Close Menu

Busque por Palavra Chave

Entrevista | Governo Moisés vive ausência de relação com Parlamento e sociedade, diz Silvio Dreveck

Por: Marcos Schettini
02/07/2020 16:25
Luca Gebara/Agência AL

Presidente do Progressistas de Santa Catarina, Silvio Dreveck é taxativo em questões atuais relacionadas aos catarinenses. Em entrevista exclusiva concedida ao jornalista Marcos Schettini, o ex-presidente da Assembleia Legislativa fala sobre o momento difícil vivido pelos gestores públicos sob pandemia, que enfrentam desafios diários cada vez mais árduos. Ainda, comentou sobre o papel do eleitor, Governo Moisés e o papel da Alesc. Confira:


Marcos Schettini: Que caos é este no país e em SC?

Silvio Dreveck: O caos foi criado por vários fatores, ausência de relacionamento e diálogo com Legislativo e demais poderes, crise econômica e a pandemia do novo coronavírus.


Schettini: O Sr. acredita em uma guerra civil no Brasil?

Silvio Dreveck: Não acredito em uma guerra civil, o Brasil pode resolver seus desafios como sempre fez.


Schettini: Onde foi que tudo isso iniciou? É o eleitor ou as circunstâncias?

Silvio Dreveck: As circunstâncias, acredito que quando se tornou pública a corrupção, principalmente, através da operação Lava Jato, iniciou-se um grande desejo de mudança por parte do eleitor na esperança de uma transformação profunda, o que ainda não aconteceu. São pequenos avanços, ainda é possível corrigir.

Schettini: Em SC há um descontrole geral. O Sr. é a favor da cassação do mandato do governador e da vice?

Silvio Dreveck: Estamos atravessando um período difícil por conta da pandemia do novo coronavírus, a prioridade é cuidar da saúde e da vida dos catarinenses. Se houve erros e omissões, caberá aos poderes constituídos tomarem as providências cabíveis.


Schettini: Fala-se muito em adiar as eleições ou unificar para 2022. O que o Progressistas defende?

Silvio Dreveck: Diante da pandemia do novo coronavírus, o adiamento das eleições é necessário. Quanto à unificação do calendário eleitoral, sempre defendi. Cabe ao Congresso Nacional debater a matéria e alterar. Para 2026 seria a grande oportunidade, considerando que os prefeitos e vereadores foram eleitos para quatro anos.


Schettini: O processo que Moisés passa é político ou são crimes de prevaricação, responsabilidade e incompetência?

Silvio Dreveck: O processo que o governador Moisés passa é político, considerando a ausência de relacionamento com o parlamento e a sociedade. Se houver crimes de prevaricação responsabilidade e incompetência, o tempo dirá.

Schettini: Qual é o papel da Assembleia Legislativa? Respeitar a decisão das urnas em 2018 ou corrigir os tropeços da Casa d’Agronômica?

Silvio Dreveck: A Assembleia Legislativa tem a incumbência de legislar, fiscalizar, representar a população catarinense e contribuir no aperfeiçoamento das matérias enviadas pelo Executivo com objetivo de melhorar a qualidade de vida dos catarinenses.


Schettini: A pandemia muda o homem e a política ou vai ficar tudo igual?

Silvio Dreveck: Com certeza vai mudar a economia, a política e a humanidade.


Schettini: Como o Sr. observa o futuro?

Silvio Dreveck: Vamos superar esta crise que levará um longo período e certamente dias melhores virão para todos nós.


Alesc - Julho
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro