Close Menu

Busque por Palavra Chave

Jornalismo comprado; MPE não sabe quem pagou?; Dossiê mais tem rastros?; A paz sob ameaça; Marquito de Abreu no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
03/10/2018 10:26 - Atualizado em 03/10/2018 10:41

O servo é maior que o seu senhor

A frase, como se conhece, foi ensinada ao contrário por aquele que, segundo se sabe, apanhou e foi crucificado e, pela força que teve, ressuscitou. Para muitos que não entenderam o ensinamento, o superior foi rebaixado e o servo elevado. Pode ser. A história da humanidade mostra que tiranos, ontem passados como pessoas do bem, foram seus maiores algozes. Foi o chicote e também a guilhotina. Neste momento em que a eleição não sabe qual rumo está tomando, o poste está mijando no cachorro. Ver um patético adolescente, das duas rotas extremistas, ensinando o historiador, é porque, como se sabe, o fim chegou. O culpado disso, fora o analfabetismo, é Fernando Haddad e Jair Bolsonaro.


O que as cidades podem esperar para o seu mandato em 2019?

Sou engenheiro agrônomo e mestre em agroecossistemas pela UFSC. Agroecologia, gestão de resíduos, agricultura urbana, permacultura e segurança alimentar são pautas que carrego comigo. Na Câmara Municipal de Florianópolis, conseguimos aprovar em menos de dois anos de mandato, o Projeto de Lei que cria uma Política Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica na cidade e o Projeto de lei que reconhece a Maricultura familiar, a pesca artesanal e o extrativismo de berbigão, como atividades de interesse social e econômico, oferecendo assim, condições para o desenvolvimento sustentável dessas atividades no município. Também temos muitos outros projetos de lei em tramitação. Por isso estou candidato a deputado estadual pelo PSOL, para ampliar nossa atuação. Uma nova política precisa nascer e temos uma grande responsabilidade pra que isso aconteça.

Quais as maiores dificuldades da democracia?

O maior obstáculo para a democracia no Brasil é a profunda desigualdade econômica. Nós estamos entre os dez países mais desiguais do mundo e não só na economia. Existe um abismo de classe, raça e gênero no Brasil que precisa ser transposto. Democratizar a política só é possível quando a gente democratiza também a economia, quando as pessoas têm acesso a terra, à moradia, à educação, têm segurança e soberania alimentar e nutricional, acesso a um ambiente equilibrado, acesso à Justiça, quando as pessoas podem ser plenamente tudo o que são. Só a partir da garantia universal desses mínimos é possível falar em democracia e justiça social de verdade.



Enganados

Quem vê um Gelson Merisio sendo metralhado pelos ulyssistas, com aquele material transparentemente encomendado para um fim, imagina que o candidato a governador vai se deixar ameaçar. O deputado é amaciado.

Amaciado

O que viveu para chegar a ser o candidato a governador, elevou seu grau de chicotadas. Já não sente dor, não sangra e continua em frente. Talvez seja isso que, a encomenda de ataques à sua liderança, estimula-o mais.

Encomenda

Aquele material feito para atacar Gelson Merisio é uma piada. O MDB vai dizer que não é do seu pedido e o PT que não conhecia o teor. Pouco dando importância, o candidato a governador do PSD, mais convicto, segue em frente.

Agora

Soltar aquele material feito à moda Bill Gates, com toda aquela tecnologia e cheia de boa visão, não iria acontecer se, de fato, não tivesse o pedido feito no balcão. Para o eleitor, que não sabe disso, pode até mexer, mas não tira o jogo.

Mandrake

O site, com tarjetas para negociação em vendas de jornalismo, é estranho à ética. Os repórteres, do nada, como uma mágica, descobriram os números da Mega-Sena e, batendo a varinha de condão, aparece um dossiê.

Reação

O coletivo do MDB aposta tudo na perda de votos para tirar Gelson Merisio da tranquilidade. Escancarada, só os alunos da 1ª série não sabem que o dossiê, encomendado, tem as digitais daquele que é seu melhor adversário.

Novamente

Jorginho Mello não somente está em uma desesperada luta para passar o terceiro colocado na corrida ao Senado, mas está levando uma multa atrás da outra das ações movidas por Raimundo Colombo. Chegou mais R$ 100 mil.

Grandalhão

Atacando Raimundo Colombo com filmagens que o jurídico do ex-governador tem afirmado serem falsas, o candidato a senador tem sofrido revezes. Jorginho afirmou que vai derrubar um grandalhão e tem Paulo Bauer à frente.

Fraticida

Estes recados avisando que vai fazer isso e aquilo contra este ou aquele adversário, parecem aquelas briguinhas de escola onde os alunos, em sala, afirmam brigar do lado de fora. Quando chega a isso, ambos perdem o respeito.

Bastão

Paulo Bauer, também querendo voltar ao Senado, tem em Jorginho Mello seu maior adversário. Para alcançar Raimundo Colombo, então líder nas pesquisas ao lado de Esperidião, terá que utilizar dos meios que entender para superar.

Acordou

Como Esperidião Amin e Raimundo Colombo transitam na ponta das pesquisas, eles se amarram juntos. Ao contrário de Jorginho Mello e Paulo Bauer. O desespero aparente do republicano mostra que, nestes dias, caiu-lhe a ficha.

Decisivo

Para o republicano dar uma de Ayrton Senna, vai ter que dirigir na chuva e, se possível, arrancar o bico do tucano à sua frente. Nesta semana onde tudo acontece sem que ninguém perceba, o que ocorrer, é normal. Vale tudo.



Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro