Close Menu

Busque por Palavra Chave

O sai e fica de Lula da Silva; Amin quer Bauer no projeto; Paulo Afonso é ignorado no MDB; Mariani acusa Gavazzoni; Ivo Trizoto no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
08/07/2018 20:58 - Atualizado em 08/07/2018 21:09

Cunhado dos problemas financeiros

Mauro Mariani tem defendido Eduardo Pinho Moreira em várias direções. Delas, duas são interpretativas que apontam a sustentação de sua candidatura. A primeira é a fidelidade do governador à sua candidatura até a Convenção e tirar dividendos nas contas negativas que Raimundo Colombo entregou nas mãos do governador ulyssista. Para não deixar que o vice de LHS e do lageano desgaste-se no enfrentamento, assume a causa. Afirma que foi Antonio Gavazzoni o causador da desgraça na Fazenda Estadual vivida por Paulo Eli e que o ex-governador, do PSD, enganou o atual. Foram anos de domínio do Tesouro, que lavam as mãos como se não tivessem responsabilidade. As provocações do presidente do MDB são recados para chamar Gelson Merisio para o confronto. Mais do que isso, o presidente do MDB torce para que Amin seja candidato. Nunca Esperidião foi tão amado pelos emedebistas.


De Florianópolis (SC)

O aeroporto tem fechado constantemente, impedindo que as aeronaves possam pousar. Qual o prejuízo disso?

Prejuízo completo para todo mundo. Para o comércio e setor hoteleiro, é um desastre total. O aeroporto é a porta de entrada do Oeste, nossa maior fonte de desenvolvimento, porque tudo passa por ele. Temos as chamadas feiras, turismo de eventos que acontecem a todo momento, as cooperativas, o agronegócio como um todo, as autoridades políticas e empresariais que decidem tudo o que deve ser feito. Se ele está fechado, não acontecem as negociações, tudo fica ruim. Somos uma região forte para o sudoeste do PR, norte do RS e a rota do Mercosul que mostra a nossa força e grandeza na economia. Sem o aparelho que orienta os pilotos, vamos ser sempre um fundo de quintal esquecido e ignorado.

O Sr. está falando do ILS?

Sim. Estes dias apareceu uma grande autoridade da aeronáutica, que conhece e é especialista neste tema, na prefeitura de Chapecó. Falou que este aparelho é insuficiente para a garantia da decida. Tem vários aeroportos que são assim. Ele quer dizer que não tem jeito. Como não? Temos deputados federais, estaduais, senadores, governador, temos um pleito que está por aí, e nenhum deles falou neste assunto. Este instrumento é importantíssimo. Se um não dá certo, comprem outro. Nós não podemos ficar sujeitos à sorte, inclusive colocando em risco a vida das pessoas. Se as autoridades não podem resolver, somos nós que temos? Só se for através do voto. Quando falam que temos que ter um governador da região, a gente começa a entender os motivos. Chapecó é tão importante que se fecharmos aqui, o estado sucumbe. Esta brincadeira precisa terminar.


Soltura

A brincadeira de um desembargador em decidir pela soltura de Lula da Silva, aponta o final de um Judiciário que está mergulhado em uma dúvida de sua verdadeira capacidade de fazer valer a Lei. Se isso realmente ocorrer, foi-se.

Ele

O juiz Moro, igualmente como o desembargador, é um suspeito em decidir, também, pela manutenção da prisão. Um personagem mais folclorista que discreto homem da justificação da Lei. Já cansou pela pública aparição personalista hollywoodiana.

Decisão

SC vai conhecer, até domingo, quais dos dois, Amin ou Merisio, serão o nome da cabeça de chapa. As articulações longe dos mortais, será fundamental para confirmar quais serão os argumentos para que, um deles, sensibilize-se.

Articulação

Esperidião Amin passou todo o final de semana paparicando a neta que tirou-o do lançamento da candidatura de Merisio em Chapecó e, por ter esta força, ganhou muitos afagos enquanto tinha folgas de uma ligação que recebia.

Leitura

Se Esperidião agradece a existência da neta por tudo o que ela tem oferecido em favor de sua candidatura, decifra as intenções de Jorge Bornhausen. Aquele que olha Paulo Bauer ao governo, mas que, em nome de Alckmin, aceita tudo.

Tudo

JKB atua atrás das cortinas e, nesta semana que antecede a revelação dos nomes, vai movimentar em favor do ex-governador paulista. Esperidião e Paulo Bauer, como mesmo afirma, são os quadros com votos que precisam se entender.

Entendimento

Para que Paulo Bauer e Esperidião consigam entender a mensagem de JKB, esta semana é fatal para que um, em relação ao outro, identifiquem o sinal. Se é para dar palanque a Geraldo Alckmin, precisam escutar o deputado Marcos Vieira.

Política

A terra à vista eleitoral de Geraldo Alckmin em SC é de mover já, a candidatura de Paulo Bauer em favor de Esperidião Amin. Ao contrário disso, é jogar o Progressista na coligação liderada por GM. Se o partido decidiu em unir-se ao PSD, isso muda tudo.

Mudança

Para corroer o acerto entre Progressistas e PSD em agosto de 2017 e confirmado entre Amin e Merisio na semana passada, somente um forte atrativo nesta direção. Cabe ao PSDB desentupir a veia para chegar ao coração de Esperidião.

Passado

Paulo Afonso foi a Chapecó no sábado na recepção a Henrique Meirelles, mas não foi chamado à mesa. A tensão foi dada a Valdir Colatto, o nome a senador do agronegócio. O ex-governador foi ignorado com todas as Letras.

Real

A decisão de não comparecer à festa dos ulyssistas em Chapecó foi o recado que Dário Berger deu a Henrique Meirelles pelo corte no Orçamento da União em relação a SC. O senador se disse traído. Aproveitou para distanciar-se de Mauro Mariani.

Possibilidade

Embora afirme afinação ao presidente do MDB, Dário Berger aguarda um chamamento para assumir, em apelo inclusive de Mariani, para ser o nome do partido ao governo. Enquanto Meirelles e Mariani afinavam em Chapecó, o senador velejava na indiferença.




Covidômetro - Florianópolis - Maio
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro