Close Menu

Busque por Palavra Chave

Investimentos Criciúma

Papo Justo | Abre aspas: Não quero me incomodar...

Por: Diego Barbiero
16/05/2018 12:05

Quantas vezes o leitor já não ouviu dizer que “tal investigação foi encerrada por falta de provas”, ou que “não se chegou a nenhuma conclusão quanto à autoria”? Não estou falando apenas em crimes de maior repercussão, mas em qualquer tipo de crime (desde um furto ou uma injúria racial a um desvio milionário nas contas públicas).

Acontece que, muitas vezes, aquele mesmo cidadão que faz uso da rede social para criticar a atuação do Estado em um ou em outro caso é o que, tendo presenciado ou ficado sabendo de um crime, nada faz para auxiliar na responsabilização daquele que o cometeu.

Quando esse cidadão é um particular, uma pessoa do povo, do comércio, que trabalha na indústria ou em áreas afins, até se releva a omissão; agora, quando o “corpo mole” parte de um servidor público, que tem a obrigação moral e legal de preservar a instituição para a qual trabalha, aí... bom, aí podemos estar falando, inclusive, no crime de prevaricação, que consiste em “retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal”, punível com pena de 3 meses a 1 ano de detenção.

A segurança pública é dever do Estado, mas é também direito e responsabilidade de todos. Àqueles que desconheciam a informação, lhes digo: a frase está no art. 144 da Constituição da República Federativa do Brasil.


Alesc - Julho
Investimentos Criciúma
Fiesc Setembro
Blumenau pronta para crescer
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro