Close Menu

Busque por Palavra Chave

A mesmice do Ibope; Ninguém entendeu a pesquisa; Esmeraldas e Esmeraldinos; Debate ou abate

Por: Marcos Schettini
27/10/2018 09:52

Debate ou abate

A doença fictícia que Carlos Moisés criou para fugir covardemente do debate, lembra um aluno do primário que, com preguiça de ir à escola, mente para a mãe que está dodói. A decisão de enganar uma emissora de televisão de respeito como a NSC, desmascara o candidato. Receoso de ser revelado como miniatura de homem público, sem projeto para um Estado que precisa responder a seu povo, mentiu e fugiu. Tentou copiar seu colega do mesmo partido que está no 2º turno em Roraima. A diferença do roraimense Antonio Denarium em relação a Moises é sua postura de homem e, simples assim, não compareceu. O desrespeito do bombeiro aposentado com os eleitores catarinenses, com os jornalistas lá envolvidos que produziram um espetáculo da democracia que frustrou mentindo, mostra tudo. Além disso, buscou na Justiça impedir a participação de 20 minutos de Gelson Merisio, em uma atitude patética e que coloca em xeque sua idoneidade. Entendendo-se vencedor por antecipação neste domingo, acovardou-se produzindo uma farsa de si mesmo. Seu xará abriu o mar e atravessou o deserto para conquistar a terra prometida. Ele, para isso, só mentiu.


Então

Levando-se em consideração o que o Ibope leu no 1º turno, Mauro Mariani estava em primeiro, Merisio em segundo, Décio Lima em terceiro e Carlos Moisés em quarto. Os senadores eram Esperidião Amin e Raimundo Colombo.

Total

O Ibope conseguiu ignorar tudo o que ocorria na arena eleitoral. Só não errou completo pela chegada de Esperidião Amin. Ao não perceber Carlos Moises, Lucas Esmeraldino e a ida de Jorginho Mello, o instituto tropeçou geral. Foi campeão de equívocos.

Seriedade

Agora, com o termômetro fervendo, o Ibope conseguiu ler os mesmos números, inalterados por longos oito dias em pleno calor deste final de corrida. A aferição, mais que uma suspeita, prejudicando a ambos os candidatos, tem tudo para errar de novo.

Cenário

Provavelmente, cheia de tropeços, possa ser que Moisés tenha um numeral superior ou Merisio encostado nele. Sem alteração no levantamento, a provocação e osenfrentamentos de militantes e dos candidatos, não valeu de nada.

Mais

O cenário que saiu nesta rodada final do Ibope apresenta um hilário numeral patético que, provavelmente, não será o resultado deste domingo. Se Gelson Merisio não subiu ou seu adversário não tenha reagido, a pesquisa é uma farsa.

Farsa

Todo o trabalho feito pelo MDB oferecendo tudo ao PSL, as movimentações feitas pelo PSD e aliados, não tem sentido nos números apresentados pelo Ibope. Como provou ser campeão em todos os erros, o instituto está iludindo o eleitor.

Arrecadação

Cris Esmeraldino, o poderoso lobista que tem agido às escondidas de Carlos Moisés, tem passado a cestinha em várias empresas apavorando o candidato do PSL que, comprometendo-o plenamente se, de fato, levar o governo, já sai devendo.

Festas

Acompanhado do irmão quase senador e um leque de outros, já dividem um governo ainda nas urnas. Comendo camarão e bebendo vinhos da melhor qualidade, fruto da forte arrecadação, tem assustado muito quando, batendo à porta e entrado, pedem alto.

Normal

Neste momento de 2º turno, o sacoleiro age à margem do eleitor. Craques em produção de recursos, vendem-se segundo os números que as pesquisas apresentam. Faz parte do jogo eleitoral agir às escondidas. Foi assim no governo do PT em Brasília. O PSL já aprendeu.


Palhoça Você em Dia - Mobile
Covidômetro - Florianópolis - Julho
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro