Close Menu

Busque por Palavra Chave

Transparência Criciúma

MISSÃO CUMPRIDA

Em dia histórico, Chape emociona e vence final da Recopa

Disputa com o Atlético Nacional de Medellín foi marcada por homenagens
Por: Felipe Giachini
05/04/2017 17:31 - Atualizado em 05/04/2017 17:49
Cerca de 19 mil torcedores lotaram a Arena Condá (Fotos: Felipe Giachini/LÊ) Cerca de 19 mil torcedores lotaram a Arena Condá (Fotos: Felipe Giachini/LÊ)

Por Felipe Giachini e Janquieli Ceruti

Emoção do início ao fim. Assim foi o jogo que movimentou a Arena Condá, em Chapecó, na noite da última terça-feira (04) pela final da Recopa Sul Americana 2017. Ao todo, mais de 19 mil torcedores lotaram as arquibancadas para acompanhar a partida entre a Associação Chapecoense de Futebol e o Club Atlético Nacional de Medellín. O encontro emocionante marcou a união entre os times quatro meses após a tragédia aérea que vitimou 71 pessoas, entre jogadores e comissão técnica da Chapecoense, jornalistas e convidados, na Colômbia.

A comemoração regada à solidariedade, que iniciou ainda na segunda-feira (03) com a calorosa recepção à delegação e aos torcedores do Atlético, fortaleceu os laços de irmandade e fraternidade entre chapecoenses e colombianos, que surpreenderam o mundo com o apoio aos familiares, amigos e admiradores das vítimas.

A mobilização de Chapecó se intensificou ainda antes da partida. Por volta das 14h, milhares se reuniram na Praça Coronel Bertaso para aquecer os corações e depois seguirem em caminhada até a Arena, onde um abraço coletivo comoveu a todos. No “Show da Gratidão”, perto de começar o jogo, as 71 pessoas que morreram foram lembradas na cerimônia; o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e o alcade de Madellín, Federico Gutiérrez Zaluaga, proferiram palavras de agradecimento e união às cidades que se tornaram irmãs; em seguida, os quatro sobreviventes do acidente – o jornalista Rafael Henzel e os jogadores Jackson Follman, Neto e Alan Ruschel – também deixaram mensagens de otimismo e gratidão.

A programação, que mostrou depoimentos de atletas e celebridades, também apresentou a “Cápsula do Tempo”, que receberá cartas dos torcedores dos dois clubes e ficará no parque Medellín, construído em Chapecó, para ser aberta daqui a 43 anos. O cantor Duca Leindecker marcou presença e sensibilizou a todos ao som de Dia Especial.

Feitas as homenagens a partida inicia e, mais do que qualquer resultado no placar, o sentimento de união é que prevaleceu. Aos 25 minutos do primeiro tempo, a Chape sai na frente com gol de Ronaldo, marcado em pênalti. O Atlético Nacional avançou e aos 13 minutos do segundo tempo empatou com gol de Macnelly Torres. Aos 28, Luis Otavio ampliou para a Chapecoense, que garantiu a vitória por 2 a 1.

Ao final, uma das narrações de Rafael Henzel em gol do time anfitrião foi exibida ao público, que logo acompanhou a queima de fogos de artifício para selar essa união entre as nações.


Outras Notícias
Transparência Criciúma 2
Anúncio Radial 2
Palhoça Parques
Rech Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro