Close Menu

Busque por Palavra Chave

Moisés ignora concursados; PEC da Saúde é fraude?; Tebaldi animado; Marcio Sander avança; Merisio ganha discurso

Por: Marcos Schettini
26/04/2019 01:01 - Atualizado em 26/04/2019 10:45

O potencial de Gelson Merisio

Gostar ou não de suas movimentações não muda absolutamente nada o que, em outubro, ficou demonstrado. O ex-presidente da Alesc entrou em um projeto desacreditado pelos desafetos e, nas urnas, mostrou força. Tinha, diariamente, que pular arames farpados para passar a etapa seguinte. Se perdeu, ganhou também. O governo de Carlos Moisés, embora iniciando, é do pior prognóstico. O Bombeiro é um grande homem, com qualidades de educação, honestidade, simplicidade e leveza. Mas o principal de um líder, exala falta de pulso. É um grande enólogo, sommelier e até um bom violeiro, coisa que alguns jornalistas e deputados têm semelhante talento. Nestes quase cinco meses, sua mangueira diminuiu e a língua da oposição aumentou. Como tem dito que quem estiver vivo vai ver seu governo, a oposição diz exatamente a mesma frase. Pelos 40 deputados estaduais, inclusive do seu partido, já olham duvidosos. O ex-presidente da Alesc e do PSD, está mais vivo. A Páscoa faz coisas.


Disparate

Carlos Moisés deu rasteira em si mesmo. Aquela ideia vencedora de derrubar a PEC da Saúde foi, de um lado, uma grande vitória para encher o cofre e garantir dinheiro para pagar folha e, de outro, o grito dos pobres nas filas.

Bacana
Se quiser, neste final de semana, comemorar com vinho e cerveja artesanal a vitória no STF, seria interessante que o governador chamasse seus 292 concursados bombeiros para, agora, entrarem na academia. Olhar para a própria carreira.

Sensibilidade
Como é aposentado, Carlos Moisés ignora o grito dos concursados que aguardam entrar na ativa. Tem aeroporto no estado que, por falta de bombeiros, ficou sem operação. Isso quer dizer que, mais que urgente, é necessário.

Recado
Quando afirmou em coletiva que fará a melhor gestão para quem, vivo, possa presenciar, Carlos Moisés vai limitar a plateia deste feito. Quem precisa de remédio e cirurgias, com a queda na receita da Saúde, provavelmente não vá ver.

Excelente
Quando saiu o resultado derrubando a PEC da Saúde, Carlos Moisés e seus iguais comemoraram o feito. Deveriam ter chorado. Como é aposentado e governador, ganha o suficiente para qualquer tratamento em hospital VIP. O problema é o Bastião, Donana e a Chiquinha.

Contradição
A aposentadoria de bombeiros a cada ano chega a 140 em média. Quando o governador, que é bombeiro, não chama para a ativa quem passou no concurso, destrói o próprio discurso. Ele mesmo, várias vezes como comandante, reclamou de efetivo.

Escorregando
Maurício Eskudlark até tem se esforçado para construir o cenário ideal pela aprovação da Reforma Administrativa do governo. Mas o despreparo para a função e o governo travado, duplicou a via sacra do deputado. Na Alesc, pelo visto, avança pouco.

Tensão
Mesmo que falando em nome do governador, Maurício Eskudlark tem que oferecer bem mais que apenas verbo aos parlamentares. Até Jair Bolsonaro já entendeu o recado. E o próprio deputado pensa igual. Só se, agora, mudou a prática.

Melhor
Raimundo Colombo foi contra a PEC da Saúde e, depois dele, Eduardo Moreira e o atual, deram seguimento porque, com o estado quebrado, tem que tirar da sociedade aquilo que, em tese, deveria dobrar. Bom para eles, pior para a sociedade.

Discurso
Gelson Merisio vai ter o momento para falar da rasteira que Carlos Moisés deu no cidadão catarinense. 3% a menos é mais grito nas ruas. O imposto para ver suas vidas melhoradas foi ceifado. No estalar dos dedos, o que era ruim, piorou.

Relação
A presidência do Progressistas de SC começa a ganhar o debate. Se prefeitos, vereadores estão alheios, na bancada não é igual. João Amin, de olho na Prefeitura de Florianópolis e o peso do nome, quer a presidência. Altair Silva e Zé Milton olham Silvio Dreveck.

Continuação
Como a família Amin é mais que um transatlântico de cargos estratégicos, comandar o partido seria demais. Na periferia deles, os olhos miram Silvio Dreveck para continuar no comando da sigla, entendendo que o ex-deputado tem o perfil ideal de unidade.

Carimbou
Marcio Sander tem carregado embaixo do braço numerais de desenvolvimento de Chapecó que a classe empresarial conhece e bem. Além de manter empregos e atrair investimentos, o secretário de Desenvolvimento vai moldando 2020.



Intenção
A candidatura de Marcio Sander a prefeito de Chapecó não deve se dissolver. Ele tem conversado com o PIB e ganho ânimo para a missão. Não só o Progressistas tem insistido no vereador. Está nivelando com tudo e todos no clima da boa relação multipartidária.


Carlos Chiodini e Fernando Krelling estavam juntos em Brasília para discutir a questão do MDB. Os deputados federal e estadual, da mesma região, preocupadíssimos com o desfecho ulyssista até agora. O partido, pelo visto, perdeu o leme.

Varal
Com este fracasso de discussões em torno do novo diretório, perseguição a deputados históricos como Moacir Sopelsa e Valdir Cobalchini, o partido de LHS fica exposto no quintal. Pelo quem tem feito até agora, parece que estão em céu de brigadeiro.

Cofre
Camilo Martins já tem um nome para a disputa do ano que vem, mas guarda em segredo para não tumultuar o processo interno da gestão. Como finda o mandato e olha a sucessão do pai, o prefeito de Palhoça sabe que não pode errar.

Começou
Marco Tebaldi assume a direção do PSDB e ganha força motora para o jogo do ano que vem. Ferrenho opositor de Udo Döhler, vai mobilizar o ninho em Joinville ao lado da oposição. Ele, mais que todos, diz que o município está engessado.



Anúncio Radial 2
Campanha Infraestrutura - Mobile
Campanha Agricultura - Mobile
Campanha Segurança Pública - Mobile
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro