Lê Notícias - Xaxim - Cavalgada “Velho Coronel” visita Grupo Alma de Gaúcho
Close Menu

Busque por Palavra Chave

TRADICIONALISMO

Cavalgada “Velho Coronel” visita Grupo Alma de Gaúcho

Dezenas de cavaleiros passaram pela Praça Frei Bruno rumo à linha Colorado
Por: Janquieli Ceruti
30/09/2016 11:36 - Atualizado em 30/09/2016 16:15
Cavaleiros passaram pela Av. Plínio Arlindo De Nês em cavalgada até a linha Colorado (Fotos: Janquieli Ceruti/LÊ) Cavaleiros passaram pela Av. Plínio Arlindo De Nês em cavalgada até a linha Colorado (Fotos: Janquieli Ceruti/LÊ)

A paixão pelo tradicionalismo gaúcho, mais precisamente pelas cavalgadas, une cavaleiros da região Oeste que, montados no lombo do animal, atravessam fronteiras para visitar amigos e manter viva a tradição. Pela primeira vez na história do município, a cavalgada “Velho Coronel” visitou o Grupo Alma de Gaúcho, de Xaxim. Entre 60 a 70 cavaleiros, trajados e portando bandeiras dos municípios de Coronel Freitas e Xaxim; do Estado de Santa Catarina; do Brasil; do Grupo Alma de Gaúcho; e em homenagem a Nossa Senhora Aparecida chegaram ao município por volta das 16h30 de ontem (22) pela linha Limeira, passando pelo trevo da Celer Faculdades, e seguindo pela Av. Plínio Arlindo De Nês rumo à linha Colorado.

De acordo com Gilberto Zeni, integrante do Grupo Alma de Gaúcho, esta é a primeira vez que a cavalgada pousa no município. “É um momento de imensa alegria para todos nós. Receber a visita destes cavaleiros é motivo de orgulho. Nós daremos a janta, o pouso e o café da manhã. Já na sexta-feira de manhã [hoje] eles seguem o roteiro deles”.

Conforme Zeni, o Alma de Gaúcho tem cerca de 11 anos de fundação e integra aproximadamente 30 membros. “São famílias inteiras movidas por essa paixão, que é a cultura tradicionalista gaúcha. Nas reuniões mensais e nos eventos que acontecem pela região, vai o pai, a mãe, os filhos e avós”. Para participar dos encontros, regados a muita música, cavalgada e comidas típicas gaúchas, Zeni destaca que não é obrigatório que o interessado tenha necessariamente um cavalo. “É só procurar a gente. O grupo decide se aprova e, antes de entrar oficialmente para o Alma de Gaúcho, o novo colega tem um ano para a adaptação. Quando é o caso, amigos do próprio grupo, que tem mais de um animal, emprestam os cavalos para fazer as cavalgadas”.

Fazer novos amigos e reencontrar os antigos também é intuito das cavalgadas. Zeni expõe que as paisagens e até mesmo obstáculos do caminho, como terrenos mais montanhosos, são apreciados pelos cavaleiros. “Além do zelo pela tradição, esses passeios são motivo de grande diversão”, conclui.


Outras Notícias
Governo de SC
Prefeitura de Chapecó
Semasa Itajaí
PALHOÇA
Unochapecó
Prefeitura Floripa Junho
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro