Close Menu

Busque por Palavra Chave

20ª CAMPANHA NACIONAL DA VOZ

Médica otorrinolaringologista Sarah Beirith apresenta soluções para a disfonia

Por: LÊ NOTÍCIAS
18/04/2018 14:52 - Atualizado em 18/04/2018 14:56
Médica otorrinolaringologista Dra. Sarah Cristina Beirith (Foto: Franpar Digital) Médica otorrinolaringologista Dra. Sarah Cristina Beirith (Foto: Franpar Digital)

A voz é um importante instrumento de comunicação e de expressão de sentimentos para o ser humano. Nesse sentido, entre os dias 16 a 20 de abril de 2018, acontece a 20ª Campanha Nacional da Voz, com o objetivo de divulgar melhores cuidados que se pode oferecer às pessoas preocupadas em manter a saúde da voz, ou pacientes com disfonia. A médica otorrinolaringologista Dra. Sarah Cristina Beirith discorre sobre o tema, com dicas fundamentais na prevenção desse problema, o qual assola muitas pessoas.

De acordo com a médica, quase um terço da população tem problemas na voz, em algum momento da vida. “A disfonia, conhecida popularmente como rouquidão, é mais comum em determinados grupos, como idosos e profissionais da voz, tais como professores, cantores e comunicadores, porém todas as faixas etárias e ambos os sexos podem ser afetados. A disfonia é frequentemente causada por condições benignas e autolimitadas, mas também pode ser o sintoma de apresentação de uma condição mais grave ou progressiva, como o câncer de laringe, exigindo diagnóstico imediato”, releva.

Nas palavras da Dra. Sarah, além de uma avaliação médica completa, é necessária a realização da videolaringoscopia, para a visualização da laringe, estrutura onde estão as pregas vocais e que são responsáveis pela produção da voz. Além disso, ela apresenta dicas de como diminuir os sintomas da rouquidão. “As pessoas que sofrem de disfonia podem parar de fumar, procurando ajuda em grupos antitabagismo, encorajando familiares e amigos a pararem de fumar, evitando bebidas alcoólicas e alimentos industrializados, que deterioram o metabolismo geral, a imunidade e reparo celular da mucosa da garganta”, comenta Dra. Sarah Beirith.

Ainda, ela orienta que os pacientes bebam água, sendo que a hidratação da mucosa da garganta previne lesões e garante a lubrificação às pregas vocais. “É importante que se siga também as recomendações do seu fonoaudiólogo, que se pratique os exercícios passados pelo profissional e respeitar os períodos de repouso vocal. Bocejar e fazer alongamentos na região da cabeça e pescoço ajudam a relaxar, mas prestando atenção em sua respiração. Respire pela boca, já que a respiração oral pode causar pigarro, tosse e dor de garganta frequente. E por último, aulas de canto e aquecimento vocal para cantores. Mesmo que você não seja profissional, que cante em corais de igreja ou comunidades, é importante conhecer a técnica vocal”, finaliza a médica.


Outras Notícias
Alesc - Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro