Close Menu

Busque por Palavra Chave

Campanha morna; Dossiês começam a ser produzidos; Colombo X Pinho Moreira; O papel do empresariado; Caroline Detoni no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
23/08/2018 10:17 - Atualizado em 23/08/2018 10:27

O desafio dos empresários nestas eleições

O setor empresarial deverá pesar no processo eleitoral porque, defensores plenos de ideais privados, querem que o setor estatal seja colocado em discussão. As empresas do governo, em maioria absoluta, máquinas de emprego de correligionários e amigos, têm sustentado famílias, como todos sabem, com o dinheiro da sociedade. O setor público é um enfadonho paquiderme que, nos tempos modernos, não pode mais sugar recursos que podem ser colocados em favor da Educação, principalmente esta que, dominando o cidadão, dá luz às iniciativas de independência, tolerância e intelectualidade. Violando, como estupro, o caixa do Tesouro, as empresas do governo pesam, como cruz, nos ombros do contribuinte. Se as entidades já discutem, está na hora do eleitor entender este castigo.


Qual o papel da mulher nestas eleições?

As mulheres têm um papel fundamental não só nestas eleições, mas também na política, porque as mulheres têm um olhar diferenciado para as questões sociais, são detalhistas, atenciosas e normalmente têm empatia e sensibilidade no trato dos problemas das pessoas, isso com toda certeza é um grande diferencial da mulher. É fato que as mulheres, em geral, não se interessam muito pela política, mas isso tem mudado principalmente depois de tantos escândalos de corrupção no Brasil, fazendo com que vários cidadãos que nunca antes tinham se envolvido na política, incluindo as mulheres, começassem a se interessar pelos temas públicos. O cidadão terá um protagonismo ímpar neste ano, pois todos queremos mudanças na gestão pública e, para tanto, precisamos renovar, eleger novos políticos, pessoas realmente comprometidas com a diminuição do Estado, dos tributos e com a preservação dos valores civilizacionais. Digo, assim, que o Bolsonaro é o nome que trará essa renovação que o brasileiro quer para o Brasil e me sinto muito honrada em fazer parte do time PSL. Sou privilegiada por ser mulher no partido, pois fui convidada a ser vice-presidente estadual justamente por ser mulher e do Oeste, ou seja, oportunidade que não teria nos partidos tradicionais. Portanto, com muita honra digo: sou mulher e sou apoiadora de Jair Messias Bolsonaro. Reitero: as mulheres terão um papel muito importante nestas eleições.

Sua candidatura representa o que para o cidadão?

Sou a mudança. O povo brasileiro está cansado da velha política. As negociatas, a malversação de verbas, o trato da coisa pública como se privada fosse, tudo isto tem feito o povo brasileiro menosprezar os erros do passado, perder a esperança no presente e desacreditar do futuro. Represento este anseio coletivo de mudança e renovação. Por ter atuado em várias pautas defendidas pelas famílias e cidadãos comuns que não se sentem representados na atual democracia brasileira em face de uma casta estatal que enxerga apenas os próprios interesses pessoais, tenho legitimidade para assumir este desafio de colocar o Brasil no eixo. A mudança é inadiável e eu a represento, porque tenho um passado concreto de atos em prol dos interesses do cidadão. Portanto, sugiro a você que está cansado da atual situação política do Brasil, que conheça meu trabalho nas redes sociais, você não só se identificará, como constatará meu real compromisso com as causas que interessam aos brasileiros.


Morna

Embora a pesquisa apresentada pelo Ibope no final de semana tenha injetado a esperança de um início aquecido de disputa, não se vê absolutamente nada. Os quadros estão apagados e, sabe-se, estrategicamente estudando uns aos outros.

Normal

Agora é o momento de estudos dos dossiês já em montagem que vão começarem a dar o ar destrutivo da imagem de cada um. Os ataques e elevação do clima vai se dar perto do dia 10 de setembro quando já começou o programa eleitoral.

Anormal

Há, também, uma campanha doce, de gentilezas iniciais que os três principais nomes, Décio Lima, Gelson Merisio e Mauro Mariani, vão fazer para amaciar o ego de possíveis aliados no 2º turno. Bater forte, gera ódio e indignação.

Rompimento

As prefeituras, onde MDB e PSD tiveram relações na eleição municipal, começam a ganhar o amargo da divisão de interesses. Prefeito e vices, além de vereadores, antes afinados, ganham distanciamento. É o efeito da falta de LHS.

Cobrança

Cresce no PSD a ideia de que Raimundo Colombo mande recados ao MDB que ele, em fevereiro, antecipou a entrega do governo. Reafirmar a força de sua gestão, reconhecida em pesquisa da Folha, para fortalecer o projeto ao senado.

Enfrentamento

Chamando Pinho Moreira para o debate da gestão que recebeu, Colombo colocaria em xeque a gestão do MDB que, constantemente, tem afirmado cãibra no Tesouro. O ouriço assumido inviabilizou a ida de Eduardo à reeleição.

Grupo

Igualmente em xeque, Raimundo Colombo ganharia a confiança dos prefeitos do PSD e Progressistas ainda com seu nome engasgado na garganta com o naufrágio do Fundam. O enfrentamento com o MDB seria, neste caso, a farinha para descer.

Sumido

Como foi sua decisão, Eduardo Pinho Moreira está voltado às dores do governo que afirma ter assumido na fraude administrativa de Raimundo Colombo. O governador do MDB, caminhando em brasas, olha as folhas e 13º.

Exploração

O MDB vai colocar no programa eleitoral a MP 220 que alterava alíquotas de ICMS em benefício da indústria para atrair a atenção do empresariado. Vai atacar a candidatura de Gelson Merisio que liderou a derrota do projeto de Pinho Moreira.

Contrária

Se Décio Lima tem alcançado números que até ele duvidava no Ibope, não tem ajudado a acelerar a candidatura de Ideli Salvatti. A ex-senadora e mulher forte no Governo Dilma, patina sobre quiabo. 2018, de fato, não é 2002.

Mais

Jorginho Mello tem a presença de Ivete Appel da Silveira na suplência e terá que ganhar, por esta luz ulyssista, o diferencial eleitoral para garantir sua chegada. Embora a campanha tenha começado agora, ainda não ganhou o debate obrigatório.

Ele

A presença de Narcizo Parisotto na 2ª suplência de Colombo deve aquecer em favor do candidato serrano. Líder absoluto da Igreja do Evangelho Quadrangular, os féis seguem sua orientação. No encontro religioso em Itajaí, Raimundo navegou.



Palhoça Você em Dia - Mobile
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro