Close Menu

Busque por Palavra Chave

Transparência Criciúma

O atual momento da política brasileira

Por: Luiz Dalla Libera
13/04/2018 14:12

Tinha prometido ao Jornal LÊ NOTÍCIAS que esta coluna já deveria ter sido escrita. Mas nem sempre os planos futuros dão certo, mas hoje não há perdão, nem desculpas. No meu acidente, eu acabei extraviando o rascunho, onde faltava apenas passar a limpo. Escrevi que estamos em ano par, todos os anos pares são anos de datas especiais, em Xanxerê sempre a ExpoFemi, a Festa Estadual do Milho, o maior evento do município e uma das maiores do Sul do País desde 1982, só não foi feita a última por causa do tornado. A cada quatro anos, acontece a Copa do Mundo e de dois em dois anos, sempre é ano de eleições, este ano é das maiores disputas, com essas maracutaias muitos sabem se vão votar neste ou aquele partido ou candidato, ou se vota em branco, ou ainda, se vão votar.

Sempre falo que não tenho faculdade, nem especialidade, mas do jeito que anda a política dos nossos políticos, não tenho nenhuma dificuldade para escrever. Sabemos que o Brasil está na direção e as rédeas do Temer, que é do MDB. Hoje, eu sem partido me envergonho se algum dia me afilio no MDB, porque este partido o Temer, não é dono dele, ele apenas se aproveitou do partido, traindo outro partido, traindo outro partido, aquele que com a coligação foi eleito vice-presidente. O MDB não é total culpado pela administração do Presidente Temer.

O MDB teve bons políticos e governos honestos e sérios. Alguns deles foi Tancredo Neves, que foi eleito indiretamente o primeiro Presidente da Nova República, só não teve a felicidade de ser empossado que era a esperança do povo humilde brasileiro. Neves teve uma doença inédita, que eu nunca mais ouvir falar. Outro guerreiro era Ulisses Guimarães, que no tempo da Ditadura Militar, que dizia que tinha nojo e ódio daquele período turbulento. Outro grande nome é Pedro Simão, do Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, foi o governador Luiz Henrique da Silveira, homem que deixou as rinhas e richas políticas adversárias, uniu e formou a tríplice aliança com partido da oposição do MDB. LHS ajudou os novos políticos da oposição a serem as futuras grandes autoridades do Estado e hoje, por estar lá em cima, não quer mais conversa com o MDB.

Não vou dizer que o Temer e o MDB são os únicos culpados pela crise econômica do povo no País. Os culpados são aqueles deputados e senadores que apoiaram a tomar o poder e ainda dão sustentáculo vários partidos a, b, c, etc. No final de 2017, um deputado federal concedeu uma entrevista acerca da Reforma da Previdência, asseguro em sigilo não digo o partido, tampouco a região de domicílio, dizia a ser defensor do agricultor, assim, ele se declarou que a Reforma da Previdência não vai mexer em nada na classe rural. Contudo, no dia 08 de março de 2018, a maior manifestação contra a Reforma foram das mulheres na área rural.

Não adianta usar óculos escuros para tapar o sol com a peneira, deve-se usar óculos de lente e aparelhos auditivos, porque diz que defende a agricultura, até concordo, mas defende aqueles agricultores que não vai à lavoura de carro? Eles vão de avião, os latifundiários se ele ou eles são mais que um defende a agricultura, mas esquecem que foram eleito, em mais de 80% pelos eleitores da cidade, que estes são aqueles que transportam, comercializam e industrializam o produto bruto, que produz o agricultor, fosse só um exemplo de um lote de 25 mil aves, até chegar na mesa do consumidor, apenas participam com 10% de trabalho, entre criar as aves e 90% são incubadoras dos pintinhos. O transporte dos pintinhos, ração das aves para os abates, o trabalho do abate acontece em grandes centros de consumo de São Paulo, Rio de Janeiro e as exportações.

Parece que ainda estamos vivendo no tempo da pedra cortada e tábua lascada, estamos no século XXI, tempos modernos. Ou será que ainda estamos no tempo em que dependíamos que a galinha chocava os próprios ovos, as galinhas de sobra de consumo da família vendiam vivas no armazém na cidade levavam a cavalo de cabeça abaixo. Ainda dizem que está bom, não tem crise e inflação, que a Reforma da Previdência não vai mexer em nada, ninguém vai ser prejudicado. Eu até concordo que não vai mexer porque o governo atual já mexeu e bem, o meu benefício aumentou apenas RS 32, ou 2% nos doze meses de 2017. A energia, combustível e gás aumentaram só 2%? Um senhor com dor de cotovelos me disse que o aumento de gás foi por causa do dólar, eu discordo, já que quando o dólar estava RS 4, o gás custava R$ 60.


Transparência Criciúma 2
Anúncio Radial 2
Palhoça Parques
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro