Close Menu

Busque por Palavra Chave

Celular vermelho de Moisés; CPI vai iniciar nas testemunhas; Só Reinehr salva o governador; Tramitações seguem

Por: Marcos Schettini
18/05/2020 16:42 - Atualizado em 18/05/2020 16:43
Cristiano Estrela/Secom

Acorda SC, a corda

O Estado está no cadafalso. Carlos Moisés é o som do violino desafinado tocando madrugada adentro. Irritando quem escuta, provocando quem já sabe, o governador já caiu. Ele ignora saber disso porque imagina-se estrategista. Se fosse, estaria em melhor situação. Nenhum militar leva a tropa a tamanhas baixas de relacionamento. Conseguiu jogar todos os aliados no mar gelado do distanciamento com a bandeira do Palácio do Ego no mais alto ponto de vista. Arriada atrasada e sob manchas de vergonha, possível corrupção e incompetência, troca-a pela cor internacional da trégua que, amarrada a um palito de dente, tremula timidamente entre os dedos polegar e indicador. É um péssimo aluno em estratégia. Se continuar à frente do Estado, é forca. É mais um Gulliver. Tem um tamanho que mete medo, mas, sabido, é de tombo certo.


SALVAMENTO

Só Daniela Reinehr pode salvar Carlos Moisés. Se for para ela entrar no lugar dele, o coletivo prefere aturar sua desorientação administrativa até o final do mandato. Resta ao governador entrar em conflito direto com sua desafeto inferior para dar continuidade ao mandato.


INSUPORTÁVEL

A vice-governadora não é vista somente como um papagaio nas fotos mais hilariantes, é também verbalmente ofensiva e de trato troglodita. Para trocar um incompetente por outra com nível superior nisso e, piorando, receber tratamento de Brutus, melhor manter o bombeiro.


CONVERSÃO

Ao comprar aquele telefone vermelho para tratamento vip aos deputados estaduais, Carlos Moisés chega no final da feira. Os parlamentares sabem que a pandemia atrofiou as emendas impositivas. Não podendo neste governo, de difícil relação, o farão no outro. Trocar o governo é mudar o caminho melhor.


ATRASADO

O que Carlos Moisés mais fez com sucesso foi ignorar os deputados, Poderes paralelos, prefeitos, vereadores, entidades, instituições, a sociedade e jornalistas. A última foi apelar para que os empresários boicotem a imprensa como que fosse, nesta reação tola, ganhar o respeito que nunca demonstrou.


MAIS

Carlos Moisés e sua patética companheira de chapa serão defenestrados pela sociedade e não pelos deputados. Estes, talvez o governador não saiba também disso como em muitas coisas, são representantes do cidadão. Portanto, se ele quer saber como está, saia na rua.


RUA

As manifestações contra Moisés só não estão ocorrendo por questões óbvias. Mas o governador já está condenado nas redes sociais. Sua arrogância ao ignorar tudo e todos, achando-se protegido pelos 73% daqueles votos por instinto de ódio, já foi carcomida. Se quiser tirar o termômetro, vá na praça tocar violão.


CPI

A inquisição não é na Comissão, mas nas redes sociais. Os deputados, inclusive da base, recebem centenas de mensagens diárias para arrancar a dupla do Poder. Moisés sabe que não pode sair às ruas se não tiver chapéu e a máscara. Precisa estar muito bem escoltado. O cidadão sabe identificar uma farsa.


DURO

João Amin é a espada mais afiada na CPI. O deputado quer ver os envolvidos chorando à cebola em um cara a cara que vale a compra dos ingressos. Mais que isso, a trilha do dinheiro que acelerou na velocidade da luz, capaz de desaparecer aos olhos comuns. Coaf neles, o filho de Esperidião e Angela carimbou.





Semasa Itajaí
Alesc - Novembro
Unochapecó
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro