Close Menu

Busque por Palavra Chave

SP Convention

Cifra Econômica | Insegurança jurídica, arrecadação e dólar

Por: Daniel Ribeiro
25/07/2018 10:18 - Atualizado em 03/08/2020 10:30

Insegurança jurídica

Um caso relacionado à cobrança de pedágio ilustra como decisões contraditórias do governo federal, do Congresso e do Judiciário vêm afetando o investimento em infraestrutura no País.

A concessionária NovaDutra, por exemplo, teria de triplicar o valor do pedágio na rodovia que liga São Paulo ao Rio caso Câmara e Senado venham a aprovar proposta que isenta de tarifa moradores e trabalhadores de cidades onde estão localizadas as praças de pedágio.

Este é apenas um dos 182 projetos atualmente em discussão no Congresso Nacional que oferecem benefícios a usuários específicos.

Desde junho, não só a NovaDutra, mas todas as concessionárias foram obrigadas a isentar caminhões vazios. Essa foi uma das concessões do governo federal aos caminhoneiros, na época da greve da categoria.

A regra já vale para rodovias federais, estaduais e municipais, mesmo as que foram concedidas.

Arrecadação em junho

O governo federal bateu recorde de arrecadação de impostos no mês de junho. No total, o valor arrecadado pela União no período chegou a R$ 110,855 bilhões, com crescimento real (descontada a inflação) de 2,01% comparado a igual mês do ano passado. O montante é o maior para o mês desde 2015, quando o valor foi de R$ 113,625 bilhões.

Com esse valor, a arrecadação de impostos no primeiro semestre chegou a R$ 714,255 bilhões, um crescimento de 6,88% em relação ao mesmo período de 2017. As informações foram divulgadas nesta terça-feira (24) pela Receita Federal. Entretanto, o ritmo de crescimento caiu: em janeiro, chegou a 10,12%, em fevereiro a 10,34%, em março a 8,42%, em abril, 8,27%, e em maio, 7,81%. Assim, as receitas administradas pela Receita Federal chegaram a R$ 108,132 bilhões, com crescimento real de 1,23%, em junho. No primeiro semestre, o valor ficou em R$ 689,309 bilhões, com alta de 6,05% (crescimento real).

Dólar cai e bolsa sobe

O dólar comercial fechou em queda de 1,06% na terça-feira (24), cotado a R$ 3,743 na venda. É o menor valor desde 18 de junho, quando o dólar valia R$ 3,74.

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, subiu 1,49%, a 79.154,98 pontos, no maior nível em dois meses, desde 24 de maio (80.122,31 pontos).

Na véspera, a moeda norte-americana havia subido 0,24%, a R$ 3,783 na venda, e a Bolsa havia caído 0,73%.

As ações da mineradora Vale (VALE3), com forte peso no índice, puxaram a alta da Bolsa. Os papéis da empresa subiram 3,45%, a R$ 51,31, após a agência Moody's subir a classificação de risco da mineradora para "grau de investimento", uma espécie de "selo de bom pagador".


Essenciais de Verão
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro