Close Menu

Busque por Palavra Chave

Homens bons se vão; O vírus revela o país; Coronavírus muda mais que eleição; O país precisa de rumo

Por: Marcos Schettini
23/04/2020 11:03
Divulgação/LÊ

Coronavírus é a bandeira da cidadania

A bancada federal e estadual, salvo os patéticos deputados ideológicos, aqueles que querem impor uma situação de perturbação ideológica e de afinação com seu não menos tolo, guru na Virgínia, que busca influir nos passos importantes do país. Os deputados são, neste momento, ricos de argumentos para mudar toda este cenário de dor em favor do povo brasileiro. Primeiro o cidadão, depois tudo está abaixo dele. Quem faz uma Nação ser o que todos desejam, é a cidadania nela construída. O melhor caminho, agora, é fazer o contrário. A primeira é dar ao cidadão sua dignidade existencial, dar luz às suas necessidades e oferecer um ambiente de saúde física, mental e financeira. Ou muda o Brasil pela força do coronavírus ou, este, vence matando. Aos poucos, mas ceifando tudo.


PERDA
A saída de cena de Mário Petrelli deixa um sinal ruim para as gerações que seguem. Sua juventude é do tempo que não havia computador, celular ou redes sociais. No entanto foi preciso realizar. E o fez ao lado de outros iguais.



FACILIDADES
A tecnologia é um campo extenso de grandes descobertas que podem levar o homem à beleza existencial. Mas não é de todos. Como tudo que se sabe. Nestes tempos de loucura ideológica, defender acessos é ser comunista.



REVELAÇÃO
O coronavírus mostrou o real Brasil em que se vive. Todos sabiam, mas confirmou-se. A pobreza, ao contrário de diminuir, aumenta. A Saúde é um pano de chão encardido e a fome está nas casas dos brasileiros. Isso revela tudo.



INIMIGO
O coronavírus mata pobres e miseráveis. Os ricos estão morrendo nos cofres. Profissionais liberais, médicos e enfermeiros, veem de perto a falta de equipamento e morrem ou são contaminados. Enquanto isso, pedem o AI-5.


TRISTE
O país foi da turma do Lula como é dos bolsonaristas. Eles seguem suas rotas patéticas em meio a uma doença que não somente mata, joga-os em valas comuns. Sem velório e com oceano de lágrimas não vistas. Falar contra isso, é ser comunista.



RENOVADO
O Brasil precisa rever tudo depois desta pandemia. O que sobrou disso, edificar conceitos de atenção às pessoas, investir pesado em Saúde e Educação, diminuir sua carga funcional e elevar sua Democracia. A nação está em avesso.



POBREZA
Se não diminuir a distância entre existência e bens, a violência não vai ceder. O cinturão de miséria que toma conta das periferias, sem saneamento básico, vai continuar matando. E, pelo revelado, Deus não é brasileiro.



IDEOLOGIA
Estes grupelhos patéticos, olhando apenas a reeleição sem ver o desastre natural do povo brasileiro, mostra que a eleição no Brasil não termina. Fome e miséria, que mata no paralelo, morre também pela enganação. O Brasil é uma fraude.


FRAUDE
O povo brasileiro votou indignado em 2018. Cansou daquele engana-engana. Educação, Saúde e Segurança, que sempre prometeram, nunca aconteceram. Agora, vítima de uma ideologia doentia e insana, tem outro desafio a vencer.



CANSOU
O coronavírus mostrou que a Saúde pode ter todo o recurso infinitamente necessário. Que todos devem ter acesso à tecnologia, que a fome não espera e que a Educação é libertadora. 2022, provavelmente, vai se cansar de 2018.



REVELAÇÃO
Os trabalhos dos parlamentares, com pouquíssimas exceções, são de valentes. Deputados e senadores têm dado o tamanho da preocupação com a Nação e suas dores históricas. Agora, nesta legislatura, dá para mudar tudo.


MAIS

O vírus revelou que pode mudar a Lei de repasses para a Saúde e Educação, diminuir os gastos com encontros virtuais, reduzir salários e melhorar, muito, os serviços. Liberdade e Democracia. Tudo isso a custa de muitas vidas.



Palhoça Você em Dia - Mobile
Alesc - Julho
Radial Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro