Close Menu

Busque por Palavra Chave

REJEIÇÃO NA CÂMARA

"Vereador não deve assumir Secretaria", assegura Orly Bernardes

Por: LÊ NOTÍCIAS
09/12/2016 16:16 - Atualizado em 09/12/2016 16:22
Orly Bernardes espera que projeto seja analisado novamente no ano que vem (Foto: Divulgação/LÊ) Orly Bernardes espera que projeto seja analisado novamente no ano que vem (Foto: Divulgação/LÊ)

Xaxim – Na última terça-feira (06), o Poder Legislativo de Xaxim derrubou um projeto que pedia alteração da Lei Orgânica Municipal. A proposta determinava que o vereador deveria renunciar ao mandato, caso assumisse cargo como secretário municipal. Orly Bernardes, Presidente do Observatório Social de Xaxim (OSX) e da ACIAX (Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Xaxim), lamentou a decisão dos atuais vereadores, que em segunda votação, rejeitaram o projeto por sete votos a quatro (necessitava de dois terços do plenário para ser aprovado).

A proposta de alteração na Lei Orgânica municipal foi apresentada ao Legislativo (em 21 de novembro) pelo OSX, ACIAX e a CDL de Xaxim (Câmara de Dirigentes Lojistas). No dia 22 a proposta deu entrada oficialmente no Plenário e no dia seguinte (23), o projeto foi aprovado em primeira votação com nove votos favoráveis e duas abstenções. “Levamos para a Câmara de Vereadores a ideia compartilhada pela sociedade. A sugestão foi para o Legislativo e não para a Prefeitura, porque é na Câmara que o vereador trabalha. Sabíamos que não era o OSX quem decidiria. Quem decide são os vereadores, com o voto deles e foi o que aconteceu,” afirma Orly Bernardes.

O dirigente esclarece a proposta: “De forma alguma o OSX tem como função ou está querendo prejudicar o trabalho do Prefeito que vai assumir e que vai fazer o trabalho dele. Infelizmente, a Lei Orgânica tem essa brecha de permitir que o vereador assuma uma secretaria e depois volte para a Câmara. No entanto, isso é totalmente inconcebível para qualquer eleitor. O vereador durante a campanha, ele sai nos bairros pedir o voto e vê o bairro com carências: nas estradas, com problemas de iluminação, de recolhimento de lixo e outras necessidades... Ele assume o compromisso com os eleitores de resolver esses problemas. No entanto, em nenhum momento ele avisa o eleitor que não ficará na Câmara para lhe representear, mas que irá para a Prefeitura.”

Orly Bernardes defende que a sociedade precisa diferenciar as funções dos servidores municipais nos Poderes Legislativo e Executivo. “O próprio nome já explica: como servidores, o Prefeito, Secretários e demais funcionários do Executivo (Prefeitura), eles executam – fazem obras, serviços, administram e gerenciam o dinheiro público, aplicando nos devidos lugares. Já no Legislativo (Câmara), os servidores que formam o grupo de vereadores, eles legislam – acompanham o cumprimento por parte do Executivo, das leis e fiscalizam a boa aplicação dos nossos impostos. Desta maneira, com essa brecha atual na lei, o vereador recebe o voto, faz a posse e vai direto para a Prefeitura, ou seja, vai direto para o lugar onde ele deveria fiscalizar – onde se candidatou com a finalidade de fiscalizar,” explica.

O empresário diretor da empresa Plasmetal, prossegue: “Essa é a mentalidade que nós temos. Como é que você vai trabalhar dois anos numa secretaria e depois você retorna como vereador e vai fiscalizar a secretaria que você estava? Totalmente inconcebível. É esse o raciocínio. Vereador deve ser vereador, apresentar projetos, cuidar dos investimentos e fiscalizar a Prefeitura, porque foi para isso que o povo o colocou na Câmara. A Prefeitura, no entanto - se ela acha definitivamente que o vereador eleito tem capacidade e que somente ele poderá ser secretário – ela não está de forma alguma proibida de fazer isso, desde que o vereador renuncie ao cargo, para que o suplente assuma definitivamente o trabalho de legislador. O prefeito tem todas as liberdades. Não se está proibindo de fazer nada,” enfatiza.

Para 2017, o OSX, a ACIAX e a CDL de Xaxim, aguardam que o assunto retorne ao Plenário da Câmara. “A ideia do povo, foi jogada. A Câmara fez a votação. O povo sabe quem votou a favor e quem votou contra Xaxim. Houve uma oportunidade do nosso município ser o pioneiro no Oeste do Estado com essa lei. É uma lei que não tem nada a ver com a Constituição, como a Câmara debateu. É uma lei local - está dentro da Lei Orgânica, criada pela Prefeitura e aprovada pela Câmara. Então, não tem que estar discutindo Constituição, como ouvimos. Isso aí é balela. Quem não votou, foi por pressão, porque não quis ou por manobras. A votação foi feita e a responsabilidade é dos vereadores que não aprovaram. Para nós, resta continuar fiscalizando e torcendo para que no início do próximo mandato, um vereador com bom senso e comprometido com a cidade, assuma essa bandeira e chegue na Câmara com essa ideia de alterar a Lei Orgânica, porque não precisa esperar cinco anos. Pode ser no começo de 2017,” alerta Orly Bernardes.


Outras Notícias
Fecam
OktoberFest
CORAÇÃO DE SC
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro