Close Menu

Busque por Palavra Chave

Moisés ajuda seu final; Bandeira caipira em Gaspar; SC pede socorro à Alesc; Manu avança no projeto de Jaraguá do Sul

Por: Marcos Schettini
08/06/2020 10:27

A força da feminilidade e inteligência

A chefe de gabinete do prefeito Antídio Lunelli começa a ser desenhada para o processo eleitoral. Emanuela Wolff pediu afastamento do cargo na quarta-feira, saindo em tempo de garantir que seu nome, ligadíssimo a Paulinho Bornhausen, ganhe luz como pré-candidata a vice-prefeita de Lunelli pela reeleição. Presidente do Podemos de Jaraguá do Sul, Manu é um quadro com fartura de respeito e valores demonstrados que chega forte para assumir a posição na chapa. Os ulyssistas apostam na vitória de Antídio no cenário municipal para produzir discussões em torno de sua liderança na majoritária de 2022. O prefeito, também empresário, tem números administrativos que, ao longo do mandato, é apresentado ao eleitor. Manu pilota a costura em favor do governo e sua capacidade de construção ganha discussão favorável para compor como dupla justamente por sua feminilidade política.


ENTÃO

Se Carlos Moisés já está com sua autoridade completamente arranhada perante a sociedade, ele mesmo vai e se põe como cereja neste bolo amargo do seu inferno astral. Consegue, de modo muito competente, piorar o que já é um estrago total.


INFERNO

Aquele evento em Gaspar, sem máscara, aglomerado, festejando ou não em uma festa junina, mostra todo seu despreparo e falta de assessoria política, capaz de arrastar sua liderança do limite do abismo. Ele mesmo mergulha no caos.


CURIOSIDADE

Talvez os comentários negativos que estão sendo feitos pelos formadores de opiniões em relação ao governador Carlos Moisés sejam, até no Satélite, insistentes à sua incompetência administrativa, mas agora ele mesmo se revelou total.


DERRETEU

Depois de aparecer sem máscara em evento de festa junina e aglomerado com pessoas em plena pandemia, ato que ele mesmo condena quando usa máscaras nas coletivas virtuais, perdeu a autoridade que lhe restava. Está condenado.


COMUNICAÇÃO

O Governo de SC tem vivido de expedição de Notas Oficiais quando observa-se atacado pelos próprios tropeços que produz. Quer explicar os escorregões que ele mesmo, em particular, constrói. O que havia de respeito de autoridade, derreteu.

SOCORRO

Não há mais autoridade de Carlos Moisés em qualquer seguimento social. Seu nome nas redes sociais tem quase nada de valor de mercado. Quem tiver o governador em foto ou nele indicação política, perde peso político.


EXEMPLO

Ivon de Souza, que assumiu o PSL em Palhoça, tirou foto e defendeu Carlos Moisés colocando-o como seu cabo eleitoral, está perdendo o sono. Tem vários vídeos e textos que usou para fortalecer sua ligação com o governador.


MAIS

Não é só Ivon de Souza que está se escondendo envergonhado de ser o candidato a prefeito de Carlos Moisés. Outros prefeitos que estão buscando a reeleição, também estão escondendo o rosto como avestruz. Acham-se derretidos.


OPOSIÇÃO

O PSL de Fábio Schiochet, Douglas Borba, Lucas Esmeraldino, Carlos Moisés e a patética Daniela Reinehr, é um triturador de liderança. Ivon de Souza, o falastrão de Palhoça, está amargurado. O governador é sua pedra nos rins eleitoral.


DESASTRE

Sair na foto com Carlos Moisés é o mesmo que pegar coronavírus e não ter os respiradores fantasmas de Douglas Borba. O infectado vai para a UTI política e, sem chances, morre por falta de ar. A asfixia que o governador produz, de fato, mata.



Anúncio Radial 2
Campanha Infraestrutura - Mobile
Campanha Agricultura - Mobile
Campanha Segurança Pública - Mobile
Campanha Santur
Rech Mobile
Alesc Facebook - Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro