Close Menu

Busque por Palavra Chave

A profissão do Mundo; O governo em xeque; Novo decreto aperta; Ulysses Gabriel pisa outubro; Marcio Sander ousa

Por: Marcos Schettini
07/04/2020 15:21

Marcio Sander cumpre a palavra

Embora tenha sido procurado inúmeras vezes a sair do jogo eleitoral, sendo motivado a declinar do processo sucessório, Marcio Sander ficou nos trilhos da majoritária de outubro. E tem motivos para buscar este desejo político. Já tem mandatos de vereador suficientes para entender o jogo no Legislativo que, por habilidade, presidiu quatro vezes este Poder. Tem presença reconhecida nas esferas do Executivo que balizam sua competência para dirigir uma grande cidade como Chapecó onde, por respeito demonstrado, foi prefeito interino. É um quadro de debate com as forças do PIB em todas suas esteiras. Joga bem com a Indústria, Comércio e entidades ligadas às forças de economia. Se vencer, vai imprimir seu estilo jovem preparado. Se perder, inicia um traçado novo para o futuro. Como não tem nada a perder, prepara o PSDB que abraçou sua liderança. Nele, já montou um time. O placar, se sair jogo, só no final da partida.


REAL
Nestes tempos de redes sociais, lugar em que as fakes reinam em uma ditadura impenetrável e indissolúvel, ser jornalista é como uma ressurreição diária. Assassinados pela doente ideologia, o profissional é alvejado com infâmias, injúrias e perseguições. Quase um Jesus.



PARABÉNS
Aos jornalistas que fazem o barulho ensurdecedor da tecla, se tornar um barulho infernal nos sujos ouvidos da tirania, mentira, calúnia e difamação que os pigmeus do Poder imaginam dominar. Ser contrário é para valentes. Executar a profissão no meio de loucos, os sãos entendem.



MISSÃO
Como um Cavalo de Troia, o jornalista ocupa as entranhas do Poder e, como ácido, dissolve as mentiras que ostenta. Pombos de guerra, sobrevoam o terreno em conflito, lê as vozes sufocadas. Olha, de cima, o horror no campo, molhado em lágrimas, suor e sangue. A melhor profissão narrando terror e nostalgia.



EXTENSÃO
O governador deve dar, ainda hoje, o tamanho do novo decreto de quarentena. Pela sinalização dos demais governadores, a ideia é, agora, ampliar para 15 dias. Os números de contaminações, pelo levantamento, aumentam e, no paralelo, as responsabilidades. Pelo que se vê, piora.



SOCORRO
Há quem afirme que o ciúme de homem é o pior deles. O que ocorreu no cenário brasileiro ontem, foi a concretização da tese. É como, comparando, alguém descobre que é o Cavalo-Marinho macho quem engravida. O ocorrido no Ministério da Saúde foi o espetáculo exatamente disso.



IMPRESSIONANTE
O analfabeto ministro da Educação, fazendo ataques à China, mostra que tudo, absolutamente tudo, está errado. Abraham Weintraub faz gesto de afinidade ideológica com o presidente da República apenas para ficar seguro no cargo que sua incompetência exala. Um bobo da corte em meio a outros.


PAREM
Quando em conflito de guerra o lado é atingido por um disparo amigo, é o momento de se entender que se está cercado. O coronavírus é um ser que, pelo demonstrado, mata à revelia ideológica a todos, sem raça, fé, riqueza ou poder. Submeter os cientistas às vontades extremistas, mostra o Brasil atual.


BISTURI
Julio Garcia liderou o chamamento para que os Poderes Legislativo, Judiciário, TCE e MP, a passar a navalha nos salários e tudo o que está no paralelo disso. Cortes de tudo, e todos, para aliviar orçamento em favor do combate ao coronavírus. Saiu na frente.



DECISÃO
Diante do aumento de número de casos de coronavírus, Carlos Moisés reconhece a dificuldade de retorno às atividades, volta às aulas e abertura do comércio porque lê que, se afrouxar, pode estourar o número de contaminados e, possivelmente, mortes em balaio.


VOZES
Moisés afirma que as medidas que tem tomado, são casadas com o MP, Alesc, Fecam, Federações da Indústria, Comércio e Rodoviário, entre outras. Isso quer dizer que, o decreto que assina no final do dia, tem aval das forças econômicas e políticas. Está amparado nas decisões.


RELATÓRIO
Ulysses Gabriel apresentou um apanhado geral de sua passagem como deputado estadual. Teve uma série de intervenções na Tribuna e pedidos políticos. A luminosidade conquistada na Alesc é um farol para o projeto político que, em tese, assume. Seu nome se firma pela Prefeitura de Orleans.



AGILIDADE
Delegado com forte atuação no meio classista, Ulysses Gabriel foi presidente da Adepol e deu significativa presença política no debate em SC. A Associação dos Delegados de Polícia Civil vestia, em sua gestão, posição respeitável que, hoje, desapareceu.



DESTEMIDO
Osvaldo Mafra já tem corrido os bairros de Itajaí e anotado o que entende ser necessário para resgatar o município daquilo que ele chama de “inépcia vivida pela administração de Volnei Morastoni”. O presidente do Solidariedade de SC fala em sangue novo com futuro.




Como a eleição de 2020 não terá coligação na proporcional, Osvaldo Mafra mergulha em um desafio de fazer com que seu partido eleja dois nomes para a Câmara. Ele já assumiu como deputado federal como aposta forte do sindicalismo. Quer a Cadeira da Prefeitura de Itajaí.



Anúncio Radial 2
Campanha Agricultura - Mobile
Campanha Segurança Pública - Mobile
Campanha Santur
Rech Mobile
Alesc Facebook - Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro