Close Menu

Busque por Palavra Chave

Editorial | Rejeição das contas mostra a cara do governo

Por: LÊ NOTÍCIAS
09/07/2018 11:33

Idacir Orso foi eleito com uma votação extraordinária que foi capaz de dar a ele, na época, a outorga eleitoral para fazer o que quisesse com Xaxim. Fazer, diga-se, tudo o que era de melhor para seu povo, em favor deste e para a felicidade geral de um município inteiro. Mas foi apenas um sonho equivocado do cidadão que foi às urnas para dar-lhe a procuração de que, se assim desejasse, trocar o nome do município tamanha, foi a confiança e a rejeição do outro candidato derrotado.

Mas passou-se o tempo e seu governo, recluso, escondido, perdido e sem orientação, caiu em descrédito pleno, na desorganização total, desinformado, camuflado em dois ou três quadros que tinham, como se sabe, um controle disso ou daquilo, mas que, em tese, era tão desastroso quanto.

Idacir Orso chegou à Prefeitura carregado de um contingente de votos que em qualquer outra eleição do futuro, não será capaz de registrar este feito. Foi espantosa a diferença de votos. Se ele fez 10.679 no total e o concorrente 7.017, a diferença foi de 3.662 acima. Orso fez 60.35%, que registrou a maior de todas as eleições, antes e depois da existência da cidade.

Não se sabe se no futuro, outra conquista de tal votação será demonstrada em igual altura, por isso, a dele em particular, em 2012, foi a senha para fazer o governo que tanto desejara mas foi frustrante, desastroso, um erro administrativo. Ele, o prefeito da gestão que terminou em 2016, foi considerado o pior de toda a história pelos mesmos eleitores que, em 2012, deram a ele a confiança plena. Se ele fosse para a reeleição, provavelmente teria, como recorde, a mais baixa de todas as eleições.

O próprio partido a qual era filiado, foi capaz de abandonar sua gestão. Em carta, afirmaram-se completamente fora das decisões administrativas e que, qualquer rota tomada pelo governo, era uma posição isolada do prefeito e não tinha qualquer participação da sigla.

Desaparecido desde que saiu, o ex-prefeito foi à Câmara ver de perto a votação. Ele teve a reavaliação das contas, isto é, mandar novamente para o TC para rever provavelmente equívocos e, depois, a rejeição plena com, inclusive, a abstenção de membros da base.

Orso volta para onde nunca saiu. Chegou à Cadeira de prefeito e ninguém viu. Saiu e não deixou saudades. Foi um desastre total. A rejeição de suas contas é uma verdade. Orso, como se viu pelos vereadores e o Tribunal de Contas, é uma fraude administrativa.


Palhoça Você em Dia - Mobile
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro