Close Menu

Busque por Palavra Chave

Li, Vi e Ouvi | Lodaçal na política, doença e fórmula digna

Por: João Lamarque de Almeida
24/09/2018 15:53 - Atualizado em 01/07/2020 11:08

Lodaçal na política

Em 7 de outubro, teremos a as eleições para presidente, governador e parlamentares. Aí está, no retido lodaçal, em que a política enxovalhou a disputa sã. Votar não é apertar os botões da urna, como diz a propaganda eleitoral oficial, nem optar pelo “nulo”, ou pelo “em branco”, como protesto e desencanto. Votar é um ato exponencial, que incide sobre nossos passos e atos futuros.

Não é sintonia, mas sim doença

A desigualdade no Brasil é problema seríssimo, e não apenas uma consequência qualquer do desemprego ou das escolas públicas. Ela tem uma dinâmica de persistência própria, que envolve mais do que a educação e emprego. Passa também por segurança pública, atendimento de saúde, gênero, raça, estrutura política e matriz tributária. Dada a sua complexidade e gravidade, ela deixa de ser um sintoma e precisa ser tratada como uma doença, de fato.

Fórmula digna

Cada paciente tem sua maneira própria de sofrer e é natural que encontre uma fórmula quemantenha apto à sobrevivência mais digna que consiga.

Pensamento

O político deve sempre buscar a aprovação, porém jamais, o aplauso.

- Montesquieu


Covidômetro - Florianópolis - Maio
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro