existe há bastante tempo através da boa vontade da xaxinense Lorenci Zambenedetti, que antes recebia a comunidade em casa. “Não tinha hora. Quando precisavam eles me procuravam e eu sempre os atendi”, destaca Lore, como é conhecida a voluntária. Agora, com a Sala de Atendimento, a voluntária continua com o trabalho e, com mais visibilidade, comemora a ampla participação da comunidade.

A maior procura pelos itens de vestuário, enxovais de bebê e utensílios de cozinha acontece por parte das famílias haitianas. Grande maioria desses novos imigrantes chegam em Xaxim somente com a roupa do corpo e uma pequena bolsa com poucos objetos, pois a viagem é longa e os pertences precisam ser deixados nas cidades de origem. No município, as despesas são muitas e o salário é mínimo, assim, a compra de uma roupa e até de alimentos suficientes é muito difícil. Logo, assim como qualquer família em busca de um recomeça em outro lugar, toda ajuda é muito necessária. “Um tênis, uma roupinha para o bebê, uma fruta, de tudo eles precisam. A comunidade de linha Limeira doou muita coisa para cozinha, roupas, cobertores e até banana e mamão. Essa foi uma das contribuições mais expressivas, mas muita gente de diferentes comunidades da cidade e também do interior ajudam com o que podem. Sempre estamos precisando, pois a demanda é muito grande”, salienta Lore.

Com cerca de 600 haitianos na cidade, muitos ainda em processo de adaptação, de acordo com estimativas da Paróquia, é nítida a maior procura por parte dos imigrantes, mas a Sala de Atendimento é aberta para toda a comunidade, que realmente carece de apoio. “Os haitianos precisam muito de nós, pois ganham pouco e ainda mandam parte do salário para suas famílias. Mas, além deles, há muitas famílias xaxinenses que também precisam de ajuda. Não há restrições, desde que exista a necessidade, é só vir até a Sala de Atendimento, na Casa Canônica, e retirar o que precisar”.

Lore conta que somente na última sexta-feira, seis mães receberam enxoval completo para os bebês que acabaram de nascer ou estão chegando ao mundo. “Nós, voluntárias, costuramos boa parte dos kits, a outra nós adquirimos através da renda arrecadada com o bazar que temos no Mercado Central. Lá as peças custam entre R$ 1 e R$ 8 e mantém os projetos “Vestindo Pequenos Brilhantes” e “Acolhida aos Imigrantes”. Oferecemos para as mamães as roupinhas, cobertores, toalhinhas, enfim, um enxovalzinho completo até os primeiros meses do bebê. Os postos de Saúde encaminham elas, quando iniciam o pré-natal, e nós contribuímos como podemos. Tenho todos como meus filhos, dos bebês aos seus pais”.

O apoio da comunidade é tamanho que Lore até surpreendeu-se. “Não parecia que o povo era tão sensível. A solidariedade de quem ajuda é enorme, assim como a de quem é ajudado. As mamães usam as roupinhas em seus bebês e ainda devolvem depois para que possamos destinar a outras”. Além dos que doam produtos, há também os que doam serviços para apoiar a causa. “Temos parceria com prestadores de serviços, seja para costurar um acolchoado ou consertar um fogão ou até em consultas médicas. Eles nos cobram bem pouco e às vezes nem cobram”.

O pároco frei Alex Sandro Ciarnoski destaca que o povo é generoso, mas que a confiança no trabalho da Igreja Matriz também é decisiva para o grande apoio da comunidade. “São ações feitas com responsabilidade, o que dá a certeza da destinação correta. Seja nesta frente ou em outras, como no apoio para a documentação de muitos haitianos, sempre tentamos colaborar”.


Outras Notícias
Alesc - Julho
Investimentos Criciúma
Fiesc Setembro
Blumenau pronta para crescer
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro