Close Menu

Busque por Palavra Chave

MDB se despreza; Governador é tudo e nada; Ismael luta isolado; Pavan quase retorna; Udo bate e esconde

Por: Marcos Schettini
24/04/2019 02:16 - Atualizado em 24/04/2019 02:20

MDB perdeu o juízo

As eleições passadas deram um panorama, frio, do momento em que os ulyssistas estão passando. O resultado da majoritária que, pela primeira vez, colocou um final na disputa pelo governo, deu o tamanho do estrago. Até agora não definiram um nome para assumir os destinos do partido e, pior que isso, se quebram internamente. Com redução da bancada em relação a 2014, ainda correm sério risco de ficar sem dois nomes de peso da história da sigla. Moacir Sopelsa e Valdir Cobalchini têm infinitamente gestos positivos no MDB que dizem por si em suas importâncias que, cegamente, os pares não tem visto assim. As iniciativas de Luiz Fernando Vampiro tem sido observada como de perseguição política em relação a ambos. Ao contrário de construir, apostam na dissolvição alimentando a fragilidade. Na Casa, onde deveriam ser mais fortes, passam de protagonistas para coadjuvantes. Nos corredores, até os adversários analisam que este erro é desrespeitoso. Estariam sambando sobre o túmulo de LHS ao apunhalando-se mutuamente. Em tese teria tudo para retomar em 2020, mas estão preferindo o fundo. A militância olha, ressente-se e vê que, todo o estrago, é a falta de um líder, um pulso. Deixou de ser o Manda Brasa para o manda nada.


Mergulhou

Deputado Rodrigo Minotto vai avisar ao PDT que seu nome está à disposição para a Prefeitura de Criciúma. Com este gesto, manda um recado para Clésio Salvaro. O brizolista, em meio de mandato em 2020, não teria nada a perder.

Afinados

Tanto Rodrigo quanto Paulinha estão focados no mesmo projeto de fortalecer o PDT. Ela, de olho na disputa a federal em 2022, precisa de base para buscar cenário favorável. O deputado Minotto seria esta estação. Vão na mesma direção falando as mesmas coisas.

Alternativa

Governador Carlos Moisés, ao colocar as duas aeronaves para leilão e os aviões Avianca ficarem em incertezas, se precisar ir para o Oeste, em regime de urgência urgentíssima, terá que entrar em contato direto com Sandoval Caramori, da Reunidas.

Silêncio

Estranha, muito, que o chefe do Governo de SC não tenha dado uma só sinalização em favor do impasse dos voos do Oeste para o litoral. Seria, neste caso, sua primeira manifestação pela manhã da última segunda-feira. O empresariado estranha esta frieza.

TNT

O vídeo de Luciano Hang batendo forte na Prefeitura de Joinville é um corte profundo na jugular da administração. O setor de desenvolvimento, que deveria ser menos burocrático e ágil para atrair investidores e fomentar emprego e renda, é lento. Explodiu no colo de Udo Döhler.

Responsabilidade

O setor produtivo da maior cidade de SC viu no recado do dono da Havan o momento ideal para tirar Udo do que eles chamam de sonolência. Precisou um líder do mercado nacional, fazendo barulho ensurdecedor, para tirar o sono do prefeito do MDB.

Repassando

Depois do desaparecimento de LHS, o coletivo investidor observa em Döhler duas válvulas a menos no motor municipal. Diante de ter levado um chacoalhão de Hang, vendo-se asfixiado, jogou para a Câmara a lentidão que é do Executivo. Isso que Udo tem maioria na Casa.

Entrou

Leonel Pavan já anunciou aos familiares que tem recebido forte pressão para disputar a eleição em Balneário Camboriú. Ex em quase tudo, quer fechar a vida pública sendo chefe do Executivo da cidade que, reconhecidamente, levou para o turismo do mundo.

Salvação

O coletivo do PIB quer que Pavan já comece a fazer as discussões em torno do projeto político para o que chamam de animação litorânea. Avaliam que Fabrício Oliveira está longe de fazer com que suas ações, ao contrário de Pavan, ganhe toda a orla de Bombinhas a Penha.

Único

Ismael dos Santos tem um seguimento de preocupação estadual que, modelo, tem sido baliza para outros estados do país. Dedicado com o debate sobre drogas, organizou um setor que atende e reabilita quem entra neste inferno. E, mesmo com esta dedicação, a guerra é infinita.

Indiferente

O deputado do PSD de Blumenau tem uma história que, progressiva nas urnas, não estimula sua entrada no pleito municipal. Dono absoluto de uma votação invejada, ainda não tem seu candidato a prefeito no município. Mário Hildebrandt olha-o como adversário de 2020.

Observado

Deputado Felipe Estevão ganhou os quadros da Assembleia. O jovem parlamentar, visto como um quadro educado e de bom papo, tem sido disputado à unha se, de fato, confirmar sua saída do PSL. A tão aguardada janela está segurando metade da Alesc.



Alesc - Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro