Close Menu

Busque por Palavra Chave

Investimentos Criciúma

Entrevista | Marcello Petrelli coloca Acaert no protagonismo de importantes debates nacionais

Por: Marcos Schettini
17/12/2019 14:26

Presidente de uma das mais importantes entidades da comunicação catarinense, Marcello Petrelli colocou a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) no protagonismo de importantes debates nacionais. Em defesa de um novo Brasil, o presidente da NDTV também trouxe lideranças como Hamilton Mourão, Sergio Moro e Rodrigo Maia para discutir saídas e ideias para um país melhor e mais desenvolvido. Em entrevista ao jornalista Marcos Schettini, Petrelli ainda falou de Carlos Moisés, Jair Bolsonaro e fake news.

Marcos Schettini: A Acaert foi protagonista de grandes debates em 2019. Em que a entidade aposta?

Marcello Petrelli: A entidade apostou no chamamento para protagonizar este momento tão importante para o Brasil, a construção de novos caminhos e na construção de resultados significativos, diferentes dos de hoje. Queremos ser mais do que meios de divulgação de notícias de terceiros, mas estabelecermos pautas próprias, com opinião e posicionamento. Queremos defender o que entendemos ser o certo, em benefício da sociedade, de forma democrática, com prestação de serviço, com espírito público. Tudo com o propósito de ajudar o país a melhorar. Se nós, que somos o meio para que milhares de catarinenses e brasileiros recebam informações, todos os dias, temos de exercer este papel com responsabilidade. Também, procuramos unir os associados, todas as emissoras de rádio e TV neste propósito. Afinal, se o país melhorar será melhor para todos, para o ambiente de negócios, para a economia. Sempre defendi – e continuo defendendo –, que as entidades devem ter primeiro o espírito público, usando seus meios para melhorar a vida das pessoas, sua cidade e seu país, num processo contínuo de desenvolvimento sustentável, que vai trazer, como consequência, o crescimento.

Schettini: Sua presidência deu singularidade à entidade ao se afinar aos temas atuais do país. O Brasil avança ou empaca?

Marcello Petrelli: O Brasil avança muito. Aqui não quero defender politicamente o governo, mas defender e registrar o que dá certo, o que está sendo feito de bom. Disse ao presidente Bolsonaro que ele já tinha feito as duas mais importantes entregas para o Brasil. Primeiro, tirando do poder aquele esquema que se instalou no Brasil, onde tudo estava contaminado ou apodrecido. E, segundo, montou um governo de pessoas honestas, técnicas e, principalmente, comprometido para mudar Brasil. Estas pessoas estão trabalhando muito e irão entregar muito, com certeza. Não se trata de um governo ou um governante perfeito, até porque não existe. Trata-se de olhar o lado positivo e trabalhar para ajudar o lado positivo, que acredita no Brasil, avançar. Acredito que estamos avançando rapidamente em frente, mas muitos não estão vendo.


Marcello Petrelli discursa durante evento em que trouxe Sergio Moro como palestrante do "Momento Brasil", principal bandeira da Acaert em 2019

Schettini: O governador Carlos Moisés é um quadro à parte do Governo Federal ou não?

Marcello Petrelli: Entendo que não. O governador está fazendo também a sua parte em Santa Catarina, buscando mudar as coisas que estavam sendo conduzidas de uma forma mais política. Isto é muito positivo, muito importante. Está buscando construir novas premissas.

Schettini: Qual a comunicação ideal que o senhor observa para estes tempos de fake news?

Marcello Petrelli: Entendo que a comunicação ideal é estar constantemente se comunicando (muito mais que antes), mas se comunicando com verdades, simplicidade e, principalmente, presença e na proximidade das pessoas. Desta forma se constroem as marcas e valores, e se protege de eventuais “fakes”.

Schettini: Os valores de família estão sendo resgatados pelo atual governo ou é impossível segurar os desejos das novas gerações?

Marcello Petrelli: Entendo que existe o lado certo e o lado errado. Nossa campanha, a maior já realizada no Brasil, aborda este tema. O Brasil viveu décadas de exemplos ruins. Os brasileiros veem na TV exemplos do errado vencendo, sendo enaltecidos. Exemplos da elite se utilizando de posições para se beneficiar com privilégios e benefícios que, claro, são legais por esta mesma elite que legisla e que faz as leis. A sociedade, ao longo do tempo, foi achando que tudo é válido, tudo é legítimo no Brasil, inclusive os privilégios e benesses de uma casta social. Mas não é a realidade. Existe, sim, o que é certo (mesmo que aparentemente seja legal), e o errado. A sociedade prefere ficar sempre ao lado do certo, mas hoje há muitos maus exemplos dados principalmente pela classe política. Enfim, nem tudo o que é legal, é moral ou correto. Vejo que estamos recuperando valores, recuperando bons costumes, retornando ao ponto de equilíbrio. A educação tem papel fundamental, mas também precisamos de leis mais duras para aqueles que preferem ficar contra a lei, contra a sociedade, contra a maioria das pessoas de bem, honestas e trabalhadoras.

Alesc - Julho
Investimentos Criciúma
Fiesc Setembro
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro