Close Menu

Busque por Palavra Chave

Custo da cesta básica continua em crescimento

Por: LÊ NOTÍCIAS
16/11/2018 16:58
Unochapecó Cesto básico apresentou aumento de 1,18% em relação a outubro Cesto básico apresentou aumento de 1,18% em relação a outubro

Todos os meses, o curso de Ciências Econômicas da Unochapecó, em parceria com o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom), realiza uma pesquisa sobre o custo do cesto básico no município. Neste mês, o levantamento foi realizado nos dias 5 e 6 de novembro, em dez estabelecimentos comerciais de diferentes bairros da cidade.

De acordo com a pesquisa, o cesto básico apresentou um aumento de 1,18% em relação a outubro. Diante desta variação, o consumidor chapecoense passa a necessitar de 1,41 salários mínimos para adquirir o cesto, ao passo que em outubro eram necessários 1,40 salários mínimos. A batata inglesa apresentou o maior aumento, de 66,81%, enquanto que a laranja suco apresentou a maior redução na comparação entre os meses de novembro e outubro, menos 16,82%. Essa redução é explicada devido ao maior volume da fruta encontrada nos supermercados pesquisados, o qual foi maior que no mês de outubro, quando nem todos os supermercados possuíam o produto.

No mês de novembro, o custo monetário do cesto básico aumentou para R$ 1.346,84, enquanto que em outubro o custo era de R$ 1.331,203. Na comparação dos últimos doze meses nota-se o aumento ainda mais expressivo de 5,56%. Em novembro de 2017 o custo do cesto básico era de R$ 1.275,87, em que os consumidores necessitavam de 1,36 salários mínimos.

Analisando separadamente os grupos e subgrupos que compõem o cesto básico, nota-se que novamente o grupo de alimentares sofreu o maior aumento entre os meses de outubro e novembro (+ 1,59%), influenciado pelo subgrupo in natura (+ 9,60%). O custo com o grupo de alimentares para o consumidor passou de R$ 921,16 (outubro) para R$ 935,80 (novembro). Na relação entre novembro de 2017 e 2018, o aumento do grupo de alimentares foi de 6,55%. Em novembro de 2017 o custo com esse grupo era de R$ 878,26. Já o tarifados (água, energia elétrica e gás de cozinha) sofreu um acréscimo de 0,48% no mês de novembro, passando a custar R$ 307,21 ao consumidor.

Por fim, o único grupo que apresentou redução em novembro foi o de não alimentares, reduzindo 0,44%. Essa redução foi puxada pelos itens de higiene que recuaram em novembro (– 1,49%). O custo monetário do grupo de não alimentares para o consumidor em novembro é de R$ 103,83, enquanto em outubro esse valor era de R$ 104,29.

AUMENTO DA CESTA BÁSICA

A cesta básica é a síntese dos preços de treze dos principais produtos que compõem o cesto básico que são eles: açúcar, arroz, banana, batata inglesa, café moído, carne bovina, farinha de trigo, feijão preto, leite, margarina, óleo de soja, pão francês e tomate. Comparando os meses de outubro e novembro do ano vigente, o custo da cesta básica em Chapecó, nos mercados pesquisados, apresentou um aumento de 5,71%. Em novembro de 2018, o custo da cesta básica para os consumidores chapecoenses aumentou R$ 18,24, custando um total de R$ 337,89, ao passo que em outubro o valor total da cesta básica era de R$ 319,65.


Outras Notícias
Palhoça Você em Dia - Mobile
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro