Close Menu

Busque por Palavra Chave

O que o coração não sente, os olhos não veem

Por: LÊ NOTÍCIAS
19/11/2018 16:43
Unochapecó No fim de tarde, o sol dá um espetáculo de cores na Unochapecó No fim de tarde, o sol dá um espetáculo de cores na Unochapecó

Com certeza você já ouviu a expressão "o que os olhos não veem o coração não sente". Mas a frase invertida também faz todo o sentido, vou explicar o por quê. Quando crianças somos seres puros, curiosos e dispostos a viver cada dia da forma mais intensa possível. Por isso, ao nosso redor, tudo chama atenção. A estrela mais brilhante do céu, as formigas carregando seus alimentos e até mesmo as pedras espalhadas pelo jardim. Com o passar do tempo, as responsabilidades surgem, a rotina pesa e os problemas tomam a nossa atenção. É em meio a esse turbilhão de sentimentos que deixamos de lado coisas simples, como observar o que está ao nosso redor. Ou seja, as preocupações fecham o nosso coração e por isso não nos permitem enxergar aquilo que nos cerca.

Confesso que é um desafio resgatar o olhar de criança, mas é possível. Para isso acontecer precisamos deixar o celular e os fones de lado, esvaziar a mente e andar mais atento, admirando e observando o que está a nossa volta. E quando realizamos essa experiência percebemos tantas coisas! Aqui na Unochapecó, por exemplo, a natureza que envolve a Universidade é um prato cheio de belezas que podem transformar o nosso dia. Sentada no bosque, os pássaros dividem espaço com a gente. São várias espécies que pousam na grama ou nas árvores e nos contemplam com seu canto e delicadeza.

E a quantidade de árvores que temos no campus, alguém já parou para observar? Em todos os cantos elas estão espalhadas. Cada uma com suas características, mas que juntas transformam o ambiente em que vivemos diariamente. De todas elas a que mais chama atenção de quem passa é a que está localizada em frente ao bloco B. Conhecida como 'Árvore do Pensamento', ela é referência e ponto de encontro dentro do campus. Além disso, serve como um lugar de descanso para quem está na rotina, nada fácil, de estudos e trabalho. Não é possível saber o que passa na cabeça de quem ali está, mas certamente são minutos de pausa, importantes para dar continuidade ao que vem pela frente.

Tem outras coisas que encantam aos olhos. O próprio Jardim das Artes, inaugurado recentemente, é um ambiente que reúne uma série de maravilhas. Arte, cultura, amizade, natureza.... Nesta época do ano, não há como negar que as flores são as protagonistas. Em uma semana, olhando todos os dias para o espaço, foi possível observar o quanto elas cresceram. Algumas hortênsias já estão floridas, as lavandas começando a dar o ar da graça e, aos poucos, o pergolado é abraçado pelas plantas. Com certeza o passar dos anos reserva ainda mais perfeição a esse lugar.

Mas é claro, que entre tantas belezas naturais, o mais encantador é observar e prestar atenção às pessoas que nos cercam. Tão diferentes, mas tão iguais ao mesmo tempo. Cheias de sonhos, de objetivos profissionais. Nos corredores da Unochapecó são elas que dão vida à Universidade. E mesmo que na maioria das vezes com pressa ou carregadas de preocupações, espera-se que estejam com o coração e os olhos bem abertos para apreciar a etapa da vida universitária. Quem já passou por ela sabe bem o que estou dizendo, é a melhor fase e deixa saudades.

Para completar esse espaço diverso que é a Uno, somos agraciados com um lindo pôr do sol. Certamente em algum momento ele já chamou a sua atenção, assim como chama a minha todas as vezes que aparece. Conforme o céu vai se colorindo de laranja, é como se isso se transformasse em uma moldura para a Unochapecó. De vários espaços, seja de um estacionamento ou até mesmo de dentro da sala da aula, é possível olhar para o céu e acompanhar esse momento. Para algumas pessoas, assim como eu, é como se um página fosse virada para iniciar uma nova. E com esse mesmo brilho e intensidade que admiramos o pôr do sol é que precisamos notar as demais coisas que nos cercam dia a dia.

Já dizia Francisco Mora, em uma reportagem divulgada recentemente pelo El País, que o belo está na mente dos seres humanos. "A beleza é criada pelo ser humano depois de observar e perceber certas características do objeto que ele contempla. A beleza é, na verdade, uma construção mental composta de percepções, emoções, sentimentos e conhecimento". Cabe a nós, portanto, a missão de colocar as preocupações do dia a dia um pouquinho de lado, abrir nosso coração e deixar o nosso olhar falar por ele.


Outras Notícias
Palhoça Você em Dia - Mobile
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro