Close Menu

Busque por Palavra Chave

Investimentos Criciúma

Declaração de Merisio muda tudo; MDB também quer Bolsonaro; Geraldo Alckmin se foi; Todos na carona da onda; Fabiano Dadam Nau no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
27/09/2018 10:24 - Atualizado em 27/09/2018 10:25

Até tu Brutus?

Quando se faz presente ao evento de Rogério Peninha Mendonça, Paulo Bauer quebra a espinha de Geraldo Alckmin. Buscando os votos para assumir a segunda posição que, em tese, está dominada por Raimundo Colombo. Da executiva nacional, ao enfiar o punhal na jugular do presidenciável, este gesto romano tem intenções na reeleição que, nas pesquisas, está ameaçada. Salvando a própria pele, o evento no Alto Vale, vale alto para sua sobrevivência na vida pública. Depois de ser atingido pela bomba atômica do Hypermarcas, cuja radiação tirou sua ida ao governo, perdeu o espírito partidário. A declaração de voto de Gelson Merisio tem duas interpretações. Se vai dar certo, só depois. Se o risco é grande, pior é indefinição.



Quais são as necessidades do povo catarinense a serem defendidas na Alesc?

A bandeira da minha campanha é “Respeito ao dinheiro público”. Eu acredito que aí reside a solução para muitas das nossas mazelas. Arrecadamos bem e aplicamos mal o dinheiro pago por cada um de nós por meio dos impostos. A experiência que tenho como auditor fiscal de carreira me credencia a levar para o Parlamento esse debate e aplicar na prática – e em prol dos contribuintes – esse conhecimento. Na condição de filho de professores, também tenho a educação como foco, especialmente a inclusão por meio de ensino gratuito de qualidade e de utilizar o esporte como porta de entrada para novas oportunidades. As necessidades do povo catarinense são diversas, mas aqueles que me derem a honra do voto podem saber que terão um defensor da transparência, do serviço público de qualidade e da inclusão para aqueles que ainda estão à margem das oportunidades. Essa é minha primeira eleição, faço parte da coligação Aqui é Trabalho, que tem como candidato a governador o Gelson Merisio, que também tenta chegar ao Executivo pela primeira vez. Estou confiante que os catarinenses farão pelas urnas uma renovação efetiva de pessoas e de propostas.

Neste momento de incertezas nacionais, o que o cidadão deve fazer para acertar o rumo?

Não existe arma de transformação mais poderosa que o voto. O país está polarizado, dividido, e isso não é bom para ninguém. O cidadão deve votar com convicção pessoal e por afinidade com as propostas apresentadas pelos candidatos, não para ir contra um ou outro. Essa é a parte que cabe a cada um e por isso deve ser feita com responsabilidade. Ainda hoje infelizmente vemos compra de voto e temos agora o advento das fake news, por isso é preciso discernimento. Se cada um votar pensando nas consequências das suas escolhas, certamente teremos um novo ciclo político. O respeito ao próximo deve acontecer desde já, durante a campanha, que precisa ser limpa e propositiva.




Mobilização

Ligado diretamente à liderança de Jair Bolsonaro, Rogério Peninha Mendonça reúne, em Ibirama, presidentes, vices, vereadores e lideranças regionais para que anunciem apoio ao presidenciável do PSL com orientação nacional.

Adesão

O candidato do MDB ao governo vai estar presente e, com Jorginho Mello e Paulo Bauer à tira colo, manda um recado de abandono completo à candidatura de Geraldo Alckmin. Com a ida do vice-presidente nacional do PSDB, arruinou geral.

Recado

À medida que o evento liderado por Rogério Peninha Mendonça conta com o vice-presidente nacional do PSDB, significa que o projeto de apoio a Geraldo Alckmin em SC, naufragou. O presidenciável se afoga em abandono também no PSD.

Ocupação

A orientação de Rogério Peninha junto a Mauro Mariani é um alerta às posições de Gelson Merisio de adesão à causa, agora que deu declaração a Bolsonaro. Se seu pessoal, ligado à coligação, deu direcionamento antes, ganhou o todo.

Corrida

Se no encontro de hoje das lideranças do MDB, Mauro Mariani estiver presente, entende-se que este apoio, antes a Geraldo Alckmin, é para medir força com Gelson Merisio para ver qual deles leva mais votos no 1º turno.

Então

Como Jair Bolsonaro tem tempestade eleitoral a seu favor e disputando com o PT de Fernando Haddad, entende-se o gesto de Gelson Merisio e do MDB. Já tem a visão plena de que não irão receber os votos do PT em suas causas.

Mais

Como os tucanos estão casados com o MDB e com Merisio declarando voto, é a senha de que o PT vai ignorar a ambos no 2º turno. Justifica a posição de Gelson Merisio que, dizendo sim a Bolsonaro, diz não aos petistas.

Grito

Se Gelson Merisio evita o silêncio, afastando os votos do PT, sai do armário. Agora conhecido, leva em consideração a tese de que, quem agrada a todos, não com vence ninguém. Olhando seu melhor cenário, abriu.

Fato

Insistindo em Geraldo Alckmin, o MDB observa-se afundado junto. Neste caso, para evitar hemorragia eleitoral, sinaliza aproximação com Bolsonaro. Manda recado para Carlos Moisés, patinando morro abaixo, mas com 6%.

Final

Geraldo Alckmin entregou a Eduardo Pinho Moreira, que gravou apoio, sua chave eleitoral em SC. Confiando esta missão ao governador, agora vê seu projeto como os buracos da BR-282. O encontro de Ibirama e a declaração de Merisio, acabou.

Cinzas

Colocado para incineração pública, Geraldo Alckmin derrete a exemplo de Ícaro. Conforme avançam os dias para o grito das urnas, seu pó vai se acumulando no abandono dos aliados. Até o PSDB já acendeu seu lança-chamas.

Vácuo

Quando Raimundo Colombo fica confuso entre assumir Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, escondendo-se dos eleitores, o senador Paulo Bauer, em busca da reeleição, frita o paulista para buscar suplantar o lageano nas pesquisas.



Alesc - Julho
Investimentos Criciúma
Fiesc Setembro
Blumenau pronta para crescer
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro