Close Menu

Busque por Palavra Chave

Debate na NSC revela fracos; Dossiê contra Merisio é oportunista; JKB destrói Bolsonaro e Haddad; Valdir Colatto no Duas Perguntas

Por: Marcos Schettini
04/10/2018 09:49 - Atualizado em 04/10/2018 09:49

O dossiê e suas dúvidas de seriedade

Gelson Merisio é nome para compor a cabeça de chapa desde o ano passado. E bem antes disso, já costurava as intenções. Por que o dossiê apareceu agora às vésperas da eleição? Está mais do que claro que a questão é política. É mais do que justo que o candidato a governador do PSD responda às perguntas do dossiê. Ele, o documento, antecipadamente negociado, apareceu como um gênio da lâmpada que, esfregando, concede o desejo do tropeço nas urnas. Esta bobagem não cola. Se foi o MDB quem, por trás das cortinas, confeccionou o material, o partido é maior que isso. Este produto estranho, aparecendo no estalar dos dedos, com um conteúdo, diga-se, cheio de intenções nocivas, tem endereço de origem. Se tudo o que está escrito é real, então por que apareceu agora? Estas denúncias, que surgiram agora, são como diz JKB que, em outras palavras a Haddad e Bolsonaro, afirma ser uma fraude. E, de fato, são.


Quais são os desafios para o novo mandato?

Manter nossa firmeza e convicções em favor do agricultor, suas lutas para produção, incentivos, elaborações de leis que abram para a grande produção de alimentos. Quando a gente faz a afirmação de que “Se você comeu hoje, tem que agradecer ao agricultor”, é porque são as forças mais importantes para um país. Nosso mandato é em defesa das agroindústrias, das cooperativas que honram o homem do campo, da agricultura familiar, para evitar o êxito rural e dar luz à juventude. Temos compromisso com o rompimento do horário de verão que prejudica tudo. E vamos lutar, como sempre lutados, para investimentos na Educação, na Saúde e Infraestrutura. Meu mandato pertence ao povo catarinense em defesa dos seus interesses e é isso que nos motiva a fazer um mandato limpo, transparente e com a cabeça erguida.

Como o senhor vê as soluções para as dificuldades do Brasil?

O país está vivendo um momento delicado porque a corrupção tomou conta de tudo. E temos que combater de forma violenta tudo que está aí. Temos que salvar o país para um novo modelo de gestão, um Pacto Federativo em que os Estados e municípios precisam ser escutados e terem a oportunidade de comandar seus destinos com incentivos fiscais. Não adianta mandar dinheiro para Brasília e o retorno não ser proporcional. Santa Catarina está sempre perdendo, sempre prejudicada. As leis precisam ser mudadas e temos feito isso ao longo do nosso mandato. Acredito no Brasil, acredito no povo brasileiro, acredito nos catarinenses. O país vai superar tudo isso. Somos fortes.



Bolados

O debate da NSC foi competente e dominado pela seriedade do jornalista Mário Motta que, em meio às patéticas colocações de Jessé Pereira e a falta de aceitação de Carlos Moisés, valeu pelo conteúdo firme.

Patéticos

Ser candidato a governador deve ter, em mínimas condições, visão da responsabilidade a qual deseja. Escutar a explanação de um quadro que não sabe falar, pensar ou respeitar seus adversários, dá em um circo.

Postura

Leonel Camasão, embora jovem e com sonhos de um rapaz que busca dar sua contribuição às causas, saiu-se bem. O bombeiro Carlos Moisés, assumidamente ciumento, perdeu tempo em tudo. Se não tivesse ido, já ganhava.

Trio

Décio Lima, Mauro Mariani e Gelson Merisio, os atores principais do encontro, foram alto na disputa. Cada um em seu farto caminho, sabem que as ideias já estão carimbados na mente do eleitor. Se mudar, é pouco. A ida ao 2º turno já se desenhou.

Enfrentamento

Se Décio Lima se apresenta como um quadro sereno, de pouco enfrentamento, mostrando-se equilibrado e educado com seus pares, o mesmo não se dá entre Mauro Mariani e Gelson Merisio. Eles já se elegeram.

Ataques

Mauro Mariani tem atacado o adversário com firmeza e Merisio tem se defendido com postura. Talvez seja esta demonstração de autocontrole que dá ao MDB a dificuldade de entender seu futuro no segundo turno.

Então

A competente jornalista Karina Manarin antecipou que, possivelmente, Mauro Mariani vá abraçar Fernando Haddad no 2º tempo. Ocorrendo, a intenção pode ser sepultura. Se o defensor de torturador já está forte, na etapa final, triplica.

Torturador

Jorge Bornhausen mantém sua definição em favor de Geraldo Alckmin e, revelado ao jornalista Cláudio Prisco Paraíso, chamou Jair Bolsonaro de defensor de torturador. JKB sabe que o Brasil caminha para o erro pleno.


Igual

À medida que diz que Haddad é o representante de Lula preso, JKB acredita que o país, como se apresenta, mergulhou profundamente na sombra e escuridão. Ou seja, os extremos que ganhou o eleitor, vai afundar a Nação.

Ele

Se Jorge Bornhausen reconhece que Bolsonaro e Haddad são fraudes, por sua experiência e equilíbrio na vida pública, é porque Raimundo Colombo, na etapa final, vai ficar quieto no rumo. Como é cria, vai seguir a visão do DNA.

Insistência

O MDB aposta tudo no fraudulento dossiê que apareceu do nada na eleição. Este documento que surgiu para prejudicar o adversário, tem origem suspeita. Gelson Merisio pode ser o que eles não gostam, mas não é patético.

Blá

O debate eleitoral que vai se dar no 2º turno, entre ambos, será em busca de várias iniciativas para manchar a honra de cada um. Típico do Brasil falido. Como não tem o que falar porque cansaram, buscam fake news.



Anúncio Radial 2
Campanha Infraestrutura - Mobile
Campanha Agricultura - Mobile
Campanha Segurança Pública - Mobile
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro