Close Menu

Busque por Palavra Chave

A invenção de Esperidião; Paulo Bauer estruturado; Nominata duvidosa do Progressistas, Dário Berger coça-se; Colombo e o Zelote; Valter Jobim no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
31/07/2018 09:42 - Atualizado em 31/07/2018 11:09

Por que Esperidião Amin é sempre candidato?

A inteligência acima da média do atual deputado federal é inquestionável. À toa não é sua hegemonia plena dentro da sigla que, por conta de sua teimosia em deixar outros correligionários ganharem o espaço, perdeu para LHS e Dário Berger duas vezes em um espetáculo que colocou sua liderança longe das urnas por oito anos. Foi se preparar, ganhar mais conhecimento e experiência no doutorado, lugar onde tirou excelentes notas em várias matérias, mas em uma disciplina não entendeu muito bem sua idade, o tempo e a renovação. Sua condição de líder intimida aos demais. É justamente esta a lição em que poderia ter escutado mais. Talvez o professor tenha ensinado, mas o aluno não compreendeu. Ao menos valeu pela merenda.


Por que a juventude tem pouco espaço na política?

A juventude sofreu muitos anos com políticas de estrutura competitiva desigual entre jovens e caciques. Após a proibição das doações de empresas nas campanhas políticas e a redução dos tetos de gastos, o cenário competitivo entre jovens e tradicionais oportunizou maior chance de competição. O auto patrocínio limitado a 10% da renda, aprovado na Câmara, porém vetado por Temer, seria uma excelente maneira de ampliar ainda mais as chances dos jovens nesta disputa, visto que o poder aquisitivo seria ainda menos influente. O cenário de renovação mostra a oportunidade que temos este ano em ampliar o quadro dos jovens tanto na Câmara Federal como na Casa Legislativa de Santa Catarina, as pessoas sabem que é necessários mudar o cenário político e acredito que o resgate do orgulho de sermos brasileiros virá com as próximas gerações debruçadas sobre a coisa pública, com ética, retidão, caráter e bons projetos. Nós jovens somos a esperança das novas políticas que irão retomar o crescimento do nosso país e de Santa Catarina.

Qual seu compromisso com os catarinenses se chegar à Alesc?

Nosso compromisso é de lutar por algumas pautas como a da saúde, na qual tenho vasta experiência na indústria farmacêutica, que relacionando aos medicamentos, iremos propor reduzir os tributos, melhorar o alcance, qualidade e principalmente, modernização dos Programas de Benefícios de Medicamentos como o “Farmácia Popular”, onde temos projetos para propor ao Executivo, já realizado em outros lugares, como no Distrito Federal, muito bem representado pelo senador Reguffe. Estes projetos irão atingir idosos, aposentados e pessoas de baixa renda, neste que é um assunto de extrema importância, e que se encontra em enormes dificuldades atualmente que é a pasta estadual da Saúde. Não aceitaremos auxílio moradia nem carro oficial. Através de um aplicativo nosso gabinete terá mandato compartilhado e metade dos cargos de comissão de nosso gabinete será preenchida através de processo seletivo e edital público, já implantado por mim em algumas Câmaras de Vereadores de nosso Estado. Redução dos custos, avaliação do desempenho e enorme transparência será nosso compromisso com os catarinenses. Hoje a Alesc é a 3ª Casa Legislativa mais cara do Brasil, enquanto sobra dinheiro para gastar na Assembleia, hospitais públicos, escolas de ensino médio e o acesso a bons medicamentos se encontram em situação caótica em nosso Estado, é possível fazer melhor, basta acreditarmos nas novas pessoas.


Efeito

A candidatura inventada de Esperidião está longe de ganhar a altura que está planejando, embora tenha todo o direito de disputar. A reação nas bases, que observaram sua iniciativa um tanto fora de nexo, vai demonstrar muito na semana.

Invenção

As candidaturas de Paulo Bauer, Mauro Mariani, Gelson Merisio e Décio Lima foram construídas dentro de um respeito por suas lideranças e sem pegar os quadros em surpresas. Ao contrário de Amin que, no estalar dos dedos, surgiu.

Certo

O ex-governador tem direito de disputar quantas eleições entender, mas tem experiência suficiente para observar o cenário que criou. A responsabilidade que assumiu, a meio motor, deixa dúvidas de que pode ganhar a velocidade desejada.

Sintoma

As fontes que buscaram desestabilizar a candidatura de Gelson Merisio agiram inteligentemente no ponto mais fraco de Esperidião. A história de disputas em que naufragou mostra que, quando deixou de pensar, o ego cegou-o.

Engana

A nominata a estadual construída na convenção dos ex-PDS, tem ganho questionamentos da seriedade devido à presença de quadros que descobriram, somente no final do dia, que estavam sendo escalados para uma missão eleitoral.

Catarinão

João Paulo Kleinübing condenou a velha disputa entre Fla-Flu, alegando que isto o estimularia a fazer a própria escalação. Acabou traindo-se pelo que abominou. Poderia ter ido de Chapecoense. Trocou sua condição de juniores pela de veterano.

Alucinação

As candidaturas do PT, PSDB, MDB e PSD, deram-se pela história de mais de um ano para se consolidar. A dos Progressistas, inclusive pegando os deputados de surpresa, foi no estalar dos dedos, completamente despreparada.

Felicidade

Espera-se que, depois da candidatura relâmpago de Esperidião ao Governo, os ulyssistas façam Nota Oficial de Agradecimento à coragem do deputado federal. Se antes viam-se desestimulados, agora ganharam uma razão a mais na disputa.

Estimulante

Mais que agradecer pela iniciativa do progressista, Dário Berger gostaria muito de voltar ao cenário. O senador tem por Esperidião mais que uma mera disputa. Amin é campeão em lhe dar cargos de prefeito. Agora deseja SC.

Campeão

O antecessor de Pinho Moreira beija o rosto de Gelson Merisio à moda Zelote, partido do apóstolo que, à mesa, foi escalado para entregar ao abate o seu mestre. Agora, cheio de fantasmas, atribula-se. Se antes estava ruim sua ida ao Senado, ficou pior.

Então

A fuga de Jorge Boeira da disputa pela Câmara começa a contaminar também os quadros em busca da Alesc. Altair Silva, elevado a deputado pelas mãos de Gelson Merisio, começa a sentir calafrios. Américo Nascimento vai a estadual pelo PSD.

Representatividade

Altair Silva somente sentou no gabinete de Valmir Comin, por meses, devido à entrada do Progressistas no Governo que enfrentou em 2014. Pelas digitais de Merisio, ganhou dimensionamento que, agora, sente diminuir.




Alesc - Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro