Close Menu

Busque por Palavra Chave

Amin é plano C de Júlio Garcia; PP desvia-se de Merisio; MDB quer cargos do PSD; Nilso Berlanda no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
07/05/2018 09:22 - Atualizado em 07/05/2018 13:29

O plano C de Júlio Garcia

Júlio Garcia errou com João Rodrigues. Agora precisa de valentes cabos eleitorais em favor de seu projeto político depois de fracassar com Eduardo Moreira. Se os cargos do MDB estão com o PSD, é a seu pedido. Justo, então, que trabalhem para os ulyssistas. Neste raciocínio, sabe que não se acende uma vela para Deus e outra para o Diabo. Ou é Pinho ou Amin. Gelson Merisio, pré-candidato, batendo de frente com o atual morador d’Agronômica e o MDB, tem que mostrar força para desembarque destes rebeldes. O grupo afinado com o ex-conselheiro, fracassado na aproximação entre PSD e MDB, usa-se, agora, em favor dos Progressistas. A ousadia de Esperidião Amin em correr o Estado é o plano C. Inquestionável em sua liderança, o ex-governador Progressista não precisa mostrar nada para afirmar que tem potencial para disputar a eleição em outubro. O padrinho de Zé Nei Ascari sabe disso. À sombra dele, Raimundo Colombo, agonizando, precisa desta luz para chegar ao Senado. É a própria sobrevivência.


O Sr. conquistou um prêmio esta semana em Brasília. Por que foi reconhecido?

Recebemos o importante Selo Resgata - Selo Nacional de Responsabilidade Social pelo Trabalho. Instituído pelo Depen, Departamento Penitenciário Nacional, órgão vinculado ao Ministério Extraordinário da Segurança Pública, o prêmio reconhece empresas e instituições que contratam pessoas privadas de liberdade e egressos do sistema prisional. O selo incentiva e dá visibilidade a organizações que colaboram com a reintegração dessas pessoas ao mercado de trabalho e à sociedade.

Desde 2009 o grupo Berlanda investe na ressocialização de detentos com três fábricas construídas dentro da Penitenciária Regional de Curitibanos, em São Cristóvão do Sul. Cerca de 50% da população carcerária da unidade prisional, 320 detentos, trabalha produzindo estofados, camas-box e travesseiros. Eles recebem um salário mínimo além de reduzir 1/3 de sua pena. A cada três dias trabalhados, reduz um dia da pena, além de aprender um ofício.

Receber esse importante reconhecimento do Depen, o Selo Resgata, é uma honra e nos faz acreditar ainda mais no trabalho desenvolvido por aquela instituição penal e que colabora com a sociedade catarinense, especialmente nessa área fundamental que é a segurança pública. A ressocialização é uma forma de dar aos detentos uma nova oportunidade de vida através do trabalho, contribuindo para reduzir o índice de reincidência.

Suas movimentações estão em que altura para retornar a Alesc como deputado eleito em outubro?

Acreditamos muito no bom trabalho que desenvolvemos durante quase um ano e meio em que estivemos como deputado na Alesc. Apresentamos importantes projetos de lei, como o que promove a ressocialização com a criação de vagas de trabalho no sistema prisional catarinense; o projeto que institui o Dia do Imposto Zero; aquele que cria o Cadastro Estadual dos Doadores de Órgãos; que proíbe o gasto de dinheiro público com fogos de artifícios; o projeto que cria mecanismos para punir a falta de ações nas ouvidorias públicas, entre outros de interesse do cidadão. Na Alesc, também defendemos os setores da economia catarinense para que continuem a gerar emprego e renda e votando em matérias de interesse de Santa Catarina. Com essa base de trabalho formada, estamos nos preparando para as eleições desse ano. Temos conversado com lideranças em todo o Estado e ouvido as demandas da população para que possamos trazer soluções no que for possível. Queremos, com a conquista de um lugar definitivo na Assembleia Legislativa, contribuir ainda mais com a sociedade catarinense.


Respeito

Prefeito de Chapecó recebeu várias lideranças, do Estado inteiro, seja por mensagem ou visitação em Tenente Portela, no RS, pelo passamento de seu pai na última sexta-feira. Um contingente que, pela amizade construída, foram.

Ele

Quando Gigante Buligon tomou conhecimento da passagem de seu pai, Gelson Merisio ligou imediatamente oferecendo toda a estrutura necessária para dar suporte à família. O prefeito e o deputado estão afinados.

Contra

A oposição, inclusive fogo amigo do PSD, buscou alimentar que Merisio, mesmo com agenda sufocante, deveria ter quebrado os trabalhos para oferecer solidariedade ao prefeito de Chapecó. Gigante disse não. Entendeu os desafios do presidente do partido.

Estrutura

O grupo ligado a Júlio Garcia está completamente mergulhado no projeto de fazer o ex-conselheiro ser o mais votado de SC. Estão medindo força com Marlene Fengler, candidata de Merisio, para saber qual dos dois faz mais votos.

Forte

Eron Giordani é o coordenador da campanha de Júlio Garcia para deputado estadual com forte influência em SC. Pela desenvoltura que tem, ramos de contatos, está na missão de, nesta guerra de votos, fazer valer sobre Marlene Fengler.

Altura

Antonio Varella do Nascimento, um dos fundadores do PFL em Chapecó, está na lógica Júlio Garcia. É dele os votos na história que construiu, inclusive sendo candidato a prefeito, que o vereador Valmor Scolari diz ter, na carona de sua liderança.

Desafio

Eduardo Pinho Moreira sabe que, se contar com os votos do PSD abrigado nas esferas estaduais para que trabalhem em favor de sua reeleição, é ilusão. Júlio Garcia não teve força superior a Merisio que, presidente do partido, afastou-se do MDB.

Mais

Embora os deputados da base, neste caso Valdir Cobalchini, tenham insistido para que o cargo de Astrit Tozzo da ADR seja de um quadro do MDB, o governador Pinho Moreira vai segurar o suficiente para sentir até onde está sendo enganado.

Compromisso

Se Astrit Tozzo, do PSD, ocupando um espaço do MDB de Eduardo Moreira, ainda não declarou voto para sua reeleição, então o que a vereadora está fazendo no cargo depois que Colombo saiu do governo? Quais são suas intenções eleitorais?

Queda

No gadanho político que Eduardo Moreira passou nos últimos dias, ceifou vários cargos do PSD de Chapecó. Astrit Tozzo foi mantida à frente da ADR. Se ela, da base de Gelson Merisio, não declarou a gratidão pela reeleição, está fazendo o que no cargo?

Também

Aderbal Pedroso, vereador pelo PSD que, de posse do cargo de gerente da Celesc em Chapecó, utilizou-se dos mecanismos para prejudicar o MDB na última eleição, por que não declarou voto em favor de Eduardo Moreira que constrói este desejo?

Argumento

Para quem conhece Astrit Tozzo e Aderbal Pedroso, ambos do PSD, vilões do MDB na eleição passada, ficar no cargo que estão respondendo é uma deixa para que declarem voto a Eduardo Moreira e sua reeleição. Se não é isso, querem o quê?



Covidômetro - Florianópolis
IPTU São José - 2021
Governo do Estado - Juntos somos mais fortes
Prefeitura de Palhoça - IPTU
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro