Close Menu

Busque por Palavra Chave

As viúvas do PT no Enem; MEC passa vergonha; 30 anos da Constituição e o primeiro discurso de Bolsonaro na Câmara após ser eleito

Por: Weliton G. Lins
07/11/2018 10:23

As viúvas do PT

Nos quase quatro mandatos que teve, se Dilma Rousseff não fosse impedida, seriam 16 anos de governo, o Partido dos Trabalhadores pode dizer que cumpriu bem o seu papel. Preocupado desde sempre em levar a esquerda do país ao poder e empreender pautas progressistas, de combate aos valores morais, e a desmoralização da família, petistas conseguiram atingir muitos dos seus objetivos.

Tomaram conta

Tomando conta de todas as estruturas de governo no país, independente de qualquer que fosse a pasta, a esquerda brasileira avançou em suas pautas no tempo que esteve no poder. Prova disso, foi o tão esperado ENEM 2018 que, aguardado com expectativa, somente constatou o que já se imaginava.

Vergonha

A prova apresentada no último domingo foi uma vergonha. Do ponto de vista acadêmico em nada justificava as perguntas apresentadas. Questões pautadas por ideologias partidárias, pautas tendenciosas, com assuntos que o cidadão brasileiro demonstrou repulsa no último processo eleitoral.

Pautas mal escolhidas

Quem fez a prova reprovou a abordagem da mesma. Questões focadas em ideologia de gênero, feminismo, utilizando fontes como Revista Carta Capital e Pragmatismo Político, desagradaram muitos estudantes. O Espelho teve acesso a esse relato, de um dos alunos que fez a prova, o estudante Nicolas Carvalho de Oliveira:

“1. Umas dez perguntas feministas (uma delas, a pior, proveniente da Carta Capital, sobre as 23 Miss peruanas que usaram o concurso pra lacrar)

2. Meia dúzia de perguntas de militância negra

3. Os piores e mais desconhecidos poetas brasileiros nas perguntas de Literatura (todos eles lacradores, nenhum classicista)

4. Pergunta capciosa do Sto. Agostinho, de um excerto de sua obra que questiona a eternidade (não colocaram o resto)…

5. Outra sobre um dialeto que LGBTs usam)

6. Uma que é o trecho de um livro sobre uma lésbica que vê sua vó beijar sua tia (claro que essa merda de livro é brasileiro)

7. Outra contra o Gilberto Freyre

8. Um tema de redação – manipulação digital – que vai favorecer os professores amargurados com a derrota a premiarem aqueles que foram, em razoável português, explicitamente anti-Bolsonaro”.

30 anos da Constituição

Reunidos ontem no plenário da Câmara dos Deputados, parlamentares do atual Congresso Nacional celebraram 30 anos da Constituição de 1988. Presentes a solenidade, o presidente do Brasil, Michel Temer, presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, presidente do Senado Federal e presidente do Congresso Nacional, Eunício de Oliveira, presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro.

1º discurso

Discursando pela primeira vez no Congresso Nacional depois de ter sido eleito presidente da República, Jair Bolsonaro falou em um único norte para o país, a democracia. Finalizando com seu lema usado na campanha e que carregará consigo durante todo o governo, “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, o presidente eleito foi aplaudido de forma empolgante, demonstrando a simpatia que tem dos parlamentares.

Último discurso

Discursando pela última vez na Câmara, Michel Temer, atual presidente da República, disse que se pudesse resumir o momento em uma palavra, seria, recordação. Recordando a Constituição de 1988, Temer, que teve atuação de destaque naquele momento histórico, lembrou de figuras importantes, como José Sarney, presidente a época, e Ulysses Guimarães, principal nome da Constituinte.

Titular

Finalizando sua fala, o presidente do Brasil falou em titularidade do poder. Sucinto e direto, reconheceu que a população brasileira concedeu essa titularidade a Jair Bolsonaro no último dia 28. Destacando a importância da harmonia dos poderes, disse acreditar em um novo Brasil.


Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro