Close Menu

Busque por Palavra Chave

Cenário no país é preocupante; Antecipar 2022 nesse momento é incabível; Vereadores trocam de partido em Joinville; Fachini é pré-candidato a prefeito

Por: Weliton G. Lins
13/04/2020 16:23 - Atualizado em 13/04/2020 16:24
Tamanho da fonte: A A
Piracanjuba - Desktop

RELEVANTE

Com total respeito a todos os vereadores que trocaram de partido, a troca mais relevante foi a do vereador Rodrigo Fachini, que deixou o MDB para migrar para o PSDB. O parlamentar, que tem com ele o grupo do ex-deputado federal Mauro Mariani, mas que não tinha mais espaço no MDB, inclusive direito a fala no espaço destinado aos partidos na sessão, filiou-se no PSDB tornando-se opção da sigla para disputar a Prefeitura de Joinville. A entrada de um, resultou na saída de outros. Mas isso é assunto para a próxima coluna.


PREOCUPANTE

É preocupante o cenário que vemos. Ninguém esperava uma pandemia, justamente em um ano em que tudo estava indo muito bem. O ano de 2020, início de uma nova década, a segunda do milênio, tinha tudo pra ser um ano de excelente recuperação, e por mais que estejamos em um cabo de guerra, as coisas estavam indo bem para o bom cidadão.


PREOCUPANTE II

Numa reviravolta de quadro, impressionante, o cenário mudou. Se o momento de calamidade pública, é porque sabe-se que a dificuldade que estamos enfrentando, não é só uma coisa de momento, mas deverá atrasar o nosso desenvolvimento. Oremos pelo Brasil.


INCABÍVEL

É incabível aceitar as picuinhas que vem acontecendo diante dos nossos olhos, entre aqueles que hoje nos representam, tanto no Senado, Câmara, Governo ou Assembleia. Em nome dos interesses próprios, os do povo são triturados, por aqueles que deveriam representá-los. Poucos conseguem pensar no presente, no hoje, 2020. Em foco está 2022, 2024, 2026. Chora nação.


INCABÍVEL II

Antecipam o debate, governadores que querem ser presidente, presidente que quer ser presidente de novo, deputado que quer ser governador, e por aí vai. Enquanto isso, seja o que Deus quiser e o povo que se lasque.


JANELA DE JOINVILLE

A janela partidária, que se fechou no último dia 4 de abril e que permitiu a troca de partido, por parte de muitos vereadores espalhados pelo país, deixou o cenário político de Joinville ainda mais interessante. Nove dos dezenove vereadores trocaram de sigla. A situação ficou assim.


REPRESENTATIVIDADE

O MDB, partido do atual prefeito, que tem também a presidência da Câmara de Vereadores, e é o partido com o maior número de parlamentares, ficou com 6 vereadores. São eles: Adilson Girardi (que saiu do Solidariedade) Claudio Aragão, Mauricinho Soares, Pelé (que saiu do PL), Richard Harrison e Roque Mattei.


O PSDB, que recebeu a filiação de 2 novos vereadores, ficou com 3 parlamentares. São eles: Iracema do Retalho (que saiu do PSB), Odir Nunes e Rodrigo Fachini (que saiu do MDB).


O PSC, que tem o suplente de deputado federal Jaime Evaristo, recebeu o vereador Natanael Jordão, ex-tucano. A sigla ficou com 3 cadeiras no legislativo joinvilense. São eles: Jaime Evaristo, Lioilson Correa e Natanael Jordão (que saiu do PSDB).


O PL, presidido pelo vereador Maurício Peixer, ficou com dois vereadores, são eles. Maurício Peixer e Ninfo Konig (que saiu do PSB).


Já o PSD, permaneceu com uma cadeira. Cadeira que pertence ao vereador Fábio Dalonso.


O PDT, também permaneceu com uma cadeira. O nome do partido no legislativo joinvilense é James Schroeder.


O PROS, recebeu o vereador Wilson Paraíba, que saiu do PSB.


O PSL recebeu a vereadora Tânia Larson que saiu do Solidariedade.


Já o Cidadania, recebeu a vereadora Ana Rita, que saiu do PROS.




Sicoob 2018 - Home
Vederti Chapecó
Publicações Legais
Rech

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro