Close Menu

Busque por Palavra Chave

CRIOTERAPIA

Epagri desenvolve técnica inédita no Brasil para erradicar vírus em macieira

Doenças podem diminuir o crescimento, a produtividade e a qualidade de frutos
Por: LÊ NOTÍCIAS
05/05/2017 09:44
Crioterapia deverá ser solução para melhora nas safras brasileiras (Keep Company/Divulgação/LÊ) Crioterapia deverá ser solução para melhora nas safras brasileiras (Keep Company/Divulgação/LÊ)

A Epagri está participando de uma pesquisa que aplica técnica inédita no Brasil para erradicação de vírus em macieira. Trata-se da crioterapia, que consiste no uso de nitrogênio líquido para eliminar células e tecidos infectados de plantas cultivadas em laboratório, criando plantas isentas de vírus. O trabalho, que vem apresentando resultados animadores, é desenvolvido pelas Estações Experimentais da Epagri em Lages e Caçador em parceria com o Centro de Ciências Agroveterinárias da Universidade do Estado de SC (CAV – Udesc).

Os vírus podem diminuir o crescimento, a produtividade, a qualidade de frutos e também a vida útil de pomares. Esse problema está bastante disseminado nos cultivos de maçã do Sul do Brasil e a técnica empregada pelos pesquisadores é uma saída para a produção de mudas de alta qualidade fitossanitária. “Além disso, poderá substituir a termoterapia, técnica convencional usada na limpeza de vírus em plantas, que tem algumas desvantagens em relação à crioterapia, por ser mais cara, mais demorada e de eficiência relativamente menor”, explica o doutorando Jean Carlos Bettoni, que está desenvolvendo tese sobre o tema no curso de pós-graduação em produção vegetal do CAV-Udesc e é o principal idealizador da aplicação na macieira.

A Epagri já tem experiência positiva com a crioterapia. Ela vem sendo usada na limpeza de vírus no alho, com aumentos de produtividade que variam entre 20% e 30%. É a primeira vez que a técnica está sendo usada para macieira no Brasil.

No laboratório de biotecnologia da Estação Experimental da Epagri em Lages, Jean e os pesquisadores da Epagri, Murilo Dalla Costa e João Frederico Mangrich dos Passos, alcançaram resultados preliminares bastante promissores. No porta-enxerto de macieira Marubakaido, a diagnose pelo uso de técnicas de biologia molecular - feita em parceria com a Embrapa Uva e Vinho - para os vírus ASPV (Apple Stem Pitting Virus), ASGV (Apple Stem Grooving Virus) e ACLSV (Apple Chlorotic Leaf Spot Virus), indicou que 90% das plantas que passaram pela crioterapia estavam limpas.

Estas mudas de macieira foram entregues aos pesquisadores Maraisa Crestani Hawerroth e Marcus Vinicius Kvitschal, da Estação Experimental da Epagri Caçador. No local, as plantas serão multiplicadas, avaliadas e, mais tarde, disponibilizadas ao setor produtivo. O cultivar SCS417 Monalisa, lançado pela Epagri em 2009, também passou pela crioterapia e será analisado em breve quanto à presença desses vírus.

“Há um longo trabalho pela frente; a crioterapia será aplicada em mais sete variedades de macieira de interesse para Santa Catarina”, revela Murilo. Esse trabalho é de suma importância para os programas de melhoramento genético de espécies frutíferas de propagação vegetativa que a Epagri desenvolve, uma vez que a condição sanitária das mudas é fator primordial no sucesso desses cultivos. A utilização dessa técnica de limpeza de vírus poderá entregar aos fruticultores mudas de novos cultivares melhorados, também com boa condição sanitária.


Outras Notícias
OktoberFest
CORAÇÃO DE SC
Rech Mobile
Publicações Legais Mobile

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro