Close Menu

Busque por Palavra Chave

Ulyssistas longe de Moisés; Corporação vira as costas; Paulinha vai deixar liderança; São Chico do Sul no mapa; Joinville ferve; JPK com Napoleão

Por: Marcos Schettini
14/05/2020 10:23 - Atualizado em 14/05/2020 10:26
Mauricio Vieira/Secom

Mapa da cassação

Carlos Moisés pode ter comprado um outro chip para conversas particulares com os deputados, mas seu destino, já está traçado, é a volta para sua vida de aposentado. Os deputados estaduais sabem exatamente o que fazer e as discussões ganham força. Delas, o acordo de vários municípios importantes. Esta disputa lá, conta com apoio daquele que, no voto, defendido como aberto para o impeachment, vai pela derrubada da chapa completa em busca de favorecer, neste acordo, sua vitória municipal na região. Faz um acordo por Joinville, os demais acatam. Sabem que serão igualmente apoiados em Jaraguá do Sul, Criciúma, Lages, Joaçaba, Blumenau, Tubarão, Rio do Sul, Rio Negrinho, São Bento, Canoinhas, Xanxerê, Chapecó, Pinhalzinho, SMO, Concórdia, São Lourenço do Oeste e etc. Isso é política que o marido de Késia se negou. Tarde, a relação política se faz no início, meio e fim. Não apenas neste último. Os representantes do povo sabem que o seguro morreu de velho. O governador não entendeu. Cavalo esperto, não espanta a boiada.


NÃO
O MDB não decidiu novamente ficar longe do governo de Carlos Moisés porque este direcionamento já havia ganho altura há 60 dias. O partido, mesmo com nove deputados na Alesc, joga pesado para, cassando o governador, leva a vice junto.



CERTEZA
O PT de Décio Lima joga pela derrubada completa da chapa vencedora de 2018. O presidente do partido de Lula da Silva só vota a favor de Carlos Moisés se, neste caso, conhecer brecha para que Daniela Reinehr assuma em seu lugar.



MORAL
Ulysses Gabriel vai disputar as eleições em Orleans com discurso tranquilo do que mais domina. Quer elevar a Segurança como sua bandeira principal. Assumiu recentemente como deputado estadual e assimilou que a linha do cidadão é proteção.



DIREÇÃO
Ex-presidente da Adepol, o delegado bateu forte em Carlos Moisés porque o modelo de troca 4 por 4 na pasta da Segurança Pública fez o caminho contrário com aumento da violência em SC. Ulysses Gabriel tem o respeito da categoria.



SOCORRO
Cel. Cláudio Roberto Koglin fez despedida rumo à reserva com um discurso duro. Gravado em vídeo, disse que dentro da caserna, sim é sim, não é não e que, por isso, prefere ir para casa ficar com a família que andar mal acompanhado de Carlos Moisés.



DESPREZO
Com a saída do Cel. Araújo para um posto nacional, Koglin seria seu substituto como possivelmente Carlos Moisés havia prometido e não cumpriu. Boa parte da corporação, seja dos Bombeiros, PM ou a Aprasc, ignora o governador pelos maus exemplos.



NAUFRÁGIO
O nome de Luciano Menezes, empresário ligadíssimo a Carlos Moisés em Tubarão, sofre abalo político pelas promessas que o governador teria dado a ele para disputar a eleição e não cumpriu. Naufraga sua candidatura e ele desiste do pleito.


BALANÇANDO
Deputada Paulinha, abalada com acusações de seu ex-marido, teria confessado aos seus próximos que vai se dedicar às explicações para salvar seu mandato e declinar da liderança do governo na Alesc. Ela já vê um futuro tropeço de Carlos Moisés.



RUMOS
Christopher Camargo, antes no MDB, foi para alinhamento com Jorginho Mello e vai enfrentar o atual prefeito Renato Gama Lobo, que trocou o PSD pelo Cidadania de Carmem Zanotto. Os ulyssistas procuram um nome diferente para atrair o eleitorado.



ENFRENTAMENTO
A lenda da carroça sem cavalo, um folclore vivo de São Francisco do Sul, vai ser lembrado na campanha para desgastar o prefeito Renato Lobo. Cassado e de posse do mandato novamente, vai ter sua gestão comparada como sem comando e direção.



AFINADO
Udo Döhler está às voltas no combate à pandemia e, no vácuo, Fernando Krelling assume o direcionamento dos trabalhos. As sessões virtuais deram fôlego para ele ganhar motor em busca de sua eleição a prefeito. Depois que Rodrigo Coelho saiu, ele ocupou.



PARALELO
Ivandro Souza tem feito diariamente suas lives com lideranças da cultura, política, entretenimento, comércio e indústria para levar sua mensagem ao projeto majoritário. O empresário encarnou o desejo de ser prefeito de Joinville.



MEXIDA
Adriano da Catarinense corre no silêncio e se aproveita do vácuo deixado por Rodrigo Coelho. O Novo aposta em suas bandeiras de desapego do Poder e racionalidade de cargos para imprimir seu nome. O empresário está firme na sucessão de Udo Döhler.



FOCO
Antídio Lunelli está enfrentado o coronavírus com peito aberto e sem medo. A equipe se molda no duro combate para reduzir a curva da contaminação e não fala em reeleição. O ulyssista elegeu todos como aliados contra a pandemia.



DESAFIO
João Paulo Kleinübing esteve ontem na Alesc e conversou com Julio Garcia que andou pela Casa com Napoleão Bernardes. A ida de Mário Hildebrandt para o Podemos uniu os ex-prefeitos. Isso animou o atual que vê, nesta unidade, a força do seu mandato.



FOCADO
JPK precisa de um mandato forte para construir seu futuro nos moldes do pai. Vilson também perdeu eleição para governo e depois tornou-se um dos mais respeitados. Ele ganhou, em casa, o DNA dos mesmos passos. Quer ser prefeito de Blumenau.



Semasa Itajaí
Alesc - Novembro
Unochapecó
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro